Banco de Imagens

Povoamento, Descrição Física e Fotografias

Pesquisa

Categorias de Imagens

Dr. António José de Almeida no Palácio da Junta Geral ou Palácio da Encarnação, 9 de outubro de 1922, Funchal, ilha da Madeira

Dr. António José de Almeida no Palácio da Junta Geral ou Palácio da Encarnação. (1866-1929) Fotografia de 9 de outubro de 1922. ABM/ARM, Coleção Vicentes, Funchal. Rua de Santa Luzia, Funchal, ilha da Madeira. O Presidente da República chegou ao Funchal a bordo do vapor inglês Arlanza, em viagem do Rio de Janeiro para Lisboa, às 7 da manhã de 9 de outubro de 1922, saindo na tarde desse dia. Visitou o Terreiro da Luta ainda de manhã e desceu para o Funchal em carro-de-cesto do Monte. António José de Almeida (Vale da Pinha, Penacova, 1866; Lisboa, 31 out. 1929) […]

Casa revivalista com balcões, 1940 (c.), Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Casa revivalista com balcões. Campanha de 1940 (c.) com reabilitação dos anos seguintes. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Calle Inspector Luís Martín, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Casa revivalista com balcões, 1940 (c.), Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Casa revivalista com balcões. Campanha de 1940 (c.) com reabilitação dos anos seguintes. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Calle Inspector Luís Martín, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Calle El Puente, Arrecife, 1970 (c.), ilha de Lanzarote, Canárias

Calle El Puente. Equipamento urbano de campanha de 1970 (c.) Referência à Ponte das Bolas, de 1771, que uniu a terra a fortaleza de São Gabriel, projecto inicial de Leonardo Turriano (1559/60-1628), 1592, obra terminada em 1686. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias. O Castillo de San Gabriel foi projectado por Leonardo Turriano (1559/60-1628), em 1592, mas só levantado pelos meados do século XVII, estando pronto em 1686. Era então uma plataforma regular com 4 baluartes pentagonais, que por 1771 foi ampliada, unindo-se os baluartes […]

Exposição da Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote, 2021, Arrecife, ilhas Canárias

Exposição da Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote. Edifício com campanha de 1930 (c.) e reabilitações dos anos seguintes. Fotografia de 2021. Calle Inspector Luís Martín, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.  

Exposição Cem Anos do Nascimento de César Manrique na Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote, 2019, Arrecife, ilhas Canárias

Exposição Cem Anos do Nascimento de César Manrique na Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote. (1919-1992) Edifício com campanha de 1930 (c.) e reabilitações dos anos seguintes. Fotografia de 2019. Calle Inspector Luís Martín, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo de desenvolvimento turístico então em marchar, procurando […]

Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote, 1930 (c.), Arrecife, 2019, ilhas Canárias

Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote. Campanha de 1930 (c.) com reabilitação dos anos seguintes. Fotografia da exposição Cem Anos do Nascimento de César Manrique (1919-1992), 2019. Calle Inspector Luís Martín, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo de desenvolvimento turístico então em marchar, procurando a sustentabilidade de […]

Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote, 1930 (c.) e seguintes, Arrecife, ilhas Canárias

Casa Amarilla, antigo cabildo de Lanzarote. Campanha de 1930 (c.) com reabilitação dos anos seguintes. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Calle Inspector Luís Martín, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Bar Andalucia de Arrecife, 1960 (c.), ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Bar Andalucia de Arrecife. Trabalho de gelosias. Campanha de 1850 (c.) com reconstrução/reabilitação  de 1960. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Calle Inspector Luís Martín, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Porta de casa tradicional de Arrecife, 1850 (c.), ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Porta de casa tradicional de Arrecife. Trabalho de gelosias. Campanha de 1850 (c.) com reconstrução/reabilitação  de 1960 a 1970 (c.). Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Avenida Coll, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Janela de casa tradicional de Arrecife, 1850 (c.) e seguintes, ilha de Lanzarote, Canárias

Janela de casa tradicional de Arrecife. Janela de gelosias. Campanha de 1850 (c.) com reconstrução/reabilitação  de 1960 a 1970 (c.). Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Avenida Coll, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Janela de casa tradicional de Arrecife, 1850 (c.) e seguintes, ilha de Lanzarote, Canárias

Janela de casa tradicional de Arrecife. Janela de gelosias. Campanha de 1850 (c.) com reconstrução/reabilitação  de 1960 a 1970 (c.). Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Avenida Coll, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Janela de casa tradicional de Arrecife, 1850 (c.) e seguintes, ilha de Lanzarote, Canárias

Janela de casa tradicional de Arrecife. Janela de gelosias. Campanha de 1850 (c.) com reconstrução/reabilitação  de 1960 a 1970 (c.). Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Avenida Coll, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Casa tradicional de Arrecife, 1850 (c.) e seguintes, ilha de Lanzarote, Canárias

Casa tradicional de Arrecife. Janelas de gelosias. Campanha de 1850 (c.) com reconstrução/reabilitação  de 1960 a 1970 (c.). Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Avenida Coll, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Casa tradicional de Arrecife, 1850 (c.) e seguintes, ilha de Lanzarote, Canárias

Casa tradicional de Arrecife. Janelas de gelosias. Campanha de 1850 (c.) com reconstrução/reabilitação  de 1960 a 1970 (c.). Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Avenida Coll, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Ponte das Bolas e Fortaleza de São Gabriel de Arrecife, reforma de 1771, ilha de Lanzarote, Canárias

Ponte das Bolas e Fortaleza de São Gabriel Projecto inicial de Leonardo Turriano (1559/60-1628), 1592. Obra terminada em 1686 e reformulada com pontes em 1771 Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias. O Castillo de San Gabriel foi projectado por Leonardo Turriano (1559/60-1628), em 1592, mas só levantado pelos meados do século XVII, estando pronto em 1686. Era então uma plataforma regular com 4 baluartes pentagonais, que por 1771 foi ampliada, unindo-se os baluartes para obter uma mais ampla praça de armas. Em 1771 igualmente se […]

Museo de História de Arrecife, Fortaleza de São Gabriel, 1771 e seguintes, ilha de Lanzarote, Canárias.

Museo de História de Arrecife, Fortaleza de São Gabriel Projecto de Leonardo Turriano (1559/60-1628), 1592. Obra terminada em 1686 e reformulada com pontes em 1771 Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias. O Castillo de San Gabriel foi projectado por Leonardo Turriano (1559/60-1628), em 1592, mas só levantado pelos meados do século XVII, estando pronto em 1686. Era então uma plataforma regular com 4 baluartes pentagonais, que por 1771 foi ampliada, unindo-se os baluartes para obter uma mais ampla praça de armas. Em 1771 igualmente se […]

Museo de História de Arrecife, Fortaleza de São Gabriel, reforma de 1771 e seguintes, ilha de Lanzarote, Canárias

Museo de História de Arrecife, Fortaleza de São Gabriel Projecto de Leonardo Turriano (1559/60-1628), 1592. Obra terminada em 1686 e reformulada pontes em 1771 Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias. O Castillo de San Gabriel foi projectado por Leonardo Turriano (1559/60-1628), em 1592, mas só levantado pelos meados do século XVII, estando pronto em 1686. Era então uma plataforma regular com 4 baluartes pentagonais, que por 1771 foi ampliada, unindo-se os baluartes para obter uma mais ampla praça de armas. Em 1771 igualmente se construíram […]

Fortaleza de São Gabriel, 1592 a 1686, Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias

Fortaleza de São Gabriel Projecto de Leonardo Turriano (1559/60-1628), 1592. Obra terminada em 1686 Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias. O Castillo de San Gabriel foi projectado por Leonardo Turriano (1559/60-1628), em 1592, mas só levantado pelos meados do século XVII, estando pronto em 1686. Era então uma plataforma regular com 4 baluartes pentagonais, que por 1771 foi ampliada, unindo-se os baluartes para obter uma mais ampla praça de armas. Em 1771 igualmente se construíram os acessos a terra, através de uma ponte pênsil, com […]

Cem anos do nascimento de César Manrique, 2019, Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias

Cem Anos do Nascimento de César Manrique. Cartaz da Fundação César Manrique (1919-1992), 2019.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Sala de estar do Hotel Miramar, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo de desenvolvimento turístico então em […]

Campesinos, serigrafias de César Manrique, 1980, Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias

Campesinos. Serigrafias a partir de técnica mista de César Manrique (1919-1992), 1980.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Sala de estar do Hotel Miramar, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo de desenvolvimento turístico então em marchar, procurando […]

Peixe Raia, serigrafia de César Manrique, 1985, Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias

Pex Rana. Série “Fauna Atlântica”. Serigrafia a partir de desenho a lápis de cor de César Manrique (1919-1992), 1985.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Sala de estar do Hotel Miramar, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo […]

Peixe Tubarão, serigrafia de César Manrique, Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias

Pex Tubarão. Série “Fauna Atlântica”. Serigrafia a partir de desenho a lápis de cor de César Manrique (1919-1992), 1985.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Sala de estar do Hotel Miramar, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo […]

Pex Tubarão. Série “Fauna Atlântica”. Serigrafia a partir de desenho a lápis de cor de César Manrique (1919-1992), 1985.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Sala de estar do Hotel Miramar, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo […]

Peixe Linguado, serigrafia de César Manrique, 1985, Arrecife, Ilha de Lanzarote, Canárias

Pex Linguado. Série “Fauna Atlântica”. Serigrafia a partir de desenho a lápis de cor de César Manrique (1919-1992), 1985.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Sala de estar do Hotel Miramar, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo […]

Peixe Linguado, serigrafia de César Manrique, 1985, Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias

Pex Linguado. Série “Fauna Atlântica. Serigrafia a partir de desenho a lápis de cor de César Manrique (1919-1992), 1985.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Quarto do Hotel Miramar, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo de desenvolvimento […]

Quarto do Hotel Miramar, 26 de novembro de 2021, Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias

Quarto do Hotel Miramar. Construção de 1960 a 1970 (c.). Serigrafia a partir de desenho de César Manrique (1919-1992), 1985.  Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966. Especialmente a partir dessa data, desenvolveu uma intensa atividade na Ilha em prol da defesa geral da cultura local, mas articulando todo esse trabalho pelo novo modelo de desenvolvimento turístico então em […]

Hotel Miramar, 1960 a 1970 (c.), Arrecife, ilha de Lanzarote, Canárias.

Hotel Miramar. Construção de 1960 a 1970 (c.). Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 26 de novembro de 2021. Avenida Coll, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Forte de San José de Arrecife e Museu de Arte Contemporânea, 1776 a 1779 e 1975 e seguintes, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Forte de San José de Arrecife e Museu internacional de Arte Contemporânea. Construção de 1776 a 1779 com projeto de reabilitação de César Manrique (1919-1992), 1975 e seguintes. Fotografia de 2018. Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. O fuerte ou Castillo de San José foi levantado nas arribas do Porto das Naus, entre 1776 e 1779, para defesa da mesma e, então, para fazer face a uma grave crise de subsistências, criando, assim, emprego nas obras públicas e ficando conhecido com o “Forte da Fome”. Desativado nos meados do século XX, por iniciativa de César Manrique (1919-1992), que dirigiu pessoalmente […]

Museu de Arte Contemporânea do Forte de San José de Arrecife, 1776 a 1779 e 1975 e seguintes, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Museu de Arte Contemporânea do Forte de San José de Arrecife. Construção de 1776 a 1779 com projeto de reabilitação de César Manrique (1919-1992), 1975 e seguintes. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021. Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. O fuerte o Castillo de San José foi levantado nas arribas do Porto das Naus, entre 1776 e 1779, para defesa da mesma e, então, para fazer face a uma grave crise de subsistências, criando, assim, emprego nas obras públicas e ficando conhecido com o “Forte da Fome”. Desativado nos meados […]

Da Capo, técnica de Francesc Torres, 1994, Museu de Moderna do Forte de San José, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Da Capo. Técnica mista sobre papel, desenho a carvão, ponta seca e ácido directo, 160 x 120 cm. Francesc Torres, 1994. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021. Museu de Moderna do Forte de San José, projeto de César Manrique (1919-1992), 1975 e seguintes. Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. O fuerte o Castillo de San José foi levantado nas arribas do Porto das Naus, entre 1776 e 1779, para defesa da mesma e, então, para fazer face a uma grave crise de subsistências, criando, assim, emprego nas obras públicas e […]

La Semilla (A Batata), escultura de Francisco Barón, 1976, Museu de Moderna do Forte de San José, Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

La Semilla (A Batata). Madeira de nogueira entalhada e polida, 200 x 100 x 100 cm. Francisco Barón, 1976. Fotografia do I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021. Museu de Moderna do Forte de San José, projeto de César Manrique (1919-1992), 1975 e seguintes. Arrecife, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. O fuerte o Castillo de San José foi levantado nas arribas do Porto das Naus, entre 1776 e 1779, para defesa da mesma e, então, para fazer face a uma grave crise de subsistências, criando, assim, emprego nas obras públicas e ficando conhecido […]

As Três Graças no I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

As Três Graças no I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Dunia Alice Pereira, Brígida Baptista e Ana Catarina Garcia. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre […]

As Três Graças no I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

As Três Graças no I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Dunia Alice Pereira, Brígida Baptista e Ana Catarina Garcia. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre […]

Delegação da Madeira no I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Delegação da Madeira no I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Tomás Andrade Faria, Assis Correia, Marco Vieira e outro. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre […]

António Bettencourt no I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

António Bettencourt no I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Newton ou Forerunner? Primeiros resultados do estudo dos naufrágios na Ponta de São Lourenço efectuado no âmbito do Maugullar (Ilha da Madeira). Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique […]

José Luís Neto no I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

José Luís Neto no I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em […]

José Luís Neto no I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

José Luís Neto no I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em […]

José Luís Neto no I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

José Luís Neto no I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em […]

Assistência ao I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Assistência ao I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em […]

Assistência ao I Congresso Arqueologia Subaquática de la Macaronésia, projeto Margullar, 25 de novembro de 2021, Casa-Museo del Campesino, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Assistência ao I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar. Fotografia de 25 de noviembre 2021, Casa-Museo del Campesino, projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em […]

Casa-Museu do Campesino, projeto de César Manrique, 1968 e seguintes, San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias.

Casa-Museo del Campesino. Casa com sistema de gelosias, ou fasquiados de madeira. Projeto de César Manrique (1919-1992), 1968 e seguintes. San Bartolome, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966, a partir do que opera uma verdadeira […]

Fertilidade, César Manrique, 1968, monumento da Casa-Museu do Campesino, ilha de Lanzarote, ilhas Canárias

Monumento à Fertilidade. César Manrique (1919-1992), 1968, Monumento da Casa-Museu do Campesino. San Bartolome,  ilha de Lanzarote, ilhas Canárias. A Casa-Museu del Campesino era uma antiga ideia de César Manrique (1919-1992), colocada em prática após o seu retorno a Lanzarote, em 1966, vindo a ser levantada sob sua orientação e à volta do seu monumento à fertilidade, de 1968. César Manrique (1919-1992) nasceu em Arrecife, capital de Lanzarote, tendo vivido em Madrid, entre 1945 e 1964, depois em Nova Yorque, fixando-se em Lanzarote em 1966, a partir do que opera uma verdadeira revolução na sua ilha natal, através da arte […]

Aeroporto de Las Palmas, 24 de novembro de 2021, Gran Canária, ilhas Canárias

Aeroporto de Las Palmas Las Palmas, 24 de novembro de 2021. I Congresso Arqueologia Subacuática de la Macaronésia, projeto Margullar, 24 a 26 noviembre 2021, em Lanzarote. Gran Canária, ilhas Canárias

Sem título, óleo de António Aragão, 1959, exposição MASF, 2021, Funchal, ilha da Madeira

Sem título. Óleo sobre platex, António Aragão, 1959 (1921-2008) Imagem do arquivo da Porta 33. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na […]

Sem título, óleo de António Aragão, 1959, exposição MASF, 2021, Funchal, ilha da Madeira

Sem título. Óleo sobre platex, António Aragão, 1959 (1921-2008) Imagem do arquivo da Porta 33. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na […]

Legenda do catálogo da Exposição de António Aragão, Clube Funchalense, maio de 1956, exposição De Nível, Museu de Arte Sacra do Funchal, novembro de 2021, ilha da Madeira

Legenda do catálogo da Exposição de António Aragão, maio de 1956 (1921-2008) Clube Funchalense, maio de 1956. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra […]

Catálogo da Exposição de António Aragão, Clube Funchalense, maio de 1956, exposição De Nível, Museu de Arte Sacra do Funchal, novembro de 2021, ilha da Madeira

Catálogo da Exposição de António Aragão, maio de 1956 (1921-2008) Clube Funchalense, maio de 1956. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na […]

Legenda do trabalho Sem título, óleo de António Aragão, 1958, exposição MASF, 2021, Funchal, ilha da Madeira

Legenda do trabalho Sem título. Óleo sobre platex, António Aragão, 1958 (1921-2008) Coleção do escultor António Rodrigues. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra […]

Sem título, óleo de António Aragão, 1958, exposição MASF, 2021, Funchal, ilha da Madeira

Sem título. Óleo sobre platex, António Aragão, 1958 (1921-2008) Coleção do escultor António Rodrigues. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade […]

Legenda do trabalho Sem título, óleo de António Aragão, 1959, MASF, 2021, Funchal, ilha da Madeira

Legenda do trabalho Sem título. Óleo sobre platex, António Aragão, 1959 (1921-2008) Coleção do Herdeiro. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na […]

Pilrito-das-praias, José Campinho, 20 de novembro de 2021, areal do Porto Santo.

Pilrito-das-praias. Calidris alba (Pallas 1764) Fotografia de José Campinho, 20 de novembro de 2021. Areal do Porto Santo. Pilrito-das-praias, Calidris alba (Pallas 1764). Ave originária do círculo polar ártico. As aves que chegam ao arquipélago da Madeira deverão ser originárias da Sibéria, Gronelândia e das regiões árticas do Canadá. A maior parte das aves migra para a América, África, Austrália e o Sul da Ásia para passar o inverno. É uma ave típica de praias abertas e amplas, onde, em geral, se move junto à rebentação. Também pode ser observada em foz de ribeiras e pequenas lagoas costeiras. É uma […]

Averbamento de requerimento de Júlio Ferreira Cabral, aluno da escola Médico‑Cirúrgica de Lisboa, 27 de março de 1900, Lisboa, Portugal

Averbamento de requerimento do aluno Júlio Ferreira Cabral da Escola Médico‑Cirúrgica de Lisboa. Minuta do requerimento de Júlio Ferreira Cabral (1869-1930), 27 de março de 1900 AHPGR, Procuradoria-Geral da República, Doc. 88, 27 mar. 1900, fl. 49v. Lisboa, Portugal. Político e empresário madeirense, nascido no Funchal a 26 de setembro de 1869, filho de António Ferreira Cabral e de Maria Augusta Ferreira. Contraiu matrimónio com Maria Esmeraldo da Câmara Leme Cabral, sem deixar geração. Terá realizado os estudos liceais no Funchal e ingressou, nos finais do séc. XIX, na escola Médico‑Cirúrgica de Lisboa, como comprova o requerimento da autoria de […]

Um Novo Mundo, Guilherme Read Cabral, Funchal, Typ. Esperança, 1895, ilha da Madeira

Guilherme Read Cabral, Um Novo Mundo, Funchal, Typ. Esperança, Rua do Príncipe, 1895 Escritor e administrador da Alfândega do Funchal (1821-1897) Funchal, ilha da Madeira

Ângela Santa Clara, Guilherme Read Cabral, Funchal, Typ. Esperança, 1895, ilha da Madeira

Guilherme Read Cabral, Ângela Santa Clara, romance histórico, Funchal, Typ. Esperança, Rua do Príncipe, 32, 1895 Escritor e administrador da Alfândega do Funchal (1821-1897) Funchal, ilha da Madeira

Guilherme Read Cabral, 1850 (c.), Ponta Delgada, ilha de São Miguel, Açores

Guilherme Read Cabral Escritor e administrador da Alfândega do Funchal (1821-1897) Litografia do Álbum Açoriano, 1850, Ponta Delgada, ilha de São Miguel, Açores.

Sem título, óleo de António Aragão, 1959, exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Sem título. Óleo sobre platex, António Aragão, 1959 (1921-2008) Coleção do Herdeiro. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma invocação”, […]

Sem título, óleo de António Aragão, 1959, exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Sem título. Óleo sobre platex, António Aragão, 1959 (1921-2008) Coleção do Herdeiro. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.10.21 a 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma […]

Legenda da Natureza morta com frascos de tinta, óleo de António Aragão, 1965, exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Legenda da Natureza morta com frascos de tinta António Aragão Óleo sobre platex, António Aragão, 1965 (1921-2008) Coleção Edward Kassab. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás […]

Natureza morta com frascos de tinta, óleo de António Aragão, 1965, exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Natureza morta com frascos de tinta Óleo sobre platex, António Aragão, 1965 (1921-2008) Coleção Edward Kassab. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na […]

Legenda da caixa de tintas e paleta de António Aragão, 1940 a 1965 (c.), exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Legenda da caixa de tintas de óleo e paleta de António Aragão (1921-2008) Vários origens, 1940 a 1965 (c.) Coleção do Herdeiro. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão […]

Caixa de tintas e paleta de António Aragão, 1940 a 1965 (c.), exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Caixa de tintas de óleo e paleta de António Aragão (1921-2008) Vários origens, 1940 a 1965 (c.) Coleção do Herdeiro. Exposição De Nível, com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás […]

Exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal pelo curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal Exposição com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de Duarte Gomes, 26 de outubro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma invocação”, lembrando que […]

Exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal pelo curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal Exposição com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 26 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma invocação”, lembrando que António Aragão […]

Entrada da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal 1980, curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal Exposição com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 26 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma invocação”, lembrando que António Aragão […]

Cartaz da entrada da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal 1980, curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Cartaz da entrada da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal 1980, Funchal Ontem e Hoje, António Aragão (1921-2008). Exposição com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás […]

Cartaz da entrada da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal, curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Cartaz da entrada da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma […]

Inscrição da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal, curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Inscrição da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma invocação”, lembrando […]

Logo da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal, curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Logo da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 22.1021 01.01.22. Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma invocação”, lembrando […]

Entrada da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal, curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Entrada da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal. Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente até dia 1 de janeiro de 2022. Na abertura da mostra o diretor do MASF explicou os motivos que estão por detrás desta mostra que na verdade é “uma invocação”, lembrando que António […]

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal pelo curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal por Marinho Mendes Com  João Henrique Silva, D. Nuno Brás, bispo do Funchal, Eduardo Jesus, secretário regional, José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Regional,  Teresa de Freitas Brasão, diretora regional, entre outros. António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal. Fotografia de Duarte Gomes/Jornal da Madeira, 22 de outubro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de […]

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal pelo curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal por Marinho Mendes Com  Eduardo Jesus, secretário regional, José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Regional, D. Nuno Brás, bispo do Funchal, João Henrique Silva,Duarte Gomes, Jorge Pestana e Isabel Santa Clara, entre outros. António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal. Fotografia de Duarte Gomes/Jornal da Madeira, 22 de outubro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 […]

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal pelo curador, Martinho Mendes, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal por Marinho Mendes Com João Henrique Silva, diretor do Museu, Eduardo Jesus, secretário regional, José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Regional, D. Nuno Brás, bispo do Funchal, entre outros. António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal. Fotografia de Duarte Gomes/Jornal da Madeira, 22 de outubro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro e patente […]

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal pelo Dr. João Henrique Silva, diretor do Museu, 22 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Apresentação da exposição De Nível no Museu de Arte Sacra do Funchal Dr. João Henrique Silva, diretor do Museu, com Isabel Santa Clara, Eduardo Jesus, secretário regional, José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Regional e D. Nuno Brás, bispo do Funchal, entre outros. António Aragão (1921-2008), curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal. Fotografia de Duarte Gomes/Jornal da Madeira, 22 de outubro de 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. O Museu de Arte Sacra do Funchal (MASF) associou-se às comemorações do centenário do nascimento de António Aragão, com uma exposição inaugurada a 22 de outubro […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 2014, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 2014 Número dos 138 anos do Diário. Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 2002, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 2002 Direção de José Bettencourt da Câmara, número dos 126 anos do Diário. Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 2001, 125 anos do Diário, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 2001 Direção de José Bettencourt da Câmara, número dos 125 anos do Diário. Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 2005, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 2005 Direção de José Bettencourt da Câmara, número dos 129 anos do Diário com as eleições autárquicas e a vitória de Miguel Albuquerque no Funchal. Fotografia da arquiteta Elisabete Andrade e Dr.ª Rubina Leal Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 2004, 128 anos do Diário, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 2004 Direção de José Bettencourt da Câmara, número dos 128 anos do Diário Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 2003, 127 anos do Diário, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 2003 Direção de José Bettencourt da Câmara, número dos 127 anos do Diário Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 1974, direção de José Manuel Paquete de Oliveira, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 1974 Direção de José Manuel Paquete de Oliveira (1936-2016) Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas […]

Número do Diário de Notícias do 1º centenário, 11 de outubro de 1976, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 1976 Número do 1º Centenário, 1876-1976 Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 1997, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 1997 Sampaio elogia Autonomias nos 121 anos do Diário ao serviço dos leitores Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram […]

Diário de Notícias do Funchal Revista on line aos 123 anos, de 11 de outubro de 1999, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal Revista on line aos 123 anos, de 11 de outubro de 1999 Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como […]

Diário de Notícias de 11 de outubro de 1966, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 1966 Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco de Brito Nóbrega (1856-1928), o […]

Notícias do Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 1968, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 18 de outubro de 2021, Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira

Notícias do Diário de Notícias do Funchal de 11 de outubro de 1968 Inauguração no dia seguinte da estátua de Cristóvão Colombo pelo engenheiro Alfredo de Queiroz Ribeiro Vaz Pinto (1905-1976), ministro de estado adjunto; estado clínico do Prof. Salazar; chegada à Madeira do arquiteto Leonardo Leoncavalo para contato com as obras do futuro Hotel Sotuma, depois Madeira Sheraton Hotel. Painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação […]

Diários de 2016 e 2017, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diários de 2016 e 2017, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco de Brito Nóbrega (1856-1928), o padre Fernando Augusto da Silva (1863-1949) […]

Diários de 2006 a 2008, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diários de 2006 a 2008, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco de Brito Nóbrega (1856-1928), o padre Fernando Augusto da Silva (1863-1949) […]

Diários de 1980 a 1991 e 1966 a 1968, painéis do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diários de 1980 a 1991 e 1966 a 1968, painéis do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco de Brito Nóbrega (1856-1928), o padre Fernando […]

Diários de 1910 a 1915, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diários de 1910 a 1915, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco de Brito Nóbrega (1856-1928), o padre Fernando Augusto da Silva (1863-1949) […]

Diários de 1938 a 1950, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diários de 1938 a 1950, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco de Brito Nóbrega (1856-1928), o padre Fernando Augusto da Silva (1863-1949) […]

Diários de 1895 a 1900, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876, Rua Fernão de Ornelas, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Diários de 1895 a 1900, painel do 145 aniversário do Diário de Notícias do Funchal, 11 de outubro de 1876. Fotografia de 18 de outubro de 2021. Rua Fernão de Ornelas, Funchal, ilha da Madeira. O Diário de Notícias do Funchal iniciou a sua publicação a 11 de outubro de 1876, sendo o primeiro jornal quotidiano do Funchal. Foi fundado pelo cónego Alfredo César de Oliveira (1840-1908), auxiliado na redação e direção pelo escritor João de Nóbrega Soares. Pelas suas páginas passaram os mais importantes jornalistas madeirenses, como Ciríaco de Brito Nóbrega (1856-1928), o padre Fernando Augusto da Silva (1863-1949) […]

Nossa Senhora da Conceição, barro de José Franco, 1990 (c.), Mafra, Portugal

Nossa Senhora da Conceição. Barro pontualmente policromado, 41 cm. José Franco (1920-2009), Mafra, 1990 (c.). Portugal. José Silos Franco (Sobreiro, Mafra, 19 Mar. 1920; Lisboa, 14 Abr. 2009) foi um oleiro, ceramista e escultor português, que se dedicou, especialmente, à arte sacra de carácter popular. A sua obra mais conhecida e popular é a Aldeia típica de José Franco, em Sobreiro, sua terra natal, construção em miniatura de uma aldeia saloia do início do século XX, onde podem ser apreciadas cenas da vida da época, realizadas por bonecos mecanizados, principalmente movidos a água, bem como lojas em miniatura que ilustram […]

Estudo para os Comedores de Batatas, óleo de Vincent van Gogh, abril de 1885, Kröller-Müller Museum, Otterlo, Holanda

Estudo para os Comedores de Batatas De Aardappeleters Óleo sobre tela, 72 x 93 cm. Vincent Willem van Gogh (1853-1890), Nuenen, abril de 1885. Fotografia de 23 de agosto de 2016 Kröller-Müller Museum, Otterlo, Holanda O naturalismo ou realismo é um movimento artístico e literário conhecido por ser a radicalização do realismo, baseando-se na observação fiel da realidade e na experiência, mostrando que o indivíduo é determinado pelo ambiente e pela hereditariedade. Na pintura, um dos exemplos naturalistas é o famoso quadro de Vicente van Gogh, Os Comedores de Batatas, 1885, representando um interior soturno, a que se seguiram outros […]

Os Comedores de Batatas, óleo de Vincent Willem van Gogh, 1885, Van Gogh Museum, Amsterdam, Holanda

Comedores de batatas De Aardappeleters Óleo sobre tela, 82 x 114 cm. Vincent Willem van Gogh (1853-1890), Nuenen, abril de 1885. Van Gogh Museum, Amsterdam, Holanda O naturalismo ou realismo é um movimento artístico e literário conhecido por ser a radicalização do realismo, baseando-se na observação fiel da realidade e na experiência, mostrando que o indivíduo é determinado pelo ambiente e pela hereditariedade. Na pintura, um dos exemplos naturalistas é o famoso quadro de Vicente van Gogh, Os Comedores de Batatas, 1885, representando um interior soturno, a que se seguiram outros de paisagens com um outro colorido.

Congresso Internacional: Fotografia e Viagem, Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, Funchal, 24-25 out. 2019, ilha da Madeira

Congresso Internacional: Fotografia e Viagem. Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s. Funchal, 24-25 out. 2019, ilha da Madeira.  

Legend of 84, 2000 (c.), Rua da Queimada de Cima, 57, Funchal, ilha da Madeira

Legend of 84 Interior dom arcaria do piso térreo de antiga casa senhorial. Campanha de 1760 (c.). Legend of 84, barbearia, 1984 a 2000 (c.) Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua da Queimada de Cima, 57, Funchal, ilha da Madeira.

Arcaria do piso térreo de antiga casa senhorial, 1760 (c.), Funchal, ilha da Madeira

Arcaria do piso térreo de antiga casa senhorial. Campanha de 1760 (c.). Legend of 84, barbearia, 2000 (c.) Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua da Queimada de Cima, 57, Funchal, ilha da Madeira.

Arcaria do piso térreo da antiga casa senhorial, 1760 (c.), Funchal, ilha da Madeira

Arcaria do piso térreo da antiga casa senhorial. Campanha de 1760 (c.). Carisma, gabinete de estética, 2015 (c.) Fotografia de 9 de novembro de 2021. Rua do Bispo, 46, Funchal, ilha da Madeira.

Arcaria do piso térreo do Palácio Torre Bela, 1790 (c.), Funchal, ilha da Madeira

Arcaria do piso térreo do Palácio Torre Bela. Campanha de 1790 (c.). Loja Mango, 2015 (c.) Fotografia de 16 de novembro de 2021. Rua dos Ferreiros, 74, Funchal, ilha da Madeira.

A Circulação do Azulejo e Outras Cerâmicas Mudéjares nos Territórios da Expansão Ibérica Breve abordagem à Macaronésia e ao Novo Mundo, dissertação de Mestrado em Estudos Regionais e Locais de Lígia de Fátima Correia Gonçalves, dissertação de Mestrado em Estudos Regionais e Locais, apresentada à Universidade da Madeira, abril de 2019, Funchal, ilha da Madeira

Lígia de Fátima Correia Gonçalves, A Circulação do Azulejo e Outras Cerâmicas Mudéjares nos Territórios da Expansão Ibérica Breve abordagem à Macaronésia e ao Novo Mundo, dissertação de Mestrado em Estudos Regionais e Locais orientada por Rui Carita, apresentada à Universidade da Madeira, abril de 2019, Funchal, ilha da Madeira;

Iate Club Med 2 no Porto do Funchal, 9 de novembro de 2021. Funchal, ilha da Madeira.

Iate Club Med 2 no Porto do Funchal. Fotografia de João Carita, 9 de novembro de 2021. Funchal, ilha da Madeira.

Porto do Funchal, 9 de novembro de 2021, ilha da Madeira.

Porto do Funchal. Fotografia de João Carita, 9 de novembro de 2021. Funchal, ilha da Madeira.

João Carita no aeroporto Cristiano Ronaldo, 2021, Santa Cruz, ilha da Madeira.

João Carita no aeroporto. (1979-). Fotografia de 9 de novembro de 2021, 41 anos. Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira.

João Carita no aeroporto Cristiano Ronaldo, 2021, Santa Cruz, ilha da Madeira,

João Carita no aeroporto. (1979-). Fotografia de 9 de novembro de 2021, 41 anos. Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira.

Legenda dos óleos de Guareta Coromoto, 2019, Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira

Legenda dos óleos de Guareta Coromoto. (1957-). Montagem de 2019 (c.) Fotografia de 9 de novembro de 2021. Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira.

Do traço à cor, óleo de Guareta Coromoto, 2013, Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira

Do traço à cor. Óleo e técnica mista sobre tela. Guareta Coromoto (1957-), 2013. Fotografia de 9 de novembro de 2021. Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira.

Do traço à cor, óleo de Guareta Coromoto, 2013, Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira

Do traço à cor. Óleo e técnica mista sobre tela. Guareta Coromoto (1957-), 2013. Fotografia de 9 de novembro de 2021. Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira.

Fachada da Câmara Municipal de Cascais, azulejos de 1790 (c.) e de 1969, Cascais, Portugal

Fachada da Câmara Municipal de Cascais Azulejos de Francisco de Paula e Oliveira (c. 1750-c. 1820) e mestre Jorge da Costa (atr.), Real Fábrica do Rato, 1790 (c.), e de João Alves de Sá (1878-1972), Fábrica Viúva de Lamego, 1969. Fotografia de 2019. Antigo Palácio dos Condes da Guarda, Câmara Municipal de Cascais, Portugal. O antigo Palácio dos Condes da Guarda, da família Calheiros de Meneses, em 1860, agraciada com aquele título, era proveniente de um conjunto de edifícios, sucessivamente adaptado, como continua a acontecer como sede da Câmara Municipal de Cascais. Os painéis mais antigos da fachada podem ser […]

Fachada da Câmara Municipal de Cascais, azulejos de 1790 (c.) e de 1969, Cascais, Portugal

Fachada da Câmara Municipal de Cascais Azulejos de Francisco de Paula e Oliveira (c. 1750-c. 1820) e mestre Jorge da Costa (atr.), Real Fábrica do Rato, 1790 (c.), e de João Alves de Sá (1878-1972), Fábrica Viúva de Lamego, 1969. Fotografia de 2019. Antigo Palácio dos Condes da Guarda, Câmara Municipal de Cascais, Portugal. O antigo Palácio dos Condes da Guarda, da família Calheiros de Meneses, em 1860, agraciada com aquele título, era proveniente de um conjunto de edifícios, sucessivamente adaptado, como continua a acontecer como sede da Câmara Municipal de Cascais. Os painéis mais antigos da fachada podem ser […]

Painel de azulejos com Santo António de Lisboa, Francisco de Paula e Oliveira e Jorge da Costa, Real Fábrica do Rato, 1790 (c.), Câmara Municipal de Cascais, Portugal

Painel de azulejos com Santo António de Lisboa. Francisco de Paula e Oliveira (c. 1750-c. 1820) e mestre Jorge da Costa (atr.), Real Fábrica do Rato, 1790 (c.) Fotografia de 2019. Antigo Palácio dos Condes da Guarda, Câmara Municipal de Cascais, Portugal. O antigo Palácio dos Condes da Guarda, da família Calheiros de Meneses, em 1860, agraciada com aquele título, era proveniente de um conjunto de edifícios, sucessivamente adaptado, como continua a acontecer como sede da Câmara Municipal de Cascais. Os painéis mais antigos da fachada podem ser atribuídos a Francisco de Paula e Oliveira (c. 1750-c. 1820) e ao […]

Painel de azulejos com São Paulo, João Alves de Sá, 1969, Câmara Municipal de Cascais, Portugal.

Painel de azulejos com São Paulo. João Alves de Sá (1878-1972), Fábrica Viúva de Lamego, 1969. Fotografia de 2019. Antigo Palácio dos Condes da Guarda, Câmara Municipal de Cascais, Portugal. O antigo Palácio dos Condes da Guarda, da família Calheiros de Meneses, em 1860, agraciada com aquele título, era proveniente de um conjunto de edifícios, sucessivamente adaptado, como continua a acontecer como sede da Câmara Municipal de Cascais. Os painéis mais antigos da fachada podem ser atribuídos a Francisco de Paula e Oliveira (c. 1750-c. 1820) e ao mestre Jorge da Costa, ambos da Real Fábrica do Rato, por 1790, […]

Azulejos da Câmara Municipal de Cascais, João Alves de Sá, 1969, Portugal

Azulejos da Câmara Municipal de Cascais Painéis de azulejos de São Pedro e São Paulo da Fábrica Viúva de Lamego. João Alves de Sá (1878-1972), 1969. Fotografia de Juan Alcor 2019. Antigo Palácio dos Condes da Guarda, Câmara Municipal de Cascais, Portugal. O antigo Palácio dos Condes da Guarda, da família Calheiros de Meneses, em 1860, agraciada com aquele título, era proveniente de um conjunto de edifícios, sucessivamente adaptado, como continua a acontecer como sede da Câmara Municipal de Cascais. Os painéis mais antigos da fachada podem ser atribuídos a Francisco de Paula e Oliveira (c. 1750-c. 1820) e ao […]

Azulejos da Câmara Municipal de Cascais, João Alves de Sá, 1969, Portugal

Azulejos da Câmara Municipal de Cascais Painel de azulejos de São João de Brito da Fábrica Viúva de Lamego. João Alves de Sá (1878-1972), 1969. Fotografia de João Carita, 7 de novembro de 2021 Antigo Palácio dos Condes da Guarda,Câmara Municipal de Cascais, Portugal. O antigo Palácio dos Condes da Guarda, da família Calheiros de Meneses, em 1860, agraciada com aquele título, era proveniente de um conjunto de edifícios, sucessivamente adaptado, como continua a acontecer como sede da Câmara Municipal de Cascais. Os painéis mais antigos da fachada podem ser atribuídos a Francisco de Paula e Oliveira (c. 1750-c. 1820) […]

Azulejos da Câmara Municipal de Cascais, João Alves de Sá, 1969, Portugal

Azulejos da Câmara Municipal de Cascais Painéis de azulejos de São Pedro e São Paulo da Fábrica Viúva de Lamego. João Alves de Sá (1878-1972), 1969. Fotografia de João Carita, 7 de novembro de 2021 Antigo Palácio dos Condes da Guarda, Câmara Municipal de Cascais, Portugal. O antigo Palácio dos Condes da Guarda, da família Calheiros de Meneses, em 1860, agraciada com aquele título, era proveniente de um conjunto de edifícios, sucessivamente adaptado, como continua a acontecer como sede da Câmara Municipal de Cascais. Os painéis mais antigos da fachada podem ser atribuídos a Francisco de Paula e Oliveira (c. […]

Alegoria à aviação, Ricardo Velosa, 1995, Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira

Alegoria à aviação. Ferro forjado. Ricardo Velosa (1947-), 1995. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Átrio superior do Aeroporto Cristiano Ronaldo, Santa Cruz, ilha da Madeira.

Violante Saramago de Matos, Funchal, 24 de setembro de 2021, ilha da Madeira

Violante Saramago de Matos. (1947-) Mandatária da candidatura Confiança à Câmara Municipal do Funchal. Com Miguel Gouveia. Fotografia Confiança, 24 de setembro de 2021. Funchal, ilha da Madeira.

Grande construção sobre o antigo prédio senhorial torreado do Largo do Pelourinho do Funchal, novembro de 2021, ilha da Madeira

Grande construção sobre o antigo prédio senhorial torreado do Largo do Pelourinho. Reconstrução de 1770 (c.) e reconstrução de 2021. Fotografia de João Carita, 9 de novembro de 2021. Largo do Pelourinho, Funchal, ilha da Madeira.

Livros de Rui Carita na 47ª Feira do Livro do Funchal, 16 de novembro de 2021, Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Livros de Rui Carita na 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010), Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Stand FNAC, Conheces os Autores da Nossa Região?, expositor da Imprensa Académica, Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Rui Alberto Camacho na 47ª Feira do Livro do Funchal, Stand Xarabanda, 16 de novembro de 2021, Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Rui Alberto Camacho na 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010), Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Stand Xarabanda, Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Rui Alberto Camacho na 47ª Feira do Livro do Funchal, Stand Xarabanda, 16 de novembro de 2021, Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Rui Alberto Camacho na 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010), Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Stand Xarabanda, Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Carla Gouveia na 47ª Feira do Livro do Funchal, 16 de novembro de 2021, ilha da Madeira

Carla Gouveia na 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010), Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Fotografia de 16 de novembro de 2021. Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Os livros da Cidade Velha de Cabo Verde na sala de estar da casa da Amadora, 17 de novembro de 2021, Portugal

Os livros da Cidade Velha de Cabo Verde na sala de estar da casa da Amadora 145 quilos de livros para seguirem para as Canárias. Fotografia de 17 de novembro de 2021. Sala de estar da casa da Amadora, Portugal

Inauguração da exposição Olhar(es) Sobre a Ilha no Museu Quinta das Cruzes, 16 de novembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Inauguração da exposição Olhar(es) Sobre a Ilha Comemorações do nascimento de António Aragão (1921-2008). Com Teresa Pais e José Eduardo Jesus.  Museu Quinta das Cruzes, fotografia Diário de Notícias, 16 de novembro de 2021. Calçada do Pico, Funchal, ilha da Madeira. “Olhar(es) Sobre a Ilha” ficará patente no Museu Quinta das Cruzes até ao dia 26 de fevereiro de 2022. A mostra inclui quatro desenhos aguarelados da autoria de António Aragão: ‘Procissão’, ‘Peixeiros’, ‘Homens de Carga’ e ‘Borracheiros’, datados de 1965, e adquiridos pela então Junta Geral do Distrito Autónomo do Funchal, em 1966, e que integraram a exposição “Aguarelas […]

Inauguração da exposição Olhar(es) Sobre a Ilha no Museu Quinta das Cruzes, 16 de novembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Inauguração da exposição Olhar(es) Sobre a Ilha Comemorações do nascimento de António Aragão (1921-2008). Com Isabel Santa Clara, Rita Rodrigues, Teresa Brasão, José Eduardo Jesus, Teresa Pais e Ricardo Velosa, perante o “Borracheiro” de Francisco Franco (1885-1955), 1939 (c.)  Museu Quinta das Cruzes, fotografia Diário de Notícias, 16 de novembro de 2021. Calçada do Pico, Funchal, ilha da Madeira. “Olhar(es) Sobre a Ilha” ficará patente no Museu Quinta das Cruzes até ao dia 26 de fevereiro de 2022. A mostra inclui quatro desenhos aguarelados da autoria de António Aragão: ‘Procissão’, ‘Peixeiros’, ‘Homens de Carga’ e ‘Borracheiros’, datados de 1965, e […]

Inauguração da exposição Olhar(es) Sobre a Ilha no Museu Quinta das Cruzes, 16 de novembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Inauguração da exposição Olhar(es) Sobre a Ilha Comemorações do nascimento de António Aragão (1921-2008). Com Isabel Santa Clara, Rita Rodrigues, Teresa Brasão, José Eduardo Jesus, Teresa Pais e Ricardo Velosa, perante o “Borracheiro” de Francisco Franco (1885-1955), 1939 (c.) Museu Quinta das Cruzes, fotografia Jornal da Madeira, 16 de novembro de 2021. Calçada do Pico, Funchal, ilha da Madeira. “Olhar(es) Sobre a Ilha” ficará patente no Museu Quinta das Cruzes até ao dia 26 de fevereiro de 2022. A mostra inclui quatro desenhos aguarelados da autoria de António Aragão: ‘Procissão’, ‘Peixeiros’, ‘Homens de Carga’ e ‘Borracheiros’, datados de 1965, e […]

Olhar(es) Sobre a Ilha, convite para exposição no Museu Quinta das Cruzes, Funchal, 16 de novembro de 2021, ilha da Madeira

Olhar(es) Sobre a Ilha Comemorações do nascimento de António Aragão (1921-2008), Convite para exposição no Museu Quinta das Cruzes, 16 de novembro de 2021. Calçada do Pico, Funchal, ilha da Madeira. “Olhar(es) Sobre a Ilha” ficará patente no Museu Quinta das Cruzes até ao dia 26 de fevereiro de 2022. A mostra inclui quatro desenhos aguarelados da autoria de António Aragão: ‘Procissão’, ‘Peixeiros’, ‘Homens de Carga’ e ‘Borracheiros’, datados de 1965, e adquiridos pela então Junta Geral do Distrito Autónomo do Funchal, em 1966, e que integraram a exposição “Aguarelas de Costumes da Madeira”, realizada em 1983 no átrio do […]

Reabilitação da Quinta do Monte para Museu Romântico, Diário de Notícias, Funchal, 15 de setembro de 2021, ilha da Madeira

Quinta do Imperador com obras em breve. Reabilitação da Quinta do Monte para Museu Romântico. Com Francisco Clode de Sousa e José Eduardo Jesus, secretário regional do Turismo e Cultura Artigo de Eugénio Perregil in Diário de Notícias, Funchal, 15 de setembro de 2021. Quinta do Monte, Monte, Funchal, ilha da Madeira. Cronologia da Quinta do Monte: 1802 – Construção da quinta de veraneio pelo comerciante inglês James David Webster Gordon, em terrenos aforados aos morgados: Pedro Agostinho Pereira de Agrella e Camara, João José de Ornelas Cabral e José Joaquim de Bettencourt e Freitas; 1826 – reconstrução do edifício […]

Alegoria à Venda de Flores e Fruta, cerâmica de António Aragão, 1962, Mercado de Santa Cruz, ilha da Madeira

Alegoria à Venda de Flores e Fruta. Cerâmica policromada. António Aragão (1921-2008), 1962 (c.). Colaboração de Amândio de Sousa (1934-2021), Fábrica do Outeiro, Águeda, Portugal. Mercado Municipal de Santa Cruz. Projecto do Arqt. Luís da Conceição Teixeira (1913-1984), inaugurado em 20 de julho de 1962. Fotografia de Virgílio Pereira Gomes, 10 de novembro de 2021. Santa Cruz, ilha da Madeira. António Manuel de Sousa Aragão Mendes Correia (São Vicente, ilha da Madeira, 21 set. 1921; Funchal, 11 ago. 2008). Filho de Henrique Agostinho Aragão Mendes Correia e de Maria José de Sousa, frequentou o Liceu Jaime Moniz, a Escola Superior […]

Alegoria à pesca e venda de pescado, cerâmica de António Aragão, 1962, Mercado de Santa Cruz, ilha da Madeira

Alegoria à pesca e venda de pescado. Cerâmica policromada. António Aragão (1921-2008), 1962 (c.). Colaboração de Amândio de Sousa (1934-2021), Fábrica do Outeiro, Águeda, Portugal. Mercado Municipal de Santa Cruz. Projecto do Arqt. Luís da Conceição Teixeira (1913-1984), inaugurado em 20 de julho de 1962. Fotografia de Virgílio Pereira Gomes, 10 de novembro de 2021. Santa Cruz, ilha da Madeira. António Manuel de Sousa Aragão Mendes Correia (São Vicente, ilha da Madeira, 21 set. 1921; Funchal, 11 ago. 2008). Filho de Henrique Agostinho Aragão Mendes Correia e de Maria José de Sousa, frequentou o Liceu Jaime Moniz, a Escola Superior […]

Alegoria aos trabalhos agrícolas, cerâmica de António Aragão, 1962 (c.), Mercado de Santa Cruz, ilha da Madeira

Alegoria aos trabalhos agrícolas. Cerâmica policromada. António Aragão (1921-2008), 1962 (c.). Colaboração de Amândio de Sousa (1934-2021), Fábrica do Outeiro, Águeda, Portugal. Mercado Municipal de Santa Cruz. Projecto do Arqt. Luís da Conceição Teixeira (1913-1984), inaugurado em 20 de julho de 1962. Fotografia de Virgílio Pereira Gomes, 10 de novembro de 2021. Santa Cruz, ilha da Madeira. António Manuel de Sousa Aragão Mendes Correia (São Vicente, ilha da Madeira, 21 set. 1921; Funchal, 11 ago. 2008). Filho de Henrique Agostinho Aragão Mendes Correia e de Maria José de Sousa, frequentou o Liceu Jaime Moniz, a Escola Superior de Belas Artes […]

Alegoria às Artes e Ofícios, escultura de António Aragão, 1957 a 1960 (c.), Escola Secundária Francisco Franco, antiga Escola Industrial e Comercial do Funchal, ilha da Madeira

Alegoria às Artes e Ofícios. Cantaria rija esculpida, 238 x 906 cm. Projecto de António Aragão (1921-2008), 1957 e seguintes. Execução dos canteiros da pedreira da Panasqueira, Câmara de Lobos. Escola Secundária Francisco Franco, antiga Escola Industrial e Comercial do Funchal. Fotografia de Virgílio Pereira Gomes, 8 de novembro de 2021. Rua João de Deus, Funchal, ilha da Madeira. António Manuel de Sousa Aragão Mendes Correia (São Vicente, ilha da Madeira, 21 set. 1921; Funchal, 11 ago. 2008). Filho de Henrique Agostinho Aragão Mendes Correia e de Maria José de Sousa, frequentou o Liceu Jaime Moniz, a Escola Superior de […]

Avenida do Mar com os painéis de azulejos de Alfredo Miguéis, 1942 a 1944, Funchal, ilha da Madeira

Avenida Marginal, Funchal, Madeira. Avenida do Mar com os painéis de azulejos de Alfredo Miguéis. Cartões de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942 e execução da Fábrica Constança, 1944. Fotografia Perestrellos, 1944. Exposição D’Uma Estampa Antiga. Painéis de azulejos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, com curadoria de Martinho Mendes. Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. Pretendeu-se, com esta exposição, proporcionar aos visitantes, especialmente aos residentes, uma revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos de Alfredo Miguéis, tema que remete para o […]

Velhos Costumes Madeirenses, painel de azulejos a partir de cartão de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, a partir de litografia e execução da Fábrica Constança, 1944, Funchal, ilha da Madeira

Painel de azulejos da Avenida do Mar. Executado a partir da litografia Costume of Madeira de Sarah Bowdich (1791-1856), 1823 e 1825, pub. in Excursions in Madeira and Porto Santo, during the autumn of 1823, while on his third voyage to Africa; to which is added, by Mrs. Bowdich de Thomas Edward Bowdich e Sarah Bowdich, Londres, George B. Whittaker, Ave-Maria Lane, 1825, Inglaterra. Cartão de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, a partir dessa litografia e execução da Fábrica Constança, 1944. Fotografia Perestrelos, ABM/ARM, tirada em 1944, quando da montagem dos painéis. Exposição D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para […]

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, 1942, em exposição no Museu de Arte Sacra do Funchal, 2021, ilha da Madeira

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar. Litografia Girl grinding corn, a partir de desenho de William Samuel Pitt Springett (1818-1870), 1843. Litografia de Thomas Picken (1815-1870), 32,4 x 22,5 cm.; álbum Reccollection of Madeira, dedicado a Mrs. Geo Stoddart, Londres, Day & Haghe, Lith.rs to the Queen, 1843 (c.). Coleção da Casa-Museu Dr. Frederico de Freitas. Cartão de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, a partir desta litografia e execução da Fábrica Constança, 1944. Exposição com curadoria de Martinho Mendes. Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da […]

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, 1942, em exposição no Museu de Arte Sacra do Funchal, 2021, ilha da Madeira

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar. Cartões de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, execução da Fábrica Constança, 1944. Curadoria de Martinho Mendes. Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. Pretendeu-se, com esta exposição, proporcionar aos visitantes, especialmente aos residentes, uma revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos de Alfredo Miguéis, tema que remete para o enquadramento urbanístico da cidade do Funchal, na sua especial relação com o mar. Alfredo Vital Miguéis (Funchal, 23 abr. 1883; idem, 10 jun. […]

Inauguração da exposição D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, 1942, em exposição no Museu de Arte Sacra do Funchal, 26 de junho de 2021, ilha da Madeira

Inauguração da exposição D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar. Cartões de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, execução da Fábrica Constança, 1944. Curadoria de Martinho Mendes com o Dr. José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Legislativa Regional. Marcelino de Castro e João Henrique Silva, diretor do Museu Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. Pretendeu-se, com esta exposição, proporcionar aos visitantes, especialmente aos residentes, uma revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos de Alfredo Miguéis, tema que remete para […]

Inauguração da exposição D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, 1942, em exposição no Museu de Arte Sacra do Funchal, 29 de junho de 2021, ilha da Madeira

Inauguração da exposição D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar. Cartões de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, execução da Fábrica Constança, 1944. Curadoria de Martinho Mendes com o Dr. José Manuel Rodrigues, presidente da Assembleia Legislativa Regional. Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. Pretendeu-se, com esta exposição, proporcionar aos visitantes, especialmente aos residentes, uma revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos de Alfredo Miguéis, tema que remete para o enquadramento urbanístico da cidade do Funchal, na sua especial […]

O Património Cultura Tradicional Madeirense, através da Iconografia de Época, auditório da Casa-Museu Dr. Frederico de Freitas, 28 de setembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

O Património Cultura Tradicional Madeirense, através da Iconografia de Época. Ciclo de atividades sobra a exposição D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, cartões de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, execução da Fábrica Constança, 1944, exposição com curadoria de Martinho Mendes, Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Auditório da Casa-Museu Dr. Frederico de Freitas, 28 de setembro de 2021. Calçada de Santa Clara, Funchal, ilha da Madeira. Pretendeu-se, com esta exposição, proporcionar aos visitantes, especialmente aos residentes, uma revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos […]

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, 1942, em exposição no Museu de Arte Sacra do Funchal, 2021, ilha da Madeira

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar. Cartões de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, execução da Fábrica Constança, 1944. Curadoria de Martinho Mendes. Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. Pretendeu-se, com esta exposição, proporcionar aos visitantes, especialmente aos residentes, uma revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos de Alfredo Miguéis, tema que remete para o enquadramento urbanístico da cidade do Funchal, na sua especial relação com o mar. Alfredo Vital Miguéis (Funchal, 23 abr. 1883; idem, 10 jun. […]

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar, 1942, em exposição no Museu de Arte Sacra do Funchal, 2021, ilha da Madeira

D’Uma Estampa Antiga. Desenhos de Alfredo Miguéis para a Avenida do Mar. Cartões de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1942, execução da Fábrica Constança, 1944. Curadoria de Martinho Mendes. Museu de Arte Sacra do Funchal, 26.06 a 21.08. 2021. Rua do Bispo, Funchal, ilha da Madeira. Pretendeu-se, com esta exposição, proporcionar aos visitantes, especialmente aos residentes, uma revisitação de memórias e vivências da antiga “Avenida do Mar”, a partir dos desenhos de Alfredo Miguéis, tema que remete para o enquadramento urbanístico da cidade do Funchal, na sua especial relação com o mar. Alfredo Vital Miguéis (Funchal, 23 abr. 1883; idem, 10 jun. […]

Sala de estar da casa do Funchal, 2021, ilha da Madeira

Sala de estar da casa do Funchal. Caixa de açúcar, máscaras africanas, acrílico, mala de viagem, etc. Fotografia de 9 de novembro de 2021 (dia de anos do João). Casa da Funchal, Rua do Arcipreste, n.º 11, Funchal, ilha da Madeira.

I Jornadas do Mestrado em Estudos Regionais e Locais, Faculdade de Artes e Humanidades da UMa, 15 de novembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

I Jornadas do Mestrado em Estudos Regionais e Locais Faculdade de Artes e Humanidades da Universidade da Maadeira. Sala do Senado do Campus da Penteada, 15 de novembro de 2021. São Roque, Funchal, ilha da Madeira

O Velhão Feliz, Teatro Bolo do Caco, Madeira Street Arts, outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

O Velhão Feliz Estátua Viva do Madeira Street Arts. Teatro Bolo do Caco, 06 de outubro de 2021. Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira

Teatro Bolo do Caco no Engenho do Porto da Cruz, 22 de outubro de 2021, Porto da Cruz, ilha da Madeira

Teatro Bolo do Caco no Engenho do Porto da Cruz Teatro Bolo do Caco com Xavier Miguel, 22 de outubro de 2021. Porto da Cruz, ilha da Madeira. Cronologia: 1846 – 1852 – Destruição dos vinhedos na ilha da Madeira levando ao ressurgimento quase imediato do fabrico de açúcar e da aguardente; 1858 – fundação da fábrica por João Leal e Valentim Leal; 1863 – segundo Informações de Estatística Industrial do Districto do Funchal o capital empregado no estabelecimento era de 2:000$000 rs e o empregado no edifício 9:000$000 rs, pagando de foro 300 rs por ano; o pessoal era […]

Saramagonças da 47ª Feira do Livro do Funchal, Teatro Bolo do Caco, 13 de novembro de 2021, ilha da Madeira

Saramagonças da 47ª Feira do Livro do Funchal Feira dedicada a José Saramago (1922-2010) Teatro Bolo do Caco com Xavier Miguel, 13 de novembro de 2021. Avenida Arriaga, Funchal, ilha da Madeira. José de Sousa Saramago (Azinhaga, Alentejo; 16 nov. 1922; Lanzarote, 18 jun. 2010). Tendo emigrado com a família para Lisboa, fez aí os seus estudos liceais e técnicos, com algumas dificuldades económicas, desempenhando várias profissões como serralheiro mecânico, desenhador, tradutor e jornalista. Publicou o seu primeiro romance em 1947, Terra do Pecado, só voltando a publicar em 1966. Trabalhou depois numa editora e como crítico literário na Seara […]

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal, Juan Abreu, 12 a 21 novembro 2021, ilha da Madeira

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010) Juan Abreu, 2021. Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Ilha da Madeira José de Sousa Saramago (Azinhaga, Alentejo; 16 nov. 1922; Lanzarote, 18 jun. 2010). Tendo emigrado com a família para Lisboa, fez aí os seus estudos liceais e técnicos, com algumas dificuldades económicas, desempenhando várias profissões como serralheiro mecânico, desenhador, tradutor e jornalista. Publicou o seu primeiro romance em 1947, Terra do Pecado, só voltando a publicar em 1966. Trabalhou depois numa editora e como crítico literário na Seara Nova. Em 1972 e 1973 fez parte […]

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal, Juan Abreu, 12 a 21 novembro 2021, ilha da Madeira

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010) Juan Abreu, 2021. Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Ilha da Madeira José de Sousa Saramago (Azinhaga, Alentejo; 16 nov. 1922; Lanzarote, 18 jun. 2010). Tendo emigrado com a família para Lisboa, fez aí os seus estudos liceais e técnicos, com algumas dificuldades económicas, desempenhando várias profissões como serralheiro mecânico, desenhador, tradutor e jornalista. Publicou o seu primeiro romance em 1947, Terra do Pecado, só voltando a publicar em 1966. Trabalhou depois numa editora e como crítico literário na Seara Nova. Em 1972 e 1973 fez parte […]

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal, Juan Abreu, 12 a 21 novembro 2021, ilha da Madeira

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010) Juan Abreu, 2021. Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Ilha da Madeira José de Sousa Saramago (Azinhaga, Alentejo; 16 nov. 1922; Lanzarote, 18 jun. 2010). Tendo emigrado com a família para Lisboa, fez aí os seus estudos liceais e técnicos, com algumas dificuldades económicas, desempenhando várias profissões como serralheiro mecânico, desenhador, tradutor e jornalista. Publicou o seu primeiro romance em 1947, Terra do Pecado, só voltando a publicar em 1966. Trabalhou depois numa editora e como crítico literário na Seara Nova. Em 1972 e 1973 fez parte […]

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal, Juan Abreu, 12 a 21 novembro 2021, ilha da Madeira.

Cartaz da 47ª Feira do Livro do Funchal Dedicada a José Saramago (1922-2010) Juan Abreu, 2021. Funchal, 12 a 21 novembro 2021. Ilha da Madeira A Viagem do Elefante, de José Saramago (1922-2010), Lisboa, 2008, Portugal. Em meados do século XVI o rei D. João III (1502-1557) oferece a seu primo, o arquiduque Maximiliano da Áustria (1459-1519), genro do imperador Carlos V (1500-1558), um elefante indiano que há dois anos se encontra em Belém, vindo da Índia. Com base nesses escassos elementos, e sobretudo com uma poderosa imaginação, José Saramago (1922-2010) coloca nas mãos dos leitores esta obra excecional que […]

A Viagem do Elefante, Pantónio, Covilhã, agosto de 2013, Portugal.

A Viagem do Elefante. Painel street art ou arte urbana de Pantónio (António Correia, Açores, 1976), agosto de 2013 Covilhã, Portugal A Viagem do Elefante, de José Saramago (1922-2010), Lisboa, 2008, Portugal. Em meados do século XVI o rei D. João III (1502-1557) oferece a seu primo, o arquiduque Maximiliano da Áustria (1459-1519), genro do imperador Carlos V (1500-1558), um elefante indiano que há dois anos se encontra em Belém, vindo da Índia. Com base nesses escassos elementos, e sobretudo com uma poderosa imaginação, José Saramago (1922-2010) coloca nas mãos dos leitores esta obra excecional que é A Viagem do […]

A Viagem do Elefante, José Saramago, Lisboa, Caminho, 2008, Portugal

José Saramago, A Viagem do Elefante, (1922-2010) Lisboa, Caminho, 2008, Portugal Em meados do século XVI o rei D. João III (1502-1557) oferece a seu primo, o arquiduque Maximiliano da Áustria (1459-1519), genro do imperador Carlos V (1500-1558), um elefante indiano que há dois anos se encontra em Belém, vindo da Índia. Com base nesses escassos elementos, e sobretudo com uma poderosa imaginação, José Saramago (1922-2010) coloca nas mãos dos leitores esta obra excecional que é A Viagem do Elefante. Neste livro, escrito em condições de saúde muito precárias, não sabemos o que mais admirar – o estilo pessoal do […]

Cais do Carvão, 1890 (c.), Promenade do Lido, Funchal, ilha da Madeira

Cais do Carvão. Campanha de 1890 (c.), Gorgulho Fotografia da reabilitação de 2 de agosto de 2019. Promenade do Lido, Funchal, ilha da Madeira

Olhar Acrescentado, D’Aprés Rafael, uma cópia da Virgem do Loreto do Museu da Quinta das Cruzes, Isabel Santa Clara, 14 de novembro de 2021, ilha da Madeira.

Olhar Acrescentado, D’Aprés Rafael, uma cópia da Virgem do Loreto do Museu da Quinta das Cruzes. Rafael Sanzio (1483-1520) Visita virtual por Isabel Santa Clara, 14 de novembro, 18 horas, 2021. Organização da Associação dos Amigos do Museu da Quinta das Cruzes, Funchal, ilha da Madeira Virgem com o Menino, São José e um Anjo 0u Virgem do Loreto. Óleo sobre tela, 127 x 97,5 cm Itália, autor desconhecido, d’après Rafael Sanzio, século XVII (?). Museu Quinta das Cruzes (MQC1384), Funchal, ilha da Madeira.

Órgão Históricos do Funchal, programa de novembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Órgão Históricos do Funchal, programa de novembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

António e Isabel do Arco da Calheta: romance, João França, Imprensa Académica, Funchal, 2021, ilha da Madeira

João França, António e Isabel do Arco da Calheta: romance, João França (1908-1996). 1.ª edição, Funchal, 1985 Imprensa Académica, Funchal, 2021, ilha da Madeira.

A Máquina do Tempo do Professor Candeias, José Viale Moutinho, Imprensa Académica, Funchal, 2021, ilha da Madeira.

José Viale Moutinho, A Máquina do Tempo do Professor Candeias. (1945-) Imprensa Académica, Funchal, 2021, ilha da Madeira José Viale Moutinho – De mãe inglesa e pai português, nasceu no Funchal, a 12 de junho de 1945. Ficcionista, poeta e ensaísta, tem dedicado particular atenção à Literatura Popular Portuguesa, através de recolhas de Contos Populares, Adivinhas, Provérbios e Cancioneiros. De realçar os volumes Contos Populares Portugueses, Adivinhas Populares Portuguesas e Portugal Lendário (Reader’s Digest). São muito conhecidos os volumes de tradições que adaptou para as crianças. Membro de Honra da Real Academia Galega e antigo diretor da Sociedade Portuguesa de […]

Assistência da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris, 23 de outubro de 2021, Lisboa, Portugal.

Assistência da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris. Encadernações, super-livros e relacionados Rua Almirante Pessanha, n.º 1, ao Sacramento, no Bairro Alto/Chiado, 23 de outubro de 2021 Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia e bibliografia […]

Assistência da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris, 23 de outubro de 2021, Lisboa, Portugal.

Assistência da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris. Encadernações, super-livros e relacionados Rua Almirante Pessanha, n.º 1, ao Sacramento, no Bairro Alto/Chiado, 23 de outubro de 2021 Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia e bibliografia […]

Abertura da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris, 23 de outubro de 2021, Lisboa, Portugal.

Abertura da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris. Encadernações, super-livros e relacionados Rua Almirante Pessanha, n.º 1, ao Sacramento, no Bairro Alto/Chiado, 23 de outubro de 2021 Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia e bibliografia […]

Abertura da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris, 23 de outubro de 2021, Lisboa, Portugal.

Abertura da conferência de Segismundo Ramires Pinto na Academia Portuguesa de Ex-Libris. Encadernações, super-livros e relacionados Rua Almirante Pessanha, n.º 1, ao Sacramento, no Bairro Alto/Chiado, 23 de outubro de 2021 Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia e bibliografia […]

Convite da Academia Portuguesa de Ex-Libris para exposição e conferência de Segismundo Ramires Pinto, 23 de outubro de 2021, Lisboa, Portugal.

Convite da Academia Portuguesa de Ex-Libris para exposição e conferência de Segismundo Ramires Pinto. Encadernações, super-livros e relacionados Rua Almirante Pessanha, n.º 1, ao Sacramento, no Bairro Alto/Chiado, 23 de outubro de 2021 Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia […]

Boletim da Academia Portuguesa de Ex Libris, Lisboa, 1955 e seguintes, Portugal.

Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris. Lisboa, 1955 e seguintes. Fundação da Academia a 12 de outubro de 1952. Sede na Rua Jasmim, 14, 1.º, ao Príncipe Real, Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia e bibliografia em geral. Tem […]

Academia Portuguesa de Ex Libris, fundação a 12 de outubro de 1952, Lisboa, Portugal.

Academia Portuguesa de Ex-Libris. Fundação a 12 de outubro de 1952. Sede na Rua Jasmim, 14, 1.º, ao Príncipe Real, Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia e bibliografia em geral. Tem a sua sede na Rua Jasmim, 14, 1.º, […]

Academia Portuguesa de Ex Libris, fundação a 12 de outubro de 1952, Lisboa, Portugal.

Academia Portuguesa de Ex-Libris. Fundação a 12 de outubro de 1952. Sede na Rua Jasmim, 14, 1.º, ao Príncipe Real, Lisboa, Portugal. A associação e, depois, a Academia Portuguesa de Ex Libris, nasceu na década de 1950, com a reunião de uma série de colecionadores e de interessados em ex-libris, sendo a fundação de 12 de outubro de 1952, tendo, a partir de 1955, sido publicada uma revista, o Boletim da Academia Portuguesa de Ex-Libris, abrindo esse espaço não apenas aos ex-libris, mas também à heráldica, genealogia e bibliografia em geral. Tem a sua sede na Rua Jasmim, 14, 1.º, […]

Pormenor do relevo do túmulo do funcionário Tjetji do The British Museum, governo de faraós da XI Dinastia, 2020 a.C. (c.), exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Pormenor do relevo do túmulo do funcionário Tjetji. Funcionário dos faraós da XI Dinastia Wahankh Inyotef II, 2102-2063 a.C., Nakhtnebtepnefer Inyotef III, 2063-2055 a.C. e Nebhepetre Mentuhotep II, 2055-2004 a.C., mas este referido sumariamente. Quartzite esculpida, 148 x 105 cm.; 109 quilogramas. Proveniente de Tebas e adquirida em 1903. The British Museum (EA614). Exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Relevo do túmulo do funcionário Tjetji do The British Museum, governo de faraós da XI Dinastia, 2020 a.C. (c.), exposição Faraón Rei de Egipto, Madrid, 2018, Espanha

Relevo do túmulo do funcionário Tjetji. Funcionário dos faraós da XI Dinastia Wahankh Inyotef II, 2102-2063 a.C., Nakhtnebtepnefer Inyotef III, 2063-2055 a.C. e Nebhepetre Mentuhotep II, 2055-2004 a.C., mas este referido sumariamente. Quartzite esculpida, 148 x 105 cm.; 109 quilogramas. Proveniente de Tebas e adquirida em 1903. The British Museum (EA614). Exposição Faraón Rei de Egipto, Madrid, 2018, Espanha

Thoth como babuíno do The British Museum, governo do faraó Amenhotep III, 1388 a 1351 ou 1350 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Thoth como babuíno. Cinocéfalo, palavra grega para o babuíno sagrado do Egito, por ter sua face semelhante à do cão, mas que passou à mitologia cristã como monstro híbrido, com corpo de homem e cabeça de cão. Quartzite vermelha esculpida, 68,5 x 38,5 x 45 cm.; 180 quilogramas. Reinado do faraó da XVIII Dinastia Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Adquirida em 1833. The British Museum (EA38). Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de Barcelona, 18 de agosto de 2019, Espanha. Thoth é o deus egípcio do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Na […]

Thoth como babuíno do The British Museum, governo do faraó Amenhotep III, 1388 a 1351 ou 1350 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Saragoça, 2021, Espanha

Thoth como babuíno. Cinocéfalo, palavra grega para o babuíno sagrado do Egito, por ter sua face semelhante à do cão, mas que passou à mitologia cristã como monstro híbrido, com corpo de homem e cabeça de cão. Quartzite vermelha esculpida, 68,5 x 38,5 x 45 cm.; 180 quilogramas. Reinado do faraó da XVIII Dinastia Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Adquirida em 1833. The British Museum (EA38). Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de Àngel de Castro, Saragoça, 2021, Espanha Thoth é o deus egípcio do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Na arte, […]

Thoth como babuíno do The British Museum, governo do faraó Amenhotep III, 1388 a 1351 ou 1350 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Saragoça, 2021, Espanha

Thoth como babuíno. Cinocéfalo, palavra grega para o babuíno sagrado do Egito, por ter sua face semelhante à do cão, mas que passou à mitologia cristã como monstro híbrido, com corpo de homem e cabeça de cão. Quartzite vermelha esculpida, 68,5 x 38,5 x 45 cm.; 180 quilogramas. Reinado do faraó da XVIII Dinastia Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Adquirida em 1833. The British Museum (EA38). Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de Àngel de Castro, Saragoça, 2021, Espanha Thoth é o deus egípcio do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Na arte, […]

Thoth como babuíno do The British Museum, governo do faraó Amenhotep III, 1388 a 1351 ou 1350 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Thoth como babuíno. Cinocéfalo, palavra grega para o babuíno sagrado do Egito, por ter sua face semelhante à do cão, mas que passou à mitologia cristã como monstro híbrido, com corpo de homem e cabeça de cão. Quartzite vermelha esculpida, 68,5 x 38,5 x 45 cm.; 180 quilogramas. Reinado do faraó da XVIII Dinastia Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Adquirida em 1833. The British Museum (EA38). Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de Barcelona, 18 de agosto de 2019, Espanha. Thoth é o deus egípcio do conhecimento, da sabedoria, da escrita, da música e da magia. Na […]

Estátua do funcionário Sennefer do The British Museum, governo do faraó Amenhotep II, 1427-1400 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Madrid, 2018, Espanha

Estátua do funcionário Sennefer Diorito negro esculpido, gravado e polido, 90 x 38 x 54 cm.; 450 quilogramas. XVIII Dinastia, faraó Amenhotep II, 1427-1400 a.C. Proveniente de Tebas, Alto Egipto arcaico. The British Museum (EA48), Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de Madrid, 2018, Espanha. Sennefer foi um poderoso funcionário do governo egípcio durante o reinado do faraó Amenhotep II. O seu alto cargo permitiu a execução desta escultura, uma “estátua cubo” que representa um homem sentado e envolto num manto, referência ao renascimento do deus Osíris depois da morte. O faraó, por vezes, mandava colocar estátuas dos seus principais […]

Estátua do funcionário Sennefer do The British Museum, governo do faraó Amenhotep II, 1427-1400 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Estátua do funcionário Sennefer Diorito negro esculpido, gravado e polido, 90 x 38 x 54 cm.; 450 quilogramas. XVIII Dinastia, faraó Amenhotep II, 1427-1400 a.C. Proveniente de Tebas, Alto Egipto arcaico. The British Museum (EA48), Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de Barcelona, 16 de agosto de 2019, Espanha. Sennefer foi um poderoso funcionário do governo egípcio durante o reinado do faraó Amenhotep II. O seu alto cargo permitiu a execução desta escultura, uma “estátua cubo” que representa um homem sentado e envolto num manto, referência ao renascimento do deus Osíris depois da morte. O faraó, por vezes, mandava colocar […]

Estátua do funcionário Sennefer do The British Museum, governo do faraó Amenhotep II, 1427-1400 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Estátua do funcionário Sennefer Diorito negro esculpido, gravado e polido, 90 x 38 x 54 cm.; 450 quilogramas. XVIII Dinastia, faraó Amenhotep II, 1427-1400 a.C. Proveniente de Tebas, Alto Egipto arcaico. The British Museum (EA48), Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de Barcelona, 18 de agosto de 2019, Espanha. Sennefer foi um poderoso funcionário do governo egípcio durante o reinado do faraó Amenhotep II. O seu alto cargo permitiu a execução desta escultura, uma “estátua cubo” que representa um homem sentado e envolto num manto, referência ao renascimento do deus Osíris depois da morte. O faraó, por vezes, mandava colocar […]

Pormenor da jamba da porta do túmulo do general Horemheb do British Museum, Egipto, 1336 a 1327 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Pormenor da jamba da porta do túmulo do general Horemheb. (c. 1319-1292 a.C.) Calcário branco esculpido, 182 x 42 x 15 cm.; 255 quilogramas. 1336 a 1327 a.C. Proveniente de Saqqara, Menfis, Baixo Egipto. The British Museum (EA552), Exposição Faraón Rei de Egipto, Madrid, 2018, Espanha Horemheb (c. 1319-1292 a.C.) foi general do exército do reinado de Tutankamon (c. 1341-1332-1323 a.C.) e de Ay (1323-1319 a.C.), acedeu ao trono durante o período de instabilidade política que se seguiu dos faraós anteriores. Governou o país depois durante quase 30 anos, construindo 2 túmulos. O primeiro, em Saqqara, que nunca se usou e, […]

Pormenor da jamba da porta do túmulo do general Horemheb do British Museum, Egipto, 1336 a 1327 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Pormenor da jamba da porta do túmulo do general Horemheb. (c. 1319-1292 a.C.) Calcário branco esculpido, 182 x 42 x 15 cm.; 255 quilogramas. 1336 a 1327 a.C. Proveniente de Saqqara, Menfis, Baixo Egipto. The British Museum (EA552), Exposição Faraón Rei de Egipto, Madrid, 2018, Espanha Horemheb, (c. 1319-1292 a.C.) foi general do exército do reinado de Tutankamon (c. 1341-1332-1323 a.C.) e de Ay (1323-1319 a.C.), acedeu ao trono durante o período de instabilidade política que se seguiu dos faraós anteriores. Governou o país depois durante quase 30 anos, construindo 2 túmulos. O primeiro, em Saqqara, que nunca se usou e, […]

Jamba da porta do túmulo do general Horemheb do British Museum, Egipto, 1336 a 1327 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Jamba da porta do túmulo do general Horemheb. (c. 1319-1292 a.C.) Calcário branco esculpido, 182 x 42 x 15 cm.; 255 quilogramas. 1336 a 1327 a.C. Proveniente de Saqqara, Menfis, Baixo Egipto. The British Museum (EA552), Exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha Horemheb, (c. 1319-1292 a.C.) foi general do exército do reinado de Tutankamon (c. 1341-1332-1323 a.C.) e de Ay (1323-1319 a.C.), acedeu ao trono durante o período de instabilidade política que se seguiu dos faraós anteriores. Governou o país depois durante quase 30 anos, construindo 2 túmulos. O primeiro, em Saqqara, que nunca se usou e, um segundo, no […]

Inauguração do segundo troço do Comboio do Monte, 2 de agosto de 1894, Funchal, ilha da Madeira

Inauguração do segundo troço do Comboio do Monte. Entrada dos convidados do Caminho de Ferro para o comboio com a assistência de força militar. Caminho-de-ferro do Monte. Funchal, 2 de agosto de 1894, segundo troço. Photographia-Museu Vicentes, Funchal, ilha da Madeira.

Senhoras em automóvel de passeio pela ilha da Madeira, 1930 (c.), ilha da Madeira

Senhoras em automóvel de passeio pela ilha da Madeira. Turistas ?. Fotografia da coleção Eduardo Góis Ferreira, 1930 (c.) Divulgada em Madeira Quase Esquecida. Ilha da Madeira.

Automóvel na Avenida do Mar frente à Grande Pensão Phenix, 1942 (c.), Funchal, ilha da Madeira.

Automóvel na Avenida do Mar frente à Grande Pensão Phenix. Antero Jardim e João Henriques da Casa Leacok Alvenaria mista pintada, 1942 (c.). Fotografia de 1942 (c.) divulgada in Madeira Quase Esquecida. Avenida do Mar, Funchal, ilha da Madeira.

Garagem, oficina e stand de venda de automóveis da Rua dos Ferreiros, 1936, Funchal, ilha da Madeira.

Garagem, oficina e stand de venda de automóveis. Anúncios da Essex Motores Alvenaria mista pintada, 1930 (c.). Arquitetura Modernista e Brutalista, depois integrada no espaço do logradouro do Instituto do Vinho. Fotografia de 1936 do Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, divulgada in Madeira Quase Esquecida. Rua dos Ferreiros, nº 152, Funchal, ilha da Madeira. Edifício que passou, em 2015, a loja de artesanato do Instituto do Vinho.

Placa da Rotunda Bernard Harvey Foster, 2015, Pontinha, Funchal, ilha da Madeira

Placa da Rotunda Bernard Harvey Foster (1876-1937) O primeiro condutor de automóvel na Madeira 1904. Inaugurada a 17 de março de 2015. Pontinha, Funchal, ilha da Madeira. Bernard Harvey Foster (1876-1937) foi o proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, utilizado nas deslocações do casal Bernard e Mona Beatrice Foster durante a sua estadia no Funchal, onde chegaram no vapor “Briton”, a 30 de dezembro de 1903, só chegou a 21 de janeiro de 1904, no vapor “Dahomey” e saiu, para Inglaterra, a 24 de maio de 1904, com a família Foster. Ficaram, […]

Baixo relevo da Rotunda Harvey Foster, bronze de Ricardo Velosa, inaugurado a 17 de março de 2015, Pontinha, Funchal, ilha da Madeira

Baixo relevo da Rotunda Harvey Foster (1876-1937) O primeiro Automóvel na Madeira Bernard Harvey Foster, 1904. Bronze de Ricardo Velosa (1947-), inaugurado a 17 de março de 2015. Fotografia de Paulo Camacho, março de 2015. Pontinha, Funchal, ilha da Madeira. Bernard Harvey Foster (1876-1937) foi o proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, utilizado nas deslocações do casal Bernard e Mona Beatrice Foster durante a sua estadia no Funchal, onde chegaram no vapor “Briton”, a 30 de dezembro de 1903, só chegou a 21 de janeiro de 1904, no vapor “Dahomey” e saiu, […]

Portefólio da exposição Harvey Foster, Peça em destaque, 24 de junho de 2020, Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, Funchal, ilha da Madeira

Portefólio da exposição Harvey Foster, Peça em destaque. Máquina fotográfica utilizada na visita ao Funchal em 1904, oferecida pelos netos de Harvey Foster, Jane Lay Tolofson e Mike D. Lay ao Museu em 2015. Bernard Harvey Foster (1876-1937), proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira, nos primeiros meses de 1904. Fotografia de Luís Rocha, 24 de junho de 2020. Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, Funchal, ilha da Madeira. O primeiro automóvel a circular na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, que foi utilizado nas deslocações do casal Bernard e Mona Beatrice Foster durante a sua estadia […]

Exposição Harvey Foster, Peça em destaque, Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, Funchal, 24 de junho de 2020, ilha da Madeira

Exposição Harvey Foster, Peça em destaque. Máquina fotográfica utilizada na visita ao Funchal em 1904, oferecida pelos netos de Harvey Foster, Jane Lay Tolofson e Mike D. Lay ao Museu em 2015. Bernard Harvey Foster (1876-1937), proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira, nos primeiros meses de 1904. Com Filipe Bettencourt, Teresa Freitas Brasão e Eduardo Jesus. Fotografia de Luís Rocha, 24 de junho de 2020. Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, Funchal, ilha da Madeira. O primeiro automóvel a circular na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, que foi utilizado nas deslocações do casal Bernard e […]

O primeiro automóvel na Madeira, Eduardo Jesus, Funchal, Ordem dos Economistas, março de 2015, ilha da Madeira

Eduardo Jesus, O primeiro automóvel na Madeira, Funchal, Ordem dos Economistas, março de 2015, ilha da Madeira. Capa com casal Bernard e Mona Beatrice Foster em automóvel na Estrada Monumental, Funchal, fotografia de Vicente Gomes da Silva (filho) (1857-1933), 17 de maio de 1904. Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, Funchal, ilha da Madeira O economista madeirense Eduardo Jesus (1969-) lançou, a 17 de março de 2015, o livro “O primeiro automóvel na Madeira”, um Wolseley 10 h.p., de 1904, propriedade de Bernard Harvey Foster (1876-1937). É resultado de um grande trabalho de investigação que o ex-presidente da delegação […]

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster em automóvel na Estrada Monumental, Funchal, 17 de maio de 1904, ilha da Madeira

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster em automóvel na Estrada Monumental. Bernard Harvey Foster (1876-1937), proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira e, ao lado, o acompanhante que afastava os curiosos, evitando acidentes. Fotografia de Vicente Gomes da Silva (filho) (1857-1933), 17 de maio de 1904. Photographia-Museu Vicentes (Inv. VIC 5183), que serviu de capa ao livro O primeiro automóvel na Madeira, de Eduardo Jesus, Funchal, Ordem dos Economistas, 2015. Pontinha, Funchal, ilha da Madeira. O primeiro automóvel a circular na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, utilizado nas deslocações do casal Bernard e Mona Beatrice Foster durante […]

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster em automóvel no jardim do Reid’s New Hotel, Funchal, 18 de maio de 1904, ilha da Madeira

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster no jardim do Reid’s New Hotel. No banco de trás, a ama com o bebé e, ao lado, o acompanhante que afastava os curiosos, evitando acidentes Bernard Harvey Foster (1876-1937), proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira. Fotografia de Vicente Gomes da Silva (filho) (1857-1933), 18 de maio de 1904. Photographia-Museu Vicentes, ainda havendo uma outra fotografia desta ocasião (Inv. 003-24649b foster vic). São Martinho, Funchal, ilha da Madeira. Essencial Madeira, Essencial Heritage, ilha da Madeira O primeiro automóvel a circular na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, utilizado nas deslocações do […]

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster em automóvel no jardim do Reid’s New Hotel, Funchal, 18 de maio de 1904, ilha da Madeira

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster no jardim do Reid’s New Hotel. No banco de trás, a ama com o bebé e, ao lado, o acompanhante que afastava os curiosos, evitando acidentes Bernard Harvey Foster (1876-1937), proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira. Fotografia de Vicente Gomes da Silva (filho) (1857-1933), 18 de maio de 1904. Photographia-Museu Vicentes (Inv. 003-24649b foster vic), ainda havendo uma outra fotografia desta ocasião. Pontinha, Funchal, ilha da Madeira. O primeiro automóvel a circular na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, utilizado nas deslocações do casal Bernard e Mona Beatrice Foster durante a […]

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster em automóvel na estrada da Pontinha, Funchal, 17 de maio de 1904, ilha da Madeira

Casal Bernard e Mona Beatrice Foster em automóvel na estrada da Pontinha. Bernard Harvey Foster (1876-1937), proprietário do primeiro automóvel que circulou na Madeira e, ao lado, o acompanhante que afastava os curiosos, evitando acidentes. Fotografia de Vicente Gomes da Silva (filho) (1857-1933), 17 de maio de 1904. Photographia-Museu Vicentes (Inv. antigo VIC 25.042) Pontinha, Funchal, ilha da Madeira. O primeiro automóvel a circular na Madeira, um Wolseley 10 h.p., de 1904, utilizado nas deslocações do casal Bernard e Mona Beatrice Foster durante a sua estadia no Funchal, onde chegaram no vapor “Briton”, a 30 de dezembro de 1903, só […]

Porta pintada da Zona Velha do Funchal, 2016, Funchal, ilha da Madeira

Projeto Portas Pintadas Técnica mista e óleo sobre madeira, 2016. Fotografia de 4 de julho de 2019. Projeto Portas Pintadas, Rua de Santa Maria, 95, Funchal, ilha da Madeira. O projeto Portas Pintadas na Rua de Santa Maria Maior foi lançado por João Carlos Abreu (1935; ) após se reformar de secretário regional do Turismo e Cultura, voltando assim à Zona Velha onde começara a sua vida de empresário do ramo da restauração, tornando-se um assinalável êxito e voltando a equacionar a área como importante polo de animação turística e de lazer. A Comissão multidisciplinar de Requalificação e Embelezamento da […]

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Futuro, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Futuro. Pico Ruivo. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Futuro, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Futuro. Pico Ruivo. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Futuro, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Futuro. Pico Ruivo. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado. Rápido da Ribeira Brava. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado. Transportes da Memória. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado. (1959-) Trabalho de abril e maio de 2018. Fotografia Alyd van den Huevel, outubro de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado, maio de 2018, Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira.

Mural da Rodoeste de Marcos Milewski, Os Horários do Passado. Transportes da Memória. (1959-) Fotografia Rodoeste, maio de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Marcos Milewski a trabalhar no mural da Rodoeste, 10 de abril de 2018, Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira.

Marcos Milewski a trabalhar no mural da Rodoeste. (1959-) Fotografia Na Hora, 10 de abril de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Marcos Milewski a trabalhar no mural da Rodoeste, 10 de abril de 2018, Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira.

Marcos Milewski a trabalhar no mural da Rodoeste. (1959-) Fotografia Na Hora, 10 de abril de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Marcos Milewski a trabalhar no mural da Rodoeste, 10 de abril de 2018, Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira.

Marcos Milewski a trabalhar no mural da Rodoeste. (1959-) Fotografia Na Hora, 10 de abril de 2018. Rua Dr. Pestana Júnior (Campo da Barca), Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira. Rodoeste, empresa criada em março de 1964.

Art Center Caravel, setembro de 2020, Rua D. Carlos, 19 A, Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira

Art Center Caravel, Fotografia de setembro de 2020. Rua D. Carlos, 19 A, Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira

Marcos Milewski e Eduardo Jesus, Art Center Caravel, 2 de setembro de 2020, Funchal, ilha da Madeira

Marcos Milewski e Eduardo Jesus, secretário regional de Turismo e Cultura. (1959-) (1969-) Art Center Caravel, 2 de setembro de 2020. Rua D. Carlos, 19 A, Santa Maria Maior, Funchal, ilha da Madeira

Bordadeiras, mural de Marcos Milewski, junho de 2018, Funchal, ilha da Madeira

Bordadeiras. Óleo sobre parede. Marcos Milewski (Córdova, Argentina, 18 jan. 1959; -), junho de 2018. Fotografia de 2019. Patrício & Gouveia, Sucs., Rua do Anadia, Funchal, ilha da Madeira.

Bordadeiras, mural de Marcos Milewski, 2019, Funchal, ilha da Madeira

Bordadeiras. Óleo sobre parede. Marcos Milewski (Córdova, Argentina, 18 jan. 1959; -), junho de 2018. Fotografia de Don Amaro, Madeira, 2019. Rua do Anadia, Funchal, ilha da Madeira.

Bordadeiras, mural de Marcos Milewski, junho de 2018, Funchal, ilha da Madeira

Bordadeiras. Óleo sobre parede. Marcos Milewski (Córdova, Argentina, 18 jan. 1959; -), junho de 2018. Fotografia de junho de 2018. Rua do Anadia, Funchal, ilha da Madeira.

Bordadeiras, mural de Marcos Milewski, junho de 2018, Funchal, ilha da Madeira

Bordadeiras. Óleo sobre parede. Marcos Milewski (Córdova, Argentina, 18 jan. 1959; -), junho de 2018. Fotografia de junho de 2018. Rua do Anadia, Funchal, ilha da Madeira.

(Des)Memórias de Desastre, A Rua, óleo de Marcos Milewski, 2013, Funchal, ilha da Madeira.

(Des)Memórias de Desastre, A Rua. Óleo sobre tela. Marcos Milewski (Córdova, Argentina, 18 jan. 1959 -), 2013. Funchal, ilha da Madeira.

Capitel de Hathor do templo de Tell Basta do The British Museum, reinado de Osorkon II, 874-850 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Capitel Hathor Granito vermelho esculpido, 195 x 80 x 84 cm.; 1991 quilogramas. 5.º faraó da XXII Dinastia, 874-850 a.C. Proveniente do templo de Tell Basta, Bubastis, Delta do Nilo, The British Museum (EA1107), adquirido em 1891. Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de 16 de agosto de 2019, Barcelona, Espanha. Hator era a deusa da vida, da maternidade e felicidade, por vezes representada como uma vaca, simbolizando seu aspeto maternal e celestial, mas a forma mais comum é de uma mulher usando um adereço de cabeça com chifres de vaca envolvendo um disco solar.

Capitel de Hathor do templo de Tell Basta do The British Museum, reinado de Osorkon II, 874-850 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Madrid, 2018, Espanha

Capitel Hathor Granito vermelho esculpido, 195 x 80 x 84 cm.; 1991 quilogramas. 5.º faraó da XXII Dinastia, 874-850 a.C. Proveniente do templo de Tell Basta, Bubastis, Delta do Nilo, The British Museum (EA1107), adquirido em 1891. Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de 31 de dezembro de 2018, Madrid, Espanha. Hator era a deusa da vida, da maternidade e felicidade, por vezes representada como uma vaca, simbolizando seu aspeto maternal e celestial, mas a forma mais comum é de uma mulher usando um adereço de cabeça com chifres de vaca envolvendo um disco solar.

Capitel de Hathor do templo de Tell Basta do The British Museum, reinado de Osorkon II, 874-850 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Madrid, 2018, Espanha

Capitel Hathor Granito vermelho esculpido, 195 x 80 x 84 cm.; 1991 quilogramas. 5.º faraó da XXII Dinastia, 874-850 a.C. Proveniente do templo de Tell Basta, Bubastis, Delta do Nilo, The British Museum (EA1107), adquirido em 1891. Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de 16 de agosto de 2018, Madrid, Espanha. Hator era a deusa da vida, da maternidade e felicidade, por vezes representada como uma vaca, simbolizando seu aspeto maternal e celestial, mas a forma mais comum é de uma mulher usando um adereço de cabeça com chifres de vaca envolvendo um disco solar.

Relevo do faraó Osorkon II do Egito na festa Sed do The British Museum, 874 a 850 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Relevo do faraó Osorkon II na festa Sed. Osorcon II, reinando entre 874 a 850 a.C. Granito vermelho esculpido, 113 x 165 x 54 cm.; 1800 quilogramas. 5.º faraó da XXII Dinastia, 874-850 a.C. Proveniente do templo de Tell Basta, Bubastis, Delta do Nilo, adquirido em 1891. The British Museum (EA1105). Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de 18 de agosto de 2019, Barcelona, Espanha. A Festa Sed era uma celebração documentada em todos os períodos da história de Egipto e que servia para comemorar os primeiros 30 anos de reinado de um faraó, mas o que não foi aqui […]

Relevo do faraó Osorkon II do Egito na festa Sed do The British Museum, 874 a 850 a.C., exposição Faraón Rei de Egipto, Barcelona, 2019, Espanha

Relevo do faraó Osorkon II na festa Sed. Osorcon II, reinando entre 874 a 850 a.C. Granito vermelho esculpido, 113 x 165 x 54 cm.; 1800 quilogramas. 5.º faraó da XXII Dinastia, 874-850 a.C. Proveniente do templo de Tell Basta, Bubastis, Delta do Nilo, adquirido em 1891. The British Museum (EA1105). Exposição Faraón Rei de Egipto, fotografia de 16 de agosto de 2019, Barcelona, Espanha. A Festa Sed era uma celebração documentada em todos os períodos da história de Egipto e que servia para comemorar os primeiros 30 anos de reinado de um faraó, mas o que não foi aqui […]

Baleia do Campo da Barca, mural de Marcos Milewski, novembro de 2017, Funchal, ilha da Madeira

Baleia do Campo da Barca. Óleo sobre parede. Marcos Milewski (Córdova, Argentina, 18 Jan. 1959; -), novembro de 2017. Autossilo do Campo da Barca, Funchal, ilha da Madeira. Projeto encomendado pela Câmara Municipal do Funchal, em setembro de 2017 e por ajuste direto, por cerca de 10 mil e poucos euros, mas envolvendo 2 monumentais murais, ficando o outro na parede norte do autossilo. Os murais estavam prontos em final de novembro desse ano e, rapidamente, tornaram-se emblemáticos da arte urbana da cidade.

Teto do Teatro Municipal, Luigi Manini, 1887 e repintura de Alfredo Miguéis de 1940 (c.), ilha da Madeira.

Teto do Teatro Municipal do Funchal. Luigi Manini (1848-1936), 1887 e repintura de Alfredo Miguéis (1883-1943), 1940 (c.). Fotografia de São Gonçalves de 2021. Teto do Teatro Municipal do Funchal, ilha da Madeira. Luigi Manini (1848-1936). Nascido em Cremona, a 8 de março de 1848, num meio social de parcos recursos e sob as dificuldades da onda revolucionária nacionalista que alastrava em Itália, veio a frequentar um curso de ornatos em Milão e entrar, muito novo, para o atelier de Giovanni Zaffeva, como aprendiz. Visitou depois várias cidades do sul de França, onde decorou residências várias, vindo a estabelecer-se, a […]

Bordadeiras, mural de Marcos Milewski, junho de 2018, Funchal, ilha da Madeira

Bordadeiras. Óleo sobre parede. Marcos Milewski (Córdova, Argentina, 18 jan. 1959; -), junho de 2018. Fotografia de Esmeralda Lourenço, 6 de novembro de 2021. Rua do Anadia, Funchal, ilha da Madeira.

Planta dos Fortes da Ribeira dos Socorridos e de Câmara de Lobos com as plantas da foz da ribeira e da Vila de Câmara de Lobos, António Pedro de Azevedo, 1841, ilha da Madeira

Planta dos Fortes da Ribeira dos Socorridos e Camara de Lobos: Reducto do Pastel, Forte de N. S.ª da Victoria, R. da Ribeira dos Socorridos com planta da área, Forte de S. Sebastião de Camara de Lobos com Planta da Vila de Câmara de Lobos Est. 11.ª do Reconhecimento Militar da Ilha da Madeira de 1841. Tinta-da-china e aguarela sobre papel, 26 x 18 cm. A. P. d’ Azd.º ; António Pedro de Azevedo, capitão de Engenheiros (1812-1889), 1841. Direcção do Serviço de Infra-Estruturas do Exército, GEAEM, Lisboa, Portugal.

Planta da ilha da Madeira, Leonardo Turriani ou Torreano, 1587 a 1592 (c.), Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra, Portugal

Madera. Desenho sobre papel, 14,4 x 23,5 cm. Escala gráfica 11,9 cm. = 20 Miglia (c. 1/650.000). In Descrittione et Historia del regno de l’Isole Canarie giá Dette Fortunate com il parere delle loro fortificationi, 113, Leonardo Turriano ou Leonardo Torriani (1559/60-1628), 1587 a 1592 (c.) Biblioteca Geral da Universidade de Coimbra (Mss. 314).

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo, Funchal, fevereiro de 2018, ilha da Madeira.

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo. Fotografia Rui Marote, fevereiro de 2018. Rua do Aljube, Funchal, ilha da Madeira. Gonçalo Nuno Malheiro de Araújo (1931; -). Engenheiro civil pelo Instituto Superior Técnico, viria a trabalhar nos serviços de obras e, depois, de habitação da câmara municipal de Lisboa, de onde transitou para a do Funchal, onde trabalhou no Gabinete de Urbanização, de 1967 a 1971. Viria a integrar o primeiro governo regional, sendo depois responsável pelo Fundo de Fomento de Habitação.

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo e Dr.ª Carmo Araújo, Funchal, fevereiro de 2018, ilha da Madeira.

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo e Dr.ª Carmo Araújo. Fotografia Rui Marote, Fevereiro de 2018. Rua do Aljube, Funchal, ilha da Madeira. Gonçalo Nuno Malheiro de Araújo (1931; -). Engenheiro civil pelo Instituto Superior Técnico, viria a trabalhar nos serviços de obras e, depois, de habitação da câmara municipal de Lisboa, de onde transitou para a do Funchal, onde trabalhou no Gabinete de Urbanização, de 1967 a 1971. Viria a integrar o primeiro governo regional, sendo depois responsável pelo Fundo de Fomento de Habitação. Dr.ª Maria do Carmo Rodrigues Dória Monteiro de Araújo (1937-), Desenvolveu então a sua atividade profissional […]

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo e Dr.ª Carmo Araújo, Funchal, 2018, ilha da Madeira.

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo e Dr.ª Carmo Araújo. Fotografia Rui Marote, Fevereiro de 2018. Rua do Aljube, Funchal, ilha da Madeira. Gonçalo Nuno Malheiro de Araújo (1931; -). Engenheiro civil pelo Instituto Superior Técnico, viria a trabalhar nos serviços de obras e, depois, de habitação da câmara municipal de Lisboa, de onde transitou para a do Funchal, onde trabalhou no Gabinete de Urbanização, de 1967 a 1971. Viria a integrar o primeiro governo regional, sendo depois responsável pelo Fundo de Fomento de Habitação. Dr.ª Maria do Carmo Rodrigues Dória Monteiro de Araújo (1937-), Desenvolveu então a sua atividade profissional […]

A Pesca da Baleia nos Açores, João Adriano Ribeiro, separata Islenha 22, 2008, ilha da Madeira

João Adriano Ribeiro, A Pesca da Baleia nos Açores, separata Islenha 22, Funchal, DRAC, jun. dez. 2008. Capa Calcamar, 2008, ilha da Madeira. João Adriano Ribeiro (1953-2018)

António Fournier, Mudas, 2018, Calheta, ilha da Madeira.

António Fournier  (1966-2019) Mudas, 2018. Calheta, ilha da Madeira

António Fournier, Turim, 2015, Itália

António Fournier  (1966-2019) Turim, 2015, Itália

António Fournier, Turim, 19 de outuro de 2011, Itália

António Fournier (1966-2019). Fotografia Sete Margens de 19 de outuro de 2011. Turim, Itália

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo mostrando o projeto do porto do Porto Santo ao general Ramalho Eanes, 30 de julho de 1977, Porto Santo.

Eng. Gonçalo Nuno de Araújo mostrando o projeto do porto do Porto Santo ao general Ramalho Eanes, 30 de julho de 1977, Porto Santo. Com Dr.ª Margarida Neves da Costa Fotografia DN, 30 de julho de 1977. Ilha da Madeira. Gonçalo Nuno Malheiro de Araújo (1931; -). Engenheiro civil pelo Instituto Superior Técnico, viria a trabalhar nos serviços de obras e, depois, de habitação da câmara municipal de Lisboa, de onde transitou para a do Funchal, onde trabalhou no Gabinete de Urbanização, de 1967 a 1971. Viria a integrar o primeiro governo regional, sendo depois responsável pelo Fundo de Fomento […]

As Mulheres do Meu País, Maria Lamas, 1948 a 1950, Lisboa: Editora Actuális, 1953, Portugal

Maria Lamas, As Mulheres do Meu País, Lisboa: Editora Actuális, 1953 (encadernação), Portugal (1893-1983) As Mulheres do Meu País foi publicado em fascículos, de maio de 1948 a maio de 1950, um fascículo por mês, que traçou o retrato minucioso da condição da mulher em Portugal nos anos 1940. A obra pretendia apresentar a situação de “como vivem e trabalham as mulheres portuguesas“, demonstrando que contrariamente à imagem de “dona de casa” promovida pelo regime, trabalhar fora de casa era a realidade de uma grande parte das mulheres portuguesas: “No povo, não há, praticamente, mulheres domésticas”, “quando não são operárias, […]

Maria Lamas, fotografia de Eduardo Gageiro, 1979, Portugal

Maria Lamas (1893-1983) Fotografia de Eduardo Gageiro (1935-), 1979. Lisboa, Portugal. Maria Lamas (1893-1983), foi uma das principais ativistas portuguesas dos direitos das mulheres, de seu nome completo, Maria da Conceição Vassalo e Silva (Torres Novas, 6 out. 1893-Lisboa, 6 dez. 1983), era a irmã mais velha de Manuel António Vassalo e Silva (Torres Novas, 8 nov. 1899; Lisboa, 11 ago. 1985), último governador do Estado Português da Índia, passando a usar o apelido Lamas, depois de breve casamento. Diretora e fundadora da revista Modas e Bordados, foi perseguida pela PIDE e tendo estado detida em Caxias em 1949, 1950-1951, […]

Dr.ª Carolina Beatriz Ângelo e Ana de Castro Osório, Lisboa, 1911, Ilustração Portuguesa, Portugal

 Dr.ª Carolina Beatriz Ângelo e Ana de Castro Osório A primeira mulher a votar em Portugal e na Europa. Ilustração Portuguesa, 1911. Lisboa, Portugal. Carolina Beatriz Ângelo (Guarda, 1877; Lisboa, 1911) nasceu na Guarda e, tendo casado com um republicano, abraçou a causa, frequentando o Liceu e, em Lisboa, nas Escolas Politécnica e Médico-Cirúrgica, onde concluiu o curso de Medicina em 1902. Tendo enviuvado, inscreveu-se como eleitora por ocasião das eleições para a Assembleia Constituinte, em 1911. Não lhe aceitando a inscrição, recorreu em tribunal, alegando que era cidadã portuguesa, chefe de família e instruída, sendo-lhe reconhecido o direito de […]

Comissão Central do Movimento Nacional Democrático de 1949, com Virgínia Moura e Maria Lamas, Porto, Portugal

Comissão Central do Movimento Nacional Democrático de 1949, com Virgínia Moura e Maria Lamas. António Areosa Feio, Albertino Macedo, Virgínia Moura, Rui Luís Gomes, Maria Lamas e José Morgado. Porto, Portugal Em 13 de fevereiro de 1949 surge no Porto o pró-comunista Movimento Nacional Democrático, constituído pelas comissões de apoio à candidatura de Norton de Matos que não aceitaram a dissolução por este determinada. Começou então, no seio da oposição, uma dialética entre os democratas atlantistas e os anti-fascistas proto-comunistas que foi aproveitada pelo situacionismo de modo eficaz. O movimento começa pela emissão de um manifesto, logo em maio de 1949, […]

George Day Welsh nas relações entre a Madeira e os Estados Unidos da América, José Manuel de Abreu, Tese de Mestrado apresentada à Universidade da Madeira, Funchal, 2004, ilha da Madeira

José Manuel de Abreu, George Day Welsh nas relações entre a Madeira e os Estados Unidos da América. George Day Welsh (1876-1853) Tese de Mestrado orientado pelo Professor Doutor João Adriano Ribeiro (1953-2018), Departamento de Estudos Anglísticos e Germanísticos, Universidade da Madeira, Funchal, 2004, ilha da Madeira George Day Welsh (1876-1853) natural de Filadélfia, já se encontrava na Madeira a 17 Mar. 1808, quando obtém salvo-conduto ou passaporte de William Carr Beresford (1786-1854) para circular entre a Madeira e as Canárias. Tinha então 22 anos, altura de 5 pés e 8 polegadas (1,85 m.), de fraca compleição e cabelo preto […]

Pormenor do retrato do faraó Tutmósis III, 1479 a.C., The British Museum, exposição Faraón, Rey de Egipto, Madrid, 2018, Espanha

Pormenor da cabeça de Tutmosis III Retrato esculpido em limolita verde, 60 cm.; 41 kg de peso. Egito, Novo Reino, 18th Dynasty, XVIII Dinastia, 1479 a.C. Procedente de Karnak, Egipto. The British Museum (EA 986), fotografia da exposição de Madrid, 2018, Espanha. Tutmosis III, filho de Tutmosis II e da jovem princesa secundária, sucedeu à tia Hatshepsut que era filha de Tutmosis I e mulher do seu pai Tutmosis II, que assumiu a regência com a morte do marido e em corregência com o jovem sobrinho. Poucos anos depois, no entanto, a rainha assumiu todos os títulos reais e os […]

Faraó Amenhotep III, 1350 a.C. (c.), Egipto, The British Museum, exposição de Madrid, 2018, Espanha

Tutmosis III Retrato esculpido em limolita verde, 60 cm.; 41 kg de peso. Egito, Novo Reino, 18th Dynasty, XVIII Dinastia, 1479 a.C. Procedente de Karnak, Egipto. The British Museum (EA 986) Em segundo plano, a cabeça de Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Esteatite roxa esculpida, 24 x 33 x 33 cm.; 9,8 quilogramas. Faraó da XVIII Dinastia, Egipto, 1350 a.C. (c.), adquirida em 1899. The British Museum (EA30448), Londres, Inglaterra. Fotografia da exposição de Madrid, 22 de agosto de 2018, Espanha. Tutmosis III, filho de Tutmosis II e da jovem princesa secundária, sucedeu à tia Hatshepsut que […]

Faraó Tutmósis III, 1479 a.C., The British Museum, exposição Faraón, Rey de Egipto, Madrid, 2018, Espanha

Tutmosis III Retrato esculpido em limolita verde, 60 cm.; 41 kg de peso. Egito, Novo Reino, 18th Dynasty, XVIII Dinastia, 1479 a.C. Procedente de Karnak, Egipto. The British Museum (EA 986), fotografia da exposição de Madrid, 2018, Espanha. Tutmosis III, filho de Tutmosis II e da jovem princesa secundária, sucedeu à tia Hatshepsut que era filha de Tutmosis I e mulher do seu pai Tutmosis II, que assumiu a regência com a morte do marido e em corregência com o jovem sobrinho. Poucos anos depois, no entanto, a rainha assumiu todos os títulos reais e os atributos, proclamando-se faraó e […]

Faraó Amenhotep III, 1350 a.C. (c.), Egipto, The British Museum, Madrid, 2018, Espanha

Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Esteatite roxa esculpida, 24 x 33 x 33 cm.; 9,8 quilogramas. Faraó da XVIII Dinastia, Egipto, 1350 a.C. (c.) Adquirida em 1899. The British Museum (EA30448), Londres, Inglaterra. Ftografia de 2018, Madrid, Espanha. Fotografia da exposição em Madrid e Barcelona, Faraón, Rey de Egipto, de 2018 e 2019, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Faraó Amenhotep III, 1350 a.C. (c.), Egipto, The British Museum, Barcelona, 2019, Espanha

Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Esteatite roxa esculpida, 24 x 33 x 33 cm.; 9,8 quilogramas. Faraó da XVIII Dinastia, Egipto, 1350 a.C. (c.) Adquirida em 1899. The British Museum (EA30448), Londres, Inglaterra. Ftografia de 6 de agosto de 2019, Barcelona, Espanha. Fotografia da exposição em Barcelona e Madrid, Faraón, Rey de Egipto, de 2018 e 2019, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Faraó Amenhotep III, 1350 a.C. (c.), Egipto, The British Museum, Barcelona, 2019, Espanha

Amenhotep III (1388 a 1351 ou 1350 a.C.) Esteatite roxa esculpida, 24 x 33 x 33 cm.; 9,8 quilogramas. Faraó da XVIII Dinastia, Egipto, 1350 a.C. (c.) Adquirida em 1899. The British Museum (EA30448), Londres, Inglaterra. Ftografia de 6 de agosto de 2019, Barcelona, Espanha. Fotografia da exposição em Barcelona e Madrid, Faraón, Rey de Egipto, de 2018 e 2019, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto, 2055-2004 a.C. (c.), The British Museum, Londres, Inglaterra

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto. Arenito esculpido e pintado, 77 x 21 x 31 cm.; 50 quilogramas. XII dinastia, 2055-2004 a.C. (c.) Proveniente do templo de Mentuhotep, Deir el-Bahri, Alto Egipto. The British Museum (EA720), Londres, Inglaterra. Peça que circulou em Espanha pela exposição em Madrid e Barcelona, Faraón, Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, 2018 e 2019, e outras, entre 2020 e 2021, custeadas pela Fundação CaixaForum e com a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto, 2055-2004 a.C. (c.), The British Museum, Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, Barcelona, 2019, Espanha

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto. Arenito esculpido e pintado, 77 x 21 x 31 cm.; 50 quilogramas. XII dinastia, 2055-2004 a.C. (c.) Proveniente do templo de Mentuhotep, Deir el-Bahri, Alto Egipto. The British Museum (EA720), Londres, Inglaterra. Fotografia de 16 de agosto de 2019. Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, Barcelona, 2019, Espanha. Exposição em Madrid e Barcelona, Faraón, Rey de Egipto, 2018 e 2019, custeada pela Fundação CaixaForum e com a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto, 2055-2004 a.C. (c.), The British Museum, Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, Barcelona, 2019, Espanha

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto. Arenito esculpido e pintado, 77 x 21 x 31 cm.; 50 quilogramas. XII dinastia, 2055-2004 a.C. (c.) Proveniente do templo de Mentuhotep, Deir el-Bahri, Alto Egipto. The British Museum (EA720) Em segundo plano, Faraó Thutmosis III ou Tutemis III, c. 1479-1425 a.C. The British Museum, Londres, Inglaterra. Fotografia de 16 de agosto de 2019. Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, Barcelona, 2019, Espanha. Exposição em Madrid e Barcelona, Faraón, Rey de Egipto, 2018 e 2019, custeada pela Fundação CaixaForum e com a colaboração do The British Museum, através […]

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto, 2055-2004 a.C. (c.), The British Museum, Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, Madrid, 2018, Espanha

Faraó Mentuhotep com a coroa branca de unificação do Egipto. Arenito esculpido e pintado, 77 x 21 x 31 cm.; 50 quilogramas. XII dinastia, 2055-2004 a.C. (c.) Proveniente do templo de Mentuhotep, Deir el-Bahri, Alto Egipto. The British Museum (EA720) Em segundo plano, Faraó Seti II em majestade com o emblema do deus Amun-Ra (c. 1233-1200-1194 a.C.) Quartzito esculpido, 164 x 49 x 85 cm.; 698 kgs. XIX dinastia, 1215 a.C. (c.) Proveniente de escavação no templo de Mut, Karnak, Tebas, tendo vindo para Inglaterra em 1823, British Museum, Londres, Inglaterra. The British Museum, Londres, Inglaterra. Exposição Faraón Rey de […]

Escultura de faraó da época Ptolomaica, não acabada, 305 a 30 a.C., The British Museum, exposição de Madrid, Faraón, Rey de Egipto, 2018, Espanha

Escultura de faraó da época Ptolomaica. Não acabada, 305 a 30 a.C. The British Museum, Londres, Inglaterra. Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, Madrid, 2018, Espanha. Exposição em Barcelona e Madrid, Faraón, Rey de Egipto, de 2018 e 2019, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças.

Escultura de faraó da época Ptolomaica, não acabada, 305 a 30 a.C., The British Museum, exposição de Madrid, Faraón, Rey de Egipto, 2018, Espanha

Escultura de faraó da época Ptolomaica. Não acabada, 305 a 30 a.C. Em segundo plano, Faraó Seti II em majestade com o emblema do deus Amun-Ra (c. 1233-1200-1194 a.C.) Quartzito esculpido, 164 x 49 x 85 cm.; 698 kgs. XIX dinastia, 1215 a.C. (c.) Proveniente de escavação no templo de Mut, Karnak, Tebas, tendo vindo para Inglaterra em 1823, British Museum, Londres, Inglaterra. The British Museum, Londres, Inglaterra. Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”, Madrid, 2018, Espanha. Seti II era filho de Merneptá, Meremptá, Merenptah ou Merneptah (-1203-1213 a.C.) e neto de Ramessés II, o Grande (c. 1303-1279-1213 […]

Faraós com a coroa branca da unificação do Egipto, 2055 a 30 a.C. The British Museum, exposição Faraón Rey de Egipto, Saragoça, 2021, Espanha

Faraós com a coroa branca da unificação do Egipto, 2055 a 30 a.C. Cabeças do faraó Mentuhotep II, XII dinastia, 2055-2004 a.C. (c.), Thutmosis III ou Tutemis III, c. 1479-1425 a.C. e escultura de faraó da época Ptolomaica, não acabada, 305 a 30 a.C. The British Museum, Londres, Inglaterra. Exposição Faraón Rey de Egipto, Fundación “la Caixa”. Saragoça, Espanha. Fotografia da exposição na Galiza, Faraón, Rey de Egipto, de 2021, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Faraós com a coroa branca da unificação do Egipto, 2055 a 30 a.C. The British Museum, exposição Faraón Rei de Exipto, Gaiás, 2021, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha

Faraós com a coroa branca da unificação do Egipto, 2055 a 30 a.C. Cabeças do faraó Mentuhotep II, XII dinastia, 2055-2004 a.C. (c.), Thutmosis III ou Tutemis III, c. 1479-1425 a.C. e escultura de faraó da época Ptolomaica, não acabada, 305 a 30 a.C. The British Museum, Londres, Inglaterra. Exposição Faraón Rei de Exipto, do 27 de marzo ao 15 de agosto de 2021. Museo Centro Gaiás, andar 2, fotografia de Xaime Cortizo/Fundación “la Caixa”. Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha. Fotografia da exposição na Galiza, Faraón, Rey de Egipto, de 2021, custeada pela Fundação CaixaForum e a […]

Exposição Faraón, Rey de Egipto, Girona, 2021, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças

Exposição Faraón, Rey de Egipto, Girona, 2021 Deus Re-Horakhty, proveniente de Tell el-Maskhuta, 1270 a.C. (c.), cabeça do faraó Thutmosis III ou Tutemis III, c. 1479-1425a.C. e escultura de faraó da época Ptolomaica, não acabada, 305 a 30 a.C. Exposição de Girona, Faraón, Rey de Egipto, de 2018 e 2019, e 2021, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças. Na cartela ovalada, a indicação Re-Horakhty, significando “Re-Horus dos horizontes“, a união entre Ra, deus do sol, e Horus, deus do céu. Durante los 66 anos de reinado de Ramsés II realizou-se um […]

Amon-Ra, prata sobredourada, Egito, 1069 a 664 a.C., The British Museum, exposição de Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, 2021 em Espanha

Amon-Ra Prata sobredourada, Karnak, Tebas, Egito, 1069 a 664 a.C. The British Museum, Londres, Inglaterra. Exposição Faraón Rei de Exipto, do 27 de marzo ao 15 de agosto de 2021. Museo Centro Gaiás, andar 2, fotografia de Xaime Cortizo/Fundación “la Caixa”. Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha. Fotografia da exposição na Galiza, Faraón, Rey de Egipto, de 2021, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo, 664-332 a.C., British Museum, exposição Faraón Rei de Exipto, Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo. Bronze, 664-332 a.C., British Museum. Exposição Faraón, Rey de Egipto, Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças. Versão da exposição Faraón Rei de Exipto, do 27 de marzo ao 15 de agosto de 2021. Museo Centro Gaiás, andar 2, fotografia de Xaime Cortizo/Fundación “la Caixa” Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha. Através de estátuas e monumentos, os faraós construíram com esmero as suas identidades e projetaram uma imagem idealizada de si mesmos, como guerreiros poderosos, protetores do Egipto contra os seus […]

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo, 664-332 a.C., British Museum, exposição Faraón Rei de Exipto, Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo. Bronze, 664-332 a.C., British Museum. Exposição Faraón, Rey de Egipto, Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças. Versão da exposição Faraón Rei de Exipto, do 27 de marzo ao 15 de agosto de 2021. Museo Centro Gaiás, andar 2, fotografia de Xaime Cortizo/Fundación “la Caixa” Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha. Através de estátuas e monumentos, os faraós construíram com esmero as suas identidades e projetaram uma imagem idealizada de si mesmos, como guerreiros poderosos, protetores do Egipto contra os seus […]

Faraón, Rei de Exipto, versão de 2021, Gaiás, Santiago de Compostela, Galicia, Espanha

Faraón, Rey de Egipto, versão de 2021, Gaiás, Galiza, Faraón Rei de Exipto, Do 27 de marzo ao 15 de agosto de 2021. Museo Centro Gaiás, andar 2 Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha. Exposição custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças, com várias versões em Madrid, Barcelona, etc., com imagem do Ushebti do faraó Seti I do The British Museum, 1290 a.C. Ushebti é um termo egípcio que significa “os que respondem” e são pequenas estatuetas que, no Egito Antigo, se depositavam na tumba do defunto. A maioria são feitas […]

Rainha Hatshepsut do Egito, 1479 a 1457 a.C., British Museum, exposição Faraón, Rey de Egipto, Gaiás, Santiago de Compostela, 2021, Galiza, Espanha

Rainha Hatshepsut (1507-1473-1458 a.C.) Pedra-sabão esculpida e policromada, 51 x 44,5 x 29 cm. XVIII dinastia, reinado de Hatshepsut (1473-1458 a.C.), 1479 a 1457 a.C. British Museum, Londres, Inglaterra. Fotografia de Xaime Cortizo/Fundación “la Caixa” Exposição Faraón, Rey de Egipto, Gaiás, Santiago de Compostela, 2021, Galiza, Espanha Hatshepsut era filha de Tutmosis I e mulher de Tutmosis II, assumindo a regência com a morte do marido e em coregência com o jovem sobrinho Tutmosis III, filho de Tutmosis II e a também jovem princesa secundária. Poucos anos depois, a rainha assumiu todos os títulos reais e atributos, proclamando-se faraó e […]

Estátua do deus Re-Horakhty, 1270 a.C. (c.), British Museum, exposição Faraón, Rey de Egipto, versão de Gaiás, Santiago de Compostela, 2021, Galiza, Espanha

Estátua do deus Re-Horakhty Esteatite esculpida, 94 x 39 x 72 cm.; 320 quilogramas Proveniente de Tell el-Maskhuta, 1270 a.C. (c.), Egito The British Museum (EA1006). Fotografia de Xaime Cortizo/Fundación la Caixa Exposição Faraón, Rey de Egipto, versão de 2021, Gaiás, Santiago de Compostela, Galiza, Espanha. Na cartela ovalada, a indicação Re-Horakhty, significando “Re-Horus dos horizontes“, a união entre Ra, deus do sol, e Horus, deus do céu. Durante los 66 anos de reinado de Ramsés II realizou-se um vasto programa de construção de templos que se estendeu muito além d Egipto e chegou à Núbia. Estátuas como esta transmitiam […]

Marechal Józef Pilsudski, 1920 (c.), Polónia

Marechal Józef Pilsudski. (1867-1935) Fotografia de 1920 (c.) Polónia. Józef Pilsudski (Zulów, Lituânia, 5 dez. 1867; Varsóvia, 12 maio 1935). Marechal de campo polaco, foi o primeiro chefe de estado da segunda república da Polónia, de 1918 a 1922, sendo, depois, de 1926 a 1935, ditador da Segunda República. Das mais proeminentes figuras políticas polacas de seu tempo, talvez o grande responsável pelo ressurgimento da Polónia moderna, quando afastado, retirou-se para a Madeira a 22 de dezembro de 1930, onde chegou a bordo do “Angola“, tendo residido na Quinta Bettencourt até finais de março de 1931. Atribui-se-lhe a frase: Bendita […]

Marechal Józef Pilsudski e acompanhante em automóvel na entrada da cidade do Funchal, 22 de dezembro de 1930, ilha da Madeira

Marechal Józef Pilsudski e acompanhante em automóvel na entrada da cidade do Funchal. (1867-1935) Negativo simples, película; gelatina sal de prata, 12,3 x 16,9 cm. Fotografia Perestrellos, 22 de dezembro de 1930. ABM, MFM-AV, Inv. PER/1005, Funchal, ilha da Madeira Józef Pilsudski (Zulów, Lituânia, 5 dez. 1867; Varsóvia, 12 maio 1935). Marechal de campo polaco, foi o primeiro chefe de estado da segunda república da Polónia, de 1918 a 1922, sendo, depois, de 1926 a 1935, ditador da Segunda República. Das mais proeminentes figuras políticas polacas de seu tempo, talvez o grande responsável pelo ressurgimento da Polónia moderna, quando afastado, […]

Marechal Józef Pilsudski junto ao quiosque da entrada da cidade do Funchal, acompanhado pelo capitão Eduardo António dos Santos Pereira e pela sua comitiva, 22 de dezembro de 1930, ilha da Madeira

Marechal Józef Pilsudski junto ao quiosque da entrada da cidade do Funchal, acompanhado pelo capitão Eduardo António dos Santos Pereira e pela sua comitiva. (1867-1935) Eduardo António dos Santos Pereira (1878-1953) Negativo simples, película; gelatina sal de prata, 12,3 x 16,9 cm. Fotografia Perestrellos, 22 de dezembro de 1930. ABM, MFM-AV, Inv. PER/1004, Funchal, ilha da Madeira Józef Pilsudski (Zulów, Lituânia, 5 dez. 1867; Varsóvia, 12 maio 1935). Marechal de campo polaco, foi o primeiro chefe de estado da segunda república da Polónia, de 1918 a 1922, sendo, depois, de 1926 a 1935, ditador da Segunda República. Das mais proeminentes […]

Marechal Józef Pilsudski, acompanhado pelo capitão Eduardo António dos Santos Pereira e pela sua comitiva, no cais da entrada da cidade do Funchal, 22 de dezembro de 1930, ilha da Madeira

Marechal Józef Pilsudski, acompanhado pelo capitão Eduardo António dos Santos Pereira e pela sua comitiva, no cais da entrada da cidade do Funchal. (1867-1935) Eduardo António dos Santos Pereira (1878-1953) Negativo simples, película; gelatina sal de prata, 12,3 x 16,9 cm. Fotografia Perestrellos, 22 de dezembro de 1930. ABM, MFM-AV, Inv. PER/1003, Funchal, ilha da Madeira Józef Pilsudski (Zulów, Lituânia, 5 dez. 1867; Varsóvia, 12 maio 1935). Marechal de campo polaco, foi o primeiro chefe de estado da segunda república da Polónia, de 1918 a 1922, sendo, depois, de 1926 a 1935, ditador da Segunda República. Das mais proeminentes figuras […]

Marechal Józef Pilsudski, acompanhado pela sua comitiva, numa embarcação que os transportou do navio “Angola” até ao cais do Funchal, 22 de dezembro de 1930, ilha da Madeira

Marechal Józef Pilsudski, acompanhado pela sua comitiva, numa embarcação que os transportou do navio “Angola” até ao cais do Funchal. (1867-1935) De costas, o então capitão Eduardo António dos Santos Pereira (1878-1953) Negativo simples, película; gelatina sal de prata, 12,3 x 16,9 cm. Fotografia Perestrellos, 22 de dezembro de 1930. ABM, MFM-AV, Inv. PER/1001, Funchal, ilha da Madeira Józef Pilsudski (Zulów, Lituânia, 5 dez. 1867; Varsóvia, 12 maio 1935). Marechal de campo polaco, foi o primeiro chefe de estado da segunda república da Polónia, de 1918 a 1922, sendo, depois, de 1926 a 1935, ditador da Segunda República. Das mais […]

Governar em Ditadura. Elites e decisão política nas ditaduras da era do fascismo, António Costa Pinto (org.), Lisboa, Imprensa de Ciências Sociais, 2018, Portugal

Governar em Ditadura. Elites e decisão política nas ditaduras da era do fascismo António Costa Pinto (org.), Lisboa, ‎ Imprensa de Ciências Sociais, 15 de novembro de 2018. Os ditadores não governam sozinhos, existindo sempre uma elite governante e instituições políticas nos seus regimes. Este livro explora uma área pouco desenvolvida do estudo das ditaduras fascistas e de direita: a estrutura de poder. A velha e rica tradição de estudos sobre as elites pode dizer-nos muito sobre a estrutura e o funcionamento do poder político nas ditaduras associadas ao fascismo, quer através dos modelos de recrutamento da elite política que […]

António Correia Caldeira Coelho e o Orfeão Académico da Universidade de Coimbra, programa do espectáculo de 6 de março de 1910, Palácio de Cristal, Porto, Portugal

António Correia Caldeira Coelho e o Orfeão Académico da Universidade de Coimbra. Festa em benefício do Jardim-Escola João de Deus.  Programa do espectáculo de 6 de março de 1910 no Palácio de Cristal, Porto. No fim de semana de 5 e 6 de março de 1910, o Orpheon e a Tuna, com Alberto Lopes Ideias, António Deslandes Correia Caldeira Coelho (1888-1979), Isidro Carlos Aranha Gonçalves e Firmino d’Azevedo (do grupo dramático), fizeram dois espectáculos: um em Aveiro e outro no Porto. Coleção Dr. João Baeta, Portugal. António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, […]

António Correia Caldeira Coelho e o Orfeão Académico da Universidade de Coimbra, programa do espectáculo de 6 de março de 1910, Palácio de Cristal, Porto, Portugal

António Correia Caldeira Coelho e o Orfeão Académico da Universidade de Coimbra. Festa em benefício do Jardim-Escola João de Deus.  Programa do espectáculo de 6 de março de 1910 no Palácio de Cristal, Porto. No fim de semana de 5 e 6 de março de 1910, o Orpheon e a Tuna, com Alberto Lopes Ideias, António Deslandes Correia Caldeira Coelho (1888-1979), Isidro Carlos Aranha Gonçalves e Firmino d’Azevedo (do grupo dramático), fizeram dois espectáculos: um em Aveiro e outro no Porto. Coleção Dr. João Baeta, Portugal. António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, […]

Conferência Temática Internacional Inquisição. Um tema a não esquecer, Auditório Agostinho da Silva, 8 de novembro de 2021, Universidade Lusófona, Lisboa, Portugal.

Conferência Temática Internacional Inquisição. Um tema a não esquecer. Nos 200 anos da Extinção do Santo Ofício. Auditório Agostinho da Silva, 8 de novembro de 2021, Universidade Lusófona, Lisboa, Portugal.

Sarau, 6 de novembro de 2021, Grupo de Fados da Associação Académica da UMa, Reitoria da Universidade da Madeira, Funchal, ilha da Madeira

Sarau, 6 de novembro de 2021, antigo Colégio dos Jesuítas do Funchal Fatum. Grupo de Fados da Associação Académica da UMa. Fotografia da Associação Académica da Universidade da Madeira. Reitoria da Universidade da Madeira, Funchal, ilha da Madeira.

A Protecção Legal aos Monumentos Nacionais, António Correia Caldeira Coelho, Lisboa, Tipografia do Comércio, 1923, Portugal

António Correia Caldeira Coelho, Advogado, A Protecção Legal aos Monumentos Nacionaes, Conferência pronunciada na Sessão Solene da Associação dos Advogados de Lisboa em 20 de novembro de 1922 e repetida na Associação dos Arqueólogos Portugueses (Bases para um projeto de lei),  Lisboa, Tipografia do Comércio, 1923 (1888-1979). Antiga coleção particular de Alfredo Pimenta, Biblioteca Municipal de Ponte de Lima, Portugal António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em Lisboa no seio da média burguesia alta, a 22 dez. 1888. Seria, depois, advogado, magistrado judicial e diplomata, tal como, pontualmente, governador civil do […]

De San Lourenço, Prosas do Estio e do Outono,  Jaime Câmara, Funchal, 1932, ilha da Madeira

Jayme Câmara, De San Lourenço, Prosas do Estio e do Outono,  Funchal, 1932, ilha da Madeira (1881-1946) Com dedicatória ao governador António Correia Caldeira Coelho (1888-1979). Coleção particular, Lisboa, Portugal Jaime Sanches Câmara (Funchal, 13 Mar. 1881; idem, 24 Dez. 1946). Filho de António José Câmara e de Helena Celina Gomes Câmara, foi chefe da Estação Meteorológica do Funchal e ajudante de conservador do Registo Predial, tendo-se dedicado à poesia e ao jornalismo, com larga obra editada, mantendo acesas polémicas com outros poetas locais. António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em […]

António Correia Caldeira Coelho e a Tuna Académica da Universidade de Coimbra, dezembro de 1910 (c.), Portugal

António Correia Caldeira Coelho e a Tuna Académica da Universidade de Coimbra, 1910-1911, antes da partida para Espanha Como delegado da direção, sentado na 2ª fila, sendo o 3º a contar da direita (1888-1979). Era então membro do grupo dramático de Direito e, em 1912-1913, quando a Tuna visitou a Madeira, era o presidente da mesma Fotografia J. M. dos Santos, 2, Avenida Navarro, Coimbra, dezembro de 1910 (c.) Antiga coleção Vera Futscher Pereira (1953-2019), Lisboa, Portugal António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em Lisboa no seio da média burguesia alta, […]

António Correia Caldeira Coelho e a Tuna Académica da Universidade de Coimbra, dezembro de 1910 (c.), Portugal

António Correia Caldeira Coelho e a Tuna Académica da Universidade de Coimbra, 1910-1911, antes da partida para Espanha Como delegado da direção, sentado na 2ª fila, sendo o 3º a contar da direita (1888-1979). Era então membro do grupo dramático de Direito e, em 1912-1913, quando a Tuna visitou a Madeira, era o presidente da mesma Fotografia J. M. dos Santos, 2, Avenida Navarro, Coimbra, dezembro de 1910 (c.) Antiga coleção Vera Futscher Pereira (1953-2019), Lisboa, Portugal António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em Lisboa no seio da média burguesia alta, […]

Edifício do Café Funchal no Largo da Sé após as obras mandadas demolir pela Câmara Municipal do Funchal, outubro de 1966, Funchal, ilha da Madeira

Edifício do Café Funchal no Largo da Sé. Após as obras mandadas demolir pela Câmara Municipal do Funchal no quadro da montagem do Gabinete do Plano de Urbanismo do Arq. José Rafael Botelho (1923-) e a pedido do Dr. António Aragão (1921-2008). Fotografia Perestrelos, outubro de 1966. Núcleo do Dr. António Aragão da coleção do Arquivo Regional da Madeira, Funchal, ilha da Madeira. António Manuel de Sousa Aragão Mendes Correia (São Vicente, ilha da Madeira, 21 set. 1921; Funchal, 11 ago. 2008). Filho de Henrique Agostinho Aragão Mendes Correia e de Maria José de Sousa, frequentou o Liceu Jaime Moniz, […]

Espólio e cerâmicas de António Aragão (atr.), 1965 (c.), Quinta Magnólia, Centro Cultural, 20 de julho de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Espólio e cerâmicas de Aragão (atr.) António Aragão (1921-2008), 1965 (c.). Escritório da exposição Pensar Aragão, mais ou menos exactamente. 17 Artistas + 1. Curadoria de Carlos Valente e coordenação de Teresa Klut. Catálogo da Quinta Magnólia, Centro Cultural, 20 de julho de 2021, p. 127. Funchal, ilha da Madeira. António Manuel de Sousa Aragão Mendes Correia (São Vicente, ilha da Madeira, 22 set. 1921; Funchal, 11 ago. 2008). Filho de Henrique Agostinho Aragão Mendes Correia e de Maria José de Sousa, frequentou o Liceu Jaime Moniz, a Escola Superior de Belas Artes e licenciou-se em Ciências Históricas-Filosóficas pela Faculdade […]

António Correia Caldeira Coelho e a direção da Academia, 1907-1908, 7º ano do Curso dos Liceus, Évora, 2 de dezembro de 1907, Portugal

António Correia Caldeira Coelho e a direção da Academia, 1907-1908, 7º ano do Curso dos Liceus Sentado, à direita (1888-1979) Fotografia Ricardo Santos & Filha, estabelecido em novembro de 1888, então como Photographia Lisbonense e dado com ex-colaborador de Carlos Relvas (1838-1894), na Rua Ancha, 66 e, em 1892, na Rua de Aviz, 24. Évora, 2 de dezembro de 1907. Antiga coleção Vera Futscher Pereira (1953-2019), Lisboa, Portugal António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em Lisboa no seio da média burguesia alta, a 22 dez. 1888. Seria, depois, advogado, magistrado judicial […]

António Correia Caldeira Coelho e a direção da Academia, 1907-1908, 7º ano do Curso dos Liceus, Évora, 2 de dezembro de 1907, Portugal

António Correia Caldeira Coelho e a direção da Academia, 1907-1908, 7º ano do Curso dos Liceus Sentado, à direita (1888-1979) Fotografia Ricardo Santos & Filha, estabelecido em novembro de 1888, então como Photographia Lisbonense e dado com ex-colaborador de Carlos Relvas (1838-1894), na Rua Ancha, 66 e, em 1892, na Rua de Aviz, 24. Évora, 2 de dezembro de 1907. Antiga coleção Vera Futscher Pereira (1953-2019), Lisboa, Portugal António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em Lisboa no seio da média burguesia alta, a 22 dez. 1888. Seria, depois, advogado, magistrado judicial […]

António Correia Caldeira Coelho e as irmãs, 1895 (c.), Lisboa, Portugal

António Correia Caldeira Coelho e as irmãs Rosita e Zeca (1888-1979) Retrato Duquesinho Chic Elegante. Fotografia Bastos, sucessores, Eduardo Novaes, Calçada do Duque, 25, Lisboa, 1895 (c.) Antiga coleção Vera Futscher Pereira (1953-2019), Lisboa, Portugal  António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em Lisboa no seio da média burguesia alta, a 22 dez. 1888. Seria, depois, advogado, magistrado judicial e diplomata, tal como, pontualmente, governador civil do Funchal, mas em cuja função, na complexa consolidação e progressiva centralização do Estado Novo, embora num aparente quadro de boa aceitação local e, inclusivamente, com […]

António Correia Caldeira Coelho e as irmãs, 1895 (c.), Lisboa, Portugal

António Correia Caldeira Coelho e as irmãs Rosita e Zeca (1888-1979) Fotografia Bastos, sucessores, Eduardo Novaes, 1895 (c.) Antiga coleção Vera Futscher Pereira (1953-2019), Lisboa, Portugal  António Correia Caldeira Coelho (1888-1979), de seu nome completo, António Deslandes Correia Caldeira Coelho, nasceu em Lisboa no seio da média burguesia alta, a 22 dez. 1888. Seria, depois, advogado, magistrado judicial e diplomata, tal como, pontualmente, governador civil do Funchal, mas em cuja função, na complexa consolidação e progressiva centralização do Estado Novo, embora num aparente quadro de boa aceitação local e, inclusivamente, com largos elogios ao seu desempenho, não se conseguiria manter […]

Jornadas Europeias do Património 2021, folheto Dar a Ver da DSMPC/DRC, visita guiada à Igreja do Colégio, 30 de setembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Jornadas Europeias do Património 2021. Folheto Dar a Ver da DSMPC/DRC, visita guiada à Igreja de São João Evangelista do Colégio. Francisco Clode e Rita Rodrigues, 30 de setembro de 2021, às 21h:00. Funchal, ilha da Madeira.

Edifício do Café Funchal no Largo da Sé, obras de 1966 mandadas demolir pela Câmara do Funchal, ilha da Madeira.

Edifício do Café Funchal no Largo da Sé. Obras de 1966, mandadas demolir pela Câmara Municipal do Funchal no quadro da montagem do Gabinete do Plano de Urbanismo do Arq. José Rafael Botelho (1923-) e a pedido do Dr. António Aragão (1921-2008). Fotografia Perestrelos. Pub. in Imagens do Funchal Urbano 1966, núcleo do Dr. António Aragão da coleção do Arquivo Regional da Madeira, organização e introdução de Jorge Valdemar Guerra, Série Coleção Iconográfica, Funchal, DRAC, 2013, ilha da Madeira. António Manuel de Sousa Aragão Mendes Correia (São Vicente, ilha da Madeira, 21 set. 1921; Funchal, 11 ago. 2008). Filho de […]

Terceira conversa do Ciclo Aragão através de registos fílmicos; a liberdade de experimentar. O Poeta do Olhar, Fortaleza do Pico, 2 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Terceira conversa do Ciclo Aragão através de registos fílmicos; a liberdade de experimentar. O Poeta do Olhar de Luís Tranquada, 2020 Programação de Ana Gandum Eduardo Pestana in Diário de Notícias, Funchal, 2 de outubro de 2021 Sala multiusos da Fortaleza de São João Batista do Pico, 2 de outubro de 2021, Funchal, ilha da Madeira. No âmbito das Comemorações do Centenário de Nascimento de António Aragão a Secretaria Regional de Turismo e Cultura promove uma série de três conversas sobre a liberdade de experimentar em António Aragão a partir da projeção de registos fílmicos. À projeção segue-se uma conversa […]

Dr. Eduardo Jesus na apresentação do Ciclo Aragão através de registos fílmicos; a liberdade de experimentar, Fortaleza do Pico, 17 de setembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira.

Dr. Eduardo Jesus na apresentação do Ciclo Aragão através de registos fílmicos; a liberdade de experimentar. Programação de Ana Gandum Sala multiusos da Fortaleza de São João Batista do Pico, 17 de setembro de 2021, Funchal, ilha da Madeira. No âmbito das Comemorações do Centenário de Nascimento de António Aragão a Secretaria Regional de Turismo e Cultura promove uma série de três conversas sobre a liberdade de experimentar em António Aragão a partir da projeção de registos fílmicos. À projeção segue-se uma conversa em formato mesa-redonda com o realizador do documentário Bruno Santos, o antropólogo Jorge Freitas Branco, o historiador Rui […]

Jantar de homenagem a Gago Coutinho e Sacadura Cabral, Palácio de São Lourenço, Funchal, 25 de março de 1921, ilha da Madeira

Jantar de homenagem a Gago Coutinho e Sacadura Cabral. Palácio de São Lourenço, Funchal, 22 de março de 1921. Museu-Photographia Vicentes, Funchal, ilha da Madeira. A viagem Lisboa-Funchal foi feita pelos pilotos Artur Sacadura Cabral (1881-1924), Gago Coutinho (1869-1959) e Ortins de Bettencourt (1892-1969), acompanhados do mecânico francês Roger Soubiran (c. 1890-1979), num F 3, com motores Rolls-Royce, e serviu de ensaio para a que aqueles 2 primeiros pilotos efetuariam no ano seguinte entre Lisboa e o Rio de Janeiro.

Autores do Arquipélago, Poesia, Paulo Sá Braz, in Re-Nhau-Nhau, Funchal, 30 de setembro de 1952, ilha da Madeira

Autores do Arquipélago, Poesias, Rogério Óscar Mota Correia (1908-1991), António Aragão (Correia, 1921-2008), Carlos Cristóvão (da Câmara Leme Escórcio de Bettencourt, 1924-1998), Florival de Passos (Florival dos Passos, 1914-1989), Rebelo de Quental (1931-2013), Manuel Silvério Pereira (1903-1970), Herberto Helder (1930-2015) e Jorge Freitas (1921-1960). Eco do Funchal (direção de Maria Mendonça), outubro de 1952, ilha da Madeira. Caricaturas de Paulo Sá Braz (1919-2003), in Re-Nhau-Nhau, n.º 746, direção de Gonçalves Preto (1907-1971) e edição de João Miguel, Funchal, 30 de setembro de 1952. A notícia e o anúncio da publicação vêm no Diário de Notícias, Funchal, 1 de outubro de […]

Autores do Arquipélago, Poesia, Paulo Sá Braz, in Re-Nhau-Nhau, Funchal, 30 de setembro de 1952, ilha da Madeira

Autores do Arquipélago, Poesias, Rogério Óscar Mota Correia (1908-1991), António Aragão (Correia, 1921-2008), Carlos Cristóvão (da Câmara Leme Escórcio de Bettencourt, 1924-1998), Florival de Passos (Florival dos Passos, 1914-1989), Rebelo de Quental (1931-2013), Manuel Silvério Pereira (1903-1970), Herberto Helder (1930-2015) e Jorge Freitas (1921-1960). Eco do Funchal (direção de Maria Mendonça), outubro de 1952, ilha da Madeira. Caricaturas de Paulo Sá Braz (1919-2003), in Re-Nhau-Nhau, n.º 746, direção de Gonçalves Preto (1907-1971) e edição de João Miguel, Funchal, 30 de setembro de 1952. A notícia e o anúncio da publicação vêm no Diário de Notícias, Funchal, 1 de outubro de […]

Cartaz da apresentação do livro 75 Anos A Servir Portugal, Grupo de Amigos de Olivença, de Humberto Nuno de Oliveira, Lisboa, 4 de novembro de 2021, Portugal

Cartaz da apresentação do livro 75 Anos A Servir Portugal, Os órgãos sociais do Grupo de Amigos de Olivença de Humberto Nuno de Oliveira. Apresentação na Casa do Alentejo pelo tenente-coronel José Brandão Ferreira. Lisboa, 4 de novembro de 2021. Lisboa, Portugal

Convite para a apresentação do livro 75 Anos A Servir Portugal, Grupo dos Amigos de Olivença, de Humberto Nuno de Oliveira, Casa do Alentejo, 4 de novembro de 2021, Lisboa, Portugal

Convite para a apresentação do livro 75 Anos A Servir Portugal, Os órgãos sociais do Grupo de Amigos de Olivença de Humberto Nuno de Oliveira. Apresentação na Casa do Alentejo pelo tenente-coronel José Brandão Ferreira. Lisboa, 4 de novembro de 2021. Lisboa, Portugal

Notícia da tomada de posse do Dr. Fernão de Ornelas Gonçalves a 16 de janeiro de 1934 como vogal da comissão administrativa da Câmara do Funchal, Diário de Notícias, Funchal, 18 de janeiro de 1934, p. 1, ilha da Madeira

Notícia da tomada de posse do Dr. Fernão de Ornelas Gonçalves a 16 de janeiro de 1934 como vogal da comissão administrativa da Câmara do Funchal. (1908-1978) Nomeação do Dr. Álvaro Favila Vieira (1902-1963), como governador substituto, de 11 jan. 1934, para comissão presidida pelo Dr. Gastão de Deus Figueira (1869-1957). Dr. Alberto de Araújo (1903-1977) in Diário de Notícias, Funchal, 18 de janeiro de 1934, p. 1 (ABM-COLJOR-DN_19340118), ilha da Madeira Fernão Manuel de Ornelas Gonçalves  (Funchal, 14 jun. 1908; Lisboa, 24 maio 1978). Começando o percurso académico no Funchal, com 17 anos, embarcou para Lisboa, inscrevendo-se na Faculdade […]

Posse como comandante Caçadores 5 do Major Luís Alberto de Oliveira, Lisboa, 3 de novembro de 1934, Portugal

Posse como comandante Caçadores 5 do Major Luís Alberto de Oliveira. (1880-1956) O sr. major Luís Alberto de Oliveira com a oficialidade do batalhão de Caçadores 5, ao tomar posse do comando desta unidade Na fotografia, ao lado do capitão Artur de Almeida Cabaço. Lisboa, 3 de novembro de 1934. Álbum fotográfico SEC-AG-2294I, IAN/TT, Lisboa, Portugal Identificados no álbum: Tenente Álvaro Mário Couceiro Neto; alferes César Pais Soares; alferes Arnaldo Schulz; alferes João Augusto de Sousa Cerejeiro; alferes João Nogueira da Costa Branco; capitão Paulino José das Dores; tenente António Nunes Vitória; capitão Artur de Almeida Cabaço; tenente Francisco Carlos […]

Comunicação do falecimento do Major Artur d’Almeida Cabaço, Diário Popular, N.º 4531, Lisboa, 18 maio 1955, p. 14, Portugal.

Comunicação do falecimento do Major Artur d’Almeida Cabaço. (1881-1955) Diário Popular, N.º 4531, Lisboa, 18 de maio de 1955, p. 14. Artur de Almeida Cabaço (1881-1955), filho de João de Almeida Cabaço e de Maria José Abaço, nasceu nas Caldas da Rainha, a 28 jun. 1881, tendo ingressado, depois, em Caçadores 5. Perante Revolta das Farinhas ou Revolta do Pão do Funchal, em fev. 1931, o governo da Ditadura, em Lisboa, avalia rapidamente a ameaça da amotinação e envia o açoriano coronel Feliciano António Silva Leal (1876-1961) para a Madeira, como seu Delegado Especial, acompanhado por um destacamento de Caçadores […]

Alegoria ao Amor, escultura da Casa do Alentejo, 1925 (c.), Rua das Portas de Santo Antão, Lisboa, Portugal.

Alegoria ao Amor Escultura da Casa do Alentejo, 1925 (c.). Projecto geral neo-árabe de António Rodrigues da Silva Júnior (1868-1937), 1918. Antigo Magestic e Monumental Clube. Palácio dos viscondes de Alverca. Fotografia de Ricardo Barbeito, 2020. Rua das Portas de Santo Antão, Lisboa, Portugal.

Espaldão da bateria de Costa do Pico da Cruz, peça KRUPP 15 cm., 1940, fotografia do Comando Operacional de 2020, Funchal, ilha da Madeira.

Espaldão da bateria de Costa do Pico da Cruz. Peça KRUPP 15 cm. Direcção das obras do capitão de Engenharia Floriano Bernardo das Neves, 1940. Fotografia do Comando Operacional da Madeira, DSC, Miguel Silva Machado, 2020. Pico da Cruz, Funchal, ilha da Madeira.

António Aragão, Memórias de um Património Fotografado, exposição temporária no Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, 27 out. a 31 dez. 2021, Funchal, ilha da Madeira

António Aragão, Memórias de um Património Fotografado (1921-2008) Exposição Temporária no Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente’s, 27 out. a 31 dez. 2021. Funchal, ilha da Madeira A exposição temporária “António Aragão, Memórias de um Património Fotografado” foi inaugurada hoje, e estará patente ao público a partir de 27 de outubro, até ao final do mês de dezembro. Esta mostra reúne um alargado conjunto de fotografias do acervo de António Aragão (1921-2008), e evoca não só o centenário do seu nascimento, como também a nossa herança cultural e patrimonial. Estarão patentes imagens captadas entre os anos 60 e 80 […]

Stranger’s Club, Quinta Pavão do Funchal em 1910, In Roteiro e Guia do Funchal dos irmãos Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 33, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira.

Stranger’s Club, Quinta Pavão do Funchal em 1910. In Roteiro e Guia do Funchal, pelos engenheiros Adriano A. Trigo e Annibal A. Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 33, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira. Adriano Augusto Trigo (Moncorvo, 13 nov. 1862; Lisboa, 4 ago. 1926). Filho de António Manuel Trigo e de Carolina Rosa Trigo, cursou a Academia Politécnica do Porto e a Escola do Exército, vindo para o Funchal em 1890 como chefe da direção das Obras Públicas, função que desempenhou até 1919, quando transitou para idêntica função em Macau. No Funchal trabalhou sempre em […]

Novo Club Restauração do Funchal em 1910, In Roteiro e Guia do Funchal dos irmãos Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 33, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira.

Novo Clube Restauração do Funchal em 1910. In Roteiro e Guia do Funchal, pelos engenheiros Adriano A. Trigo e Annibal A. Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 33, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira. Adriano Augusto Trigo (Moncorvo, 13 nov. 1862; Lisboa, 4 ago. 1926). Filho de António Manuel Trigo e de Carolina Rosa Trigo, cursou a Academia Politécnica do Porto e a Escola do Exército, vindo para o Funchal em 1890 como chefe da direção das Obras Públicas, função que desempenhou até 1919, quando transitou para idêntica função em Macau. No Funchal trabalhou sempre em articulação […]

Anexos e serviços do Grande Hotel Central do Funchal em 1910, In Roteiro e Guia do Funchal dos irmãos Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 27, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira.

Anexos e serviços do Grande Hotel Central do Funchal em 1910. In Roteiro e Guia do Funchal, pelos engenheiros Adriano A. Trigo e Annibal A. Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 28, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira. Adriano Augusto Trigo (Moncorvo, 13 nov. 1862; Lisboa, 4 ago. 1926). Filho de António Manuel Trigo e de Carolina Rosa Trigo, cursou a Academia Politécnica do Porto e a Escola do Exército, vindo para o Funchal em 1890 como chefe da direção das Obras Públicas, função que desempenhou até 1919, quando transitou para idêntica função em Macau. No Funchal […]

Grande Hotel Central do Funchal em 1910, In Roteiro e Guia do Funchal dos irmãos Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 27, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira.

Grande Hotel Central do Funchal em 1910. In Roteiro e Guia do Funchal, pelos engenheiros Adriano A. Trigo e Annibal A. Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 27, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira. Adriano Augusto Trigo (Moncorvo, 13 nov. 1862; Lisboa, 4 ago. 1926). Filho de António Manuel Trigo e de Carolina Rosa Trigo, cursou a Academia Politécnica do Porto e a Escola do Exército, vindo para o Funchal em 1890 como chefe da direção das Obras Públicas, função que desempenhou até 1919, quando transitou para idêntica função em Macau. No Funchal trabalhou sempre em articulação […]

Principais cafés do Funchal em 1910, In Roteiro e Guia do Funchal dos irmãos Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 32, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira.

Principais cafés do Funchal em 1910. In Roteiro e Guia do Funchal, pelos engenheiros Adriano A. Trigo e Annibal A. Trigo, Funchal, Tipografia Esperança, 1910, p. 32, exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira. Adriano Augusto Trigo (Moncorvo, 13 nov. 1862; Lisboa, 4 ago. 1926). Filho de António Manuel Trigo e de Carolina Rosa Trigo, cursou a Academia Politécnica do Porto e a Escola do Exército, vindo para o Funchal em 1890 como chefe da direção das Obras Públicas, função que desempenhou até 1919, quando transitou para idêntica função em Macau. No Funchal trabalhou sempre em articulação com […]

Rama de folhado da Laurissilva, fotografia de Raimundo Quintal, 2019, ilha da Madeira

Rama de folhado. Nome científico: Clethra arborea. Nome vulgar: Folhado ou folhadeiro da Laurissilva Família: Clethraceae Porte: Arbóreo. Fotografia de Raimundo Quintal, 2019 Ilha da Madeira. O folhado (Clethra arborea) É a árvore mais vistosa da Laurissilva da Madeira nos meses de julho e agosto, graças às suas flores brancas e aromáticas. Junto aos troncos dos folhados surgem rebentos direitos, flexíveis e leves, que são tradicionalmente usados como bordões pelos caminheiros que percorrem os íngremes trilhos da ilha.

Rama de folhado da Laurissilva, fotografia de Raimundo Quintal, 2019, ilha da Madeira

Rama de folhado. Nome científico: Clethra arborea. Nome vulgar: Folhado ou folhadeiro da Laurissilva Família: Clethraceae Porte: Arbóreo. Fotografia de Raimundo Quintal, 2019 Ilha da Madeira. O folhado (Clethra arborea) É a árvore mais vistosa da Laurissilva da Madeira nos meses de julho e agosto, graças às suas flores brancas e aromáticas. Junto aos troncos dos folhados surgem rebentos direitos, flexíveis e leves, que são tradicionalmente usados como bordões pelos caminheiros que percorrem os íngremes trilhos da ilha.

Rama de folhado da Laurissilva, fotografia de Raimundo Quintal, 2019, ilha da Madeira

Rama de folhado. Nome científico: Clethra arborea. Nome vulgar: Folhado ou folhadeiro da Laurissilva Família: Clethraceae Porte: Arbóreo. Fotografia de Raimundo Quintal, 2019 Ilha da Madeira. O folhado (Clethra arborea) É a árvore mais vistosa da Laurissilva da Madeira nos meses de julho e agosto, graças às suas flores brancas e aromáticas. Junto aos troncos dos folhados surgem rebentos direitos, flexíveis e leves, que são tradicionalmente usados como bordões pelos caminheiros que percorrem os íngremes trilhos da ilha.

Folhado da Laurissilva, fotografia de Raimundo Quintal, 2019, ilha da Madeira

Folhado. Nome científico: Clethra arborea. Nome vulgar: Folhado ou folhadeiro da Laurissilva Família: Clethraceae Porte: Arbóreo. Fotografia de Raimundo Quintal, 2019 Ilha da Madeira. O folhado (Clethra arborea) É a árvore mais vistosa da Laurissilva da Madeira nos meses de julho e agosto, graças às suas flores brancas e aromáticas. Junto aos troncos dos folhados surgem rebentos direitos, flexíveis e leves, que são tradicionalmente usados como bordões pelos caminheiros que percorrem os íngremes trilhos da ilha.

Frutos do loureiro do Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, fotografia de Raimundo Quintal, 2021, Santo da Serra, ilha da Madeira

Frutos do loureiro. Nome científico: Laurus novocanariensis. Nome vulgar: Loureiro Família: Lauraceae Porte: Arbóreo. Fotografia de Raimundo Quintal, 9 de outubro de 2021 Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, Santo da Serra, ilha da Madeira.

Frutos da faia das Ilhas do Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, fotografia de Raimundo Quintal, 2021, Santo da Serra, ilha da Madeira

Frutos da faia das Ilhas. Nome científico: Morella faya Aiton. Nome vulgar: Faia das Ilhas, faia-da-terra ou samouco Família: Myricaceae Porte: Grande arbusto ou pequena árvore. Fotografia de Raimundo Quintal, 9 de outubro de 2021 Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, Santo da Serra, ilha da Madeira. A chuva apareceu, a sementeira começou. No Sábado passado (09.10.2021) a Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal realizou mais uma jornada de trabalho voluntário em prol da Natureza no Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão. Para a […]

Frutos (gálbulos) do cedro da Madeira do Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, fotografia de Raimundo Quintal, 2021, Santo da Serra, ilha da Madeira

Frutos (gálbulos) do cedro da Madeira. Nome científico: Juniperus cedrus subsp. maderensis. Nome vulgar: Cedro da Madeira Família: Cupressaceae Porte: Arbóreo. Fotografia de Raimundo Quintal, 9 de outubro de 2021 Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, Santo da Serra, ilha da Madeira. A chuva apareceu, a sementeira começou. No Sábado passado (09.10.2021) a Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal realizou mais uma jornada de trabalho voluntário em prol da Natureza no Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão. Para a parte da manhã tínhamos programado […]

Cedro da Madeira do Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, fotografia de Raimundo Quintal, 2021, Santo da Serra, ilha da Madeira

Cedro da Madeira. Nome científico: Juniperus cedrus subsp. maderensis. Nome vulgar: Cedro da Madeira Família: Cupressaceae Porte: Arbóreo. Fotografia de Raimundo Quintal, 9 de outubro de 2021 Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão, Santo da Serra, ilha da Madeira. A chuva apareceu, a sementeira começou. No Sábado passado (09.10.2021) a Associação dos Amigos do Parque Ecológico do Funchal realizou mais uma jornada de trabalho voluntário em prol da Natureza no Campo de Educação Ambiental do Santo da Serra – Eva e Américo Durão. Para a parte da manhã tínhamos programado colher frutos maduros […]

Notícia da edição da Chronica de El Rey D. Sebastião de Miguel Pereira, novembro de 2018, Funchal, 28 de outubro de 2021, ilha da Madeira

Notícia da edição da Chronica de El Rey D. Sebastião de Miguel Pereira, (1554-1578) Coordenação de António Brehm, anotações Cristina Trindade e Rui Carita, Imprensa Académica, apresentação a 6 de novembro de 2018, Paula Henriques, in Diário de Notícias, Funchal, 28 de outubro de 2021, ilha da Madeira.ilha da Madeira. D. Sebastião (1554-1578), sétimo rei da dinastia de Avis, neto do rei João III (1502-1557) de quem herdou o trono com apenas três anos. A regência foi assegurada pela sua avó Catarina da Áustria (1507-1578) e pelo cardeal D. Henrique de Évora (1512-1580). Aos 14 anos assumiu a governação manifestando […]

Pormenor de contador indo-português, Goa (atr.), 1680 (c.), Estado Português da Índia.

Pormenor de contador indo-português. Madeira de teca com embutidos em ébano e osso, de 10 gavetas simulando 12, com trempe com gavetão e 2 gavetas, tradicionais pés com “Nagini”, ou nagiras, pregaria em metal recortado, vazado e dourado Oficina de Goa (atr.), 1680 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 690, base 30.000 euros.

Contador indo-português, Goa (atr.), 1680 (c.), Estado Português da Índia.

Contador indo-português. Madeira de teca com embutidos em ébano e osso, de 10 gavetas simulando 12, com trempe com gavetão e 2 gavetas, tradicionais pés com “Nagini”, ou nagiras, pregaria em metal recortado, vazado e dourado Oficina de Goa (atr.), 1680 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 690, base 30.000 euros.

Contador dito filipino fechado de oficina “bargaña”, 1880 (c.), Espanha.

Contador dito filipino fechado de oficina “bargaña”. Madeira de mogno e pau santo aparelhada, com embutidos em outras madeiras, de 14 gavetas simulando 16, com tampo de rebater, ferragens ao gosto “bargaño” e trempe tradicional Oficina espanhola, 1880 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 688, base 1000 euros.

Contador dito filipino de oficina “bargaña”, 1880 (c.), Espanha.

Contador dito filipino de oficina “bargaña”. Madeira de mogno e pau santo aparelhada, com embutidos em outras madeiras, de 14 gavetas simulando 16, com tampo de rebater, ferragens ao gosto “bargaño” e trempe tradicional Oficina espanhola, 1880 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 688, base 1000 euros.

Par de jarrões de decoração Satsuma, 1900 (c.), Japão.

Par de jarrões de decoração Satsuma. Faiança japonesa do Período Meiji (1863-1912), 96 cm. Oficina japonesa, 1900 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 687, base 1000 euros.

Contador dito filipino, 1650 (c.), Portugal.

Contador dito filipino. Madeira de pau santo aparelhada, com embutidos em pau cetim, de onze gavetas simulando doze, 44,5 x 89,5 x 33 cm. Oficina portuguesa, 1650 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 685, base 450 euros.

Arca em madeira de cedro de decoração esgrafitada, oficina insular, 1600 (c.), Açores ou ilha da Madeira.

Arca em madeira de cedro de decoração esgrafitada. Madeira de cedro aparelhada, de decoração incisa com fundos preenchidos a massa negra (noz de gralha) com animais fantásticos, elementos geométricos e vegetalistas, 75 x 162 x 53,5 cm. Oficina insular dos Açores ou da ilha da Madeira, 1600 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 684, base 4.000 euros. Mobiliário de decoração tardo-medieval ou gótica, tradicionalmente dado como produzido nas oficinas açorianas, com destaque para as da cidade de Angra, mas que documentalmente também foi produzido na ilha da Madeira.

Cavalo ao gosto da dinastia Tang, provavelmente do reinado Yongzheng, 1700 (c.), China.

Cavalo ao gosto da dinastia Tang. Faiança da China policromada, ao gosto da dinastia Tang (618-906), pintada a três cores, tradição denominada em chinês por sancai, 36 x 42 x 17 cm. Oficina provavelmente já da época da dinastia Qing (1644-1912), reinado Yongzheng (1678-1735), 1700 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 683, base 500 euros.

Camelo ao gosto da dinastia Tang, provavelmente do reinado Yongzheng, 1700 (c.), China.

Camelo ao gosto da dinastia Tang. Faiança da China policromada, ao gosto da dinastia Tang (618-906), 43 x 30 x 17,5 cm. Oficina provavelmente já da época da dinastia Qing (1644-1912), reinado Yongzheng (1678-1735), 1700 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 682, base 500 euros. Estatueta representando um camelo, assente sobre uma base retangular, de duas bossas, de terracota vidrada e pintada comum dos túmulos chineses desde a dinastia Tang (618-906), tradição que se manteve nos séculos seguintes. As figuras dos camelos revelam a mesma preocupação relativamente à transposição […]

Prato de madrepérola ao gosto do Guzerate, Goa (?), 1700 (c.), Estado Português da Índia.

Prato de madrepérola. Utilizado, por vezes, como prato de comunhão ou de esmolas Madrepérola irisada e pequenos pinos de cobre dourado, 2 x 20 cm. Oficina indo-portuguesa, Guzerate, Goa ?, 1700 (c.) Coleção particular, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 681, base 300 euros. Prato de provável função eucarística, dentro de um esquema semelhante a um bom número de peças do espaço cultural português desde os meados do século XVI. Apresenta faixas de placas de madrepérola concêntricas, em torno de um medalhão central representando uma flor de lótus aberta. O bordo apresenta […]

Prato de corças da dinastia Qing, reinado Yongzheng, 1700 (c.), China.

Prato recortado de corças ou prato de casamento. Em porcelana da China, decoração a azul com corças, ainda ao gosto da dinastia Ming, 20,5 cm. (diam.) Oficina da época da dinastia Qing (1644-1912), reinado Yongzheng (1678-1735), 1700 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 642, base 175 euros.

Taça da dinastia Qing, reinado Yongzheng, 1730 (c.), China.

Taça. Em porcelana da China, decoração a azul e policromada com dragões e fénix, interior a azul com elementos florais, 6 cm. Oficina da época da dinastia Qing (1644-1912), reinado Yongzheng (1678-1735), 1730 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 641, base 850 euros.

Par de taças da dinastia Qing, reinado Yongzheng, 1720 (c.), China.

Par de taças. Em porcelana da China, decoração a azul com dragões, pássaros e elementos geométricos, 5 x 52 cm. Oficina da época da dinastia Qing (1644-1912), reinado Yongzheng (1678-1735), 1720 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 640, base 450 euros.

Cartaz com Mao Zedong, 1960 (c.), China.

Cartaz com Mao Zedong. Impressão a cores, 76 x 52 cm. Pintor do Partido Comunista Chinês, 1960 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 568, base 50 euros. Mao Tsé-Tung ou Mao Zedong, (26 dez. 1893; 9 set. 1976) foi um teórico chinês revolucionário, líder do Partido Comunista Chinês e autor do Livro Vermelho, fundador do Maoismo, livro que teve distribuição internacional a partir de 1964, dando origem na China à Revolução Cultural que decorreu entre 1966 e 1969.

Polvorinho de oficina ibérica, 1750 (c.), Portugal

Polvorinho em chifre de bovino Exemplar de tamanho invulgar Chifre de bovino com anéis e chapas de suspensão em metal, 51 cm. Oficina ibérica, 1750 (c.). Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 559, base 50 euros.

Mutopas, cachimbos de água Tchokwe, 1940 (c.), Lunda, Angola

Mutopas, cachimbos de água Tchokwe Um cachimbo para homem e outro para mulher. Cabaças e metal, 25 e 34 cm.. Angola, povo quioco, chócue ou tchokwe, 1940 (c.). Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 558, base 60 euros.

Suporte, 1950 (c.), provavelmente, Moçambique.

Suporte. Madeira esculpida a partir de bloco único e patinada, 44 x 44,5 cm. Escultor Makonde (atr.), 1950 (c.) Coleção Privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 557, base 80 euros. Suporte que conhecemos como tripé, mas aqui com sete figuras entrelaçadas

Tripé Makonde, 1970 (c.), Moçambique.

Tripé Makonde, Madeira esculpida a partir de bloco único, 27 x 17 cm. Moçambique, 1970 (c.). Coleção privada, Cascais, Portugal.

Tripé Makonde com ovo de avestruz pintado, 1980 (c.), Moçambique.

Tripé Makonde com ovo de avestruz pintado, Madeira esculpida a partir de bloco único. Moçambique, 1980 (c.). Coleção privada, Brasil.

Máscara Dan, 1950 (c.), Costa do Marfim ou Libéria.

Máscara Dan. Etnia Dan, Man. Madeira entalhada e patinada, 27 x 17 cm. 1950 (c.) Costa do Marfim ou Libéria. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 551, base 50 euros. Máscara usada pelos corredores do fogo, que têm a seu cargo vigiar o modo como se fazem as fogueiras na aldeia. Os descuidos e infrações às regras estabelecidas são punidos. Estas máscaras, em pequenas miniaturas, como a máscara Ma, acompanham o utente em viagens, amarradas a um braço ou simplesmente no bolso ou num saco. Tal como as máscaras grandes, possuem poderes sobrenaturais, podendo […]

Máscara Dan, 1950 (c.), Costa do Marfim.

Máscara Dan. Etnia Dan, Man. Madeira entalhada e patinada, 26 x 15 cm. 1950 (c.) Costa do Marfim. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 550, base 50 euros. Máscara usada pelos corredores do fogo, que têm a seu cargo vigiar o modo como se fazem as fogueiras na aldeia. Os descuidos e infrações às regras estabelecidas são punidos. Estas máscaras, em pequenas miniaturas, como a máscara Ma, acompanham o utente em viagens, amarradas a um braço ou simplesmente no bolso ou num saco. Tal como as máscaras grandes, possuem poderes sobrenaturais, podendo ainda ser […]

Pentes Makondes, 1950 (c.), Norte de Moçambique.

Pentes Makondes, Madeira esculpida, 16 a 17,5 cm. 1950 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 549, base 20 euros.

Esculturas Makondes, 1970 (c.), Norte de Moçambique.

Esculturas Makondes, (Classificadas como de Angola, o que deve ser lapso, face às escarificações) Madeira dita pau-preto esculpida, 20 a 22 cm. 1970 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 548, base 40 euros.

Brinquinho da ilha da Madeira, 1970 (c.), provavelmente, Funchal, ilha da Madeira.

Brinquinho da ilha da Madeira, Madeira esculpida e pintada, tecido, metal, cana e outros materiais naturais, 50 cm. 1970 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 546, base 50 euros.

Brinquinho da ilha da Madeira, 1940 (c.), provavelmente, Funchal, ilha da Madeira.

Brinquinho da ilha da Madeira, Madeira esculpida e pintada, tecido, metal, cana e outros materiais naturais, 57 cm. 1940 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 546, base 100 euros.

Pisa-papéis em resina sintética com insetos e aracnídeo, 1970 (c.), provavelmente, Turquia.

Pisa-papéis em resina com insetos e aracnídeo, Lucanus cervus ou vaca-loura (mas variante não europeia), gafanhoto, aracnídeo e outros Resina sintética, 3 x 11 x 4,5 cm. 1970 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 539, base 30 euros.

Tinteiro de viagem Otomano, 1870 (c.), provavelmente, Turquia.

Tinteiro de viagem Otomano, Bronze com decoração gravada, 22,5 cm. Oficina Otomana da Turquia (?), 1870 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 501, base 150 euros.

Par de jarrões com decoração dita mandarim, 1880 (c.), China.

Par de jarrões com decoração dita mandarim, Porcelana chinesa, decoração Mandarim, esmaltes policromos e ouro, reservas com cenas do quotidiano, flores e pássaros, 46 cm. Oficina chinesa de exportação, 1880 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 452, base 80 euros.

Mala de porão de viajante da Dinamarca, 1890 (c.), Dinamarca.

Mala de porão de viajante da Dinamarca, F. van Leeuwen Vanweede Estrutura de madeira com chapa de ferro, 28 x 76 x 46 cm. Oficina europeia, 1890 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 356, base 40 euros.

Papeleira em madeira de carvalho ao gosto da época de D. José e de D. Maria I, 1800 (c.), Portugal.

Papeleira em madeira de carvalho ao gosto da época de D. José e de D. Maria I, Madeira de castanho com estirador, três gavetões e duas gavetas, ferragens em metal amarelo, no interior gavetas e escaninhos, 116 x 50 x 112 cm. Oficina portuguesa, 1800 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 356, base 150 euros.

Arca em madeira de carvalho e castanho com custódia entalhada, 1680 (c.), Portugal.

Arca em madeira de carvalho e castanho, Madeira de carvalho e castanho aparelhadas, frente entalhada com custódia ao centro, ferragens em ferro, 93 x 170 x 62 cm. Oficina portuguesa, 1680 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 353, base 500 euros.  

General Senhor da Guiné, provavelmente, o rei D. Luís de Portugal, terracota, 1870 (c.), Portugal.

General Senhor da Guiné, Provável caricatura do rei D. Luís (1836-1889), dada a Ordem do Tosão de Ouro, embora poucas vezes a ostentasse, que em 1870 conseguiu a resolução da questão da ilha de Bolama a favor de Portugal, negociada pelo gabinete de António José de Ávila (1807-1881), depois marquês de Bolama ou do então governador de Cabo Verde, Caetano Alexandre de Almeida e Albuquerque (1824-1916), que assume o ato da posse na Guiné, passando em 1876 a governador de Angola. Terracota, 20 cm. 1870 a 1880 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e […]

Prato de faiança portuguesa dito “ratinho” com peixe, oficina de Coimbra (atr.), 1870 (c.), Portugal.

Prato de faiança portuguesa dito “ratinho”, Faiança portuguesa policromada e decorada com peixe e flores de linho, 29,5 cm. (diam.) Oficina de Coimbra, 1870 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 197, base 40 euros. Ratinhos é uma expressão que denomina os trabalhadores rurais da Beira que migravam sazonalmente para o Alentejo na época das ceifas. Os pratos hoje conhecidos como fabrico Ratinho, talvez por oposição também à loiça de melhor qualidade, da Real Fábrica de Loiça ao Rato, produzidos desde os finais do século XVIII nas fábricas de faiança […]

Prato de faiança portuguesa dito “ratinho”, oficina de Coimbra (atr.), 1870 (c.), Portugal.

Prato de faiança portuguesa dito “ratinho”, Faiança portuguesa policromada e decorada com flores de linho, 34,5 cm. (diam.) Oficina de Coimbra, 1870 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 196, base 50 euros. Ratinhos é uma expressão que denomina os trabalhadores rurais da Beira que migravam sazonalmente para o Alentejo na época das ceifas. Os pratos hoje conhecidos como fabrico Ratinho, talvez por oposição também à loiça de melhor qualidade, da Real Fábrica de Loiça ao Rato, produzidos desde os finais do século XVIII nas fábricas de faiança de Coimbra, […]

Prato de faiança portuguesa dito “ratinho”, oficina de Coimbra (atr.), 1870 (c.), Portugal.

Prato de faiança portuguesa dito “ratinho”, Faiança portuguesa policromada, 27 cm. (diam.) Oficina de Coimbra, 1870 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 195, base 40 euros. Ratinhos é uma expressão que denomina os trabalhadores rurais da Beira que migravam sazonalmente para o Alentejo na época das ceifas. Os pratos hoje conhecidos como fabrico Ratinho, talvez por oposição também à loiça de melhor qualidade, da Real Fábrica de Loiça ao Rato, produzidos desde os finais do século XVIII nas fábricas de faiança de Coimbra, cuja produção industrial se deveu a […]

Painel com azulejos ao gosto hispânico-mourisco, oficina de Lisboa (atr.), 1950 (c.), Portugal.

Painel com azulejos ao gosto hispânico-mourisco, Painel de 2 azulejos com cercadura, cerâmica vidrada, 41 x 41 cm. Oficina de Lisboa ?, 1950 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 154, base 100 euros.

Templete ou pequeno oratório e colares, oficina de Goa (atr.), 1700 a 1800 (c.) e outras.

Templete ou pequeno oratório e colares, Oratório portátil miniatura em marfim torneado e esculpido, 5 cm. Oficina de inspiração namban, Goa ?, 1700 a 1800 (c.). Colar em osso esculpido e outro, em prata portuguesa contraste águia (1938-1984) de 833 gr. com contas em tons de verde. Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 142, base 25 euros.

Relógio de capela, Waterbury Clook Co., 1890 a 1925 (c.), Chicago, Estados Unidos da América.

Relógio de capela, Caixa em mogno, mostrador com numeração romana, porta em vidro com dourados, chave e pêndulo, 50 x 30 x 13 cm. Waterbury Clook Co. (Chicago, 1873-1930), modelo de 1890 (c.) mas produzido até 1925. Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 115, base 40 euros.

Bau de duas fechaduras, 1850 (c.), Portugal.

Bau de duas fechaduras, Estrutura de madeira revestida a couro com pregaria e ferragens em ferro, 50 x 112 x 51 cm. Oficina portuguesa, 1850 (c.) Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 105, base 150 euros.

Almofariz com mão ou pilão, 1650 a 1750 (c.), provavelmente, Portugal.

Almofariz com mão ou pilão, Bronze, decoração relevada com nervuras, 8 x 10,5 cm. Oficina da Flandres ou de Portugal, 1650 a 1750 (c.) Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 65, base 20 euros.

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo, 664-332 a.C., British Museum, exposição em Espanha

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo. Bronze, 664-332 a.C., British Museum. Exposição Faraón, Rey de Egipto, Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças Através de estátuas e monumentos, os faraós construíram com esmero as suas identidades e projetaram uma imagem idealizada de si mesmos, como guerreiros poderosos, protetores do Egipto contra os seus inimigos, tal como adoradores fervorosos dos deuses, intermediários entre elos e o resto da humanidade. Exposição em Barcelona, Madrid e Saragoça, de 2018 e 2019, 2020 e 2021.

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo, 664-332 a.C., British Museum, exposição em Espanha

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo. Bronze, 664-332 a.C., British Museum. Exposição Faraón, Rey de Egipto, Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças Através de estátuas e monumentos, os faraós construíram com esmero as suas identidades e projetaram uma imagem idealizada de si mesmos, como guerreiros poderosos, protetores do Egipto contra os seus inimigos, tal como adoradores fervorosos dos deuses, intermediários entre elos e o resto da humanidade. Exposição em Barcelona, Madrid e Saragoça, de 2018 e 2019, 2021 e 2022.

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo, 664-332 a.C., British Museum, exposição em Espanha

Faraó eufórico com elementos da família real representando deuses num jogo. Bronze, 664-332 a.C., British Museum. Exposição Faraón, Rey de Egipto, Fundação CaixaForum e a colaboração do British Museum, através da cedência de peças Através de estátuas e monumentos, os faraós construíram com esmero as suas identidades e projetaram uma imagem idealizada de si mesmos, como guerreiros poderosos, protetores do Egipto contra os seus inimigos, tal como adoradores fervorosos dos deuses, intermediários entre elos e o resto da humanidade. Exposição em Barcelona, Madrid e Saragoça, de 2018 e 2019, 2021 e 2022.

Amon-Ra, prata sobredourada, Egito, 1069 a 664 a.C., The British Museum, exposição de Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, 2021 em Espanha

Amon-Ra Prata sobredourada, Karnak, Tebas, Egito, 1069 a 664 a.C. The British Museum, Londres, Inglaterra. Exposição Faraón Rei de Exipto, do 27 de marzo ao 15 de agosto de 2021. Museo Centro Gaiás, andar 2. Gaiás, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, Espanha. Fotografia da exposição na Galiza, Faraón, Rey de Egipto, de 2021, custeada pela Fundação CaixaForum e a colaboração do The British Museum, através da cedência de peças.

Genuflexório em madeira de vinhático, 1930 a 1950 (c.), provavelmente, da ilha da Madeira

Genuflexório em madeira de vinhático, Madeira de vinhático com entalhamentos, assento e apoio de braços estofados, 82 x 42 x 42 cm. Oficina da ilha da Madeira (?), 1930 a 1950 (c.) Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 44, base 50 euros.

Cadeira de descanso articulada, tipo cadeira de bordo, 1950 (c.), provavelmente, da ilha da Madeira

Cadeira de descanso articulada, tipo cadeira de bordo, Madeira de vinhático e outras madeiras, assento e costas de palhinha, 103 x 117 x 55 cm. Oficina da ilha da Madeira (?), 1950 (c.) Coleção privada, Porto, Portugal Estas cadeiras seguem em parte os modelos indo-portugueses dos séculos XVI/XVII, inspirados nas cadeiras de bordo portuguesas e aparecem nas rotas comerciais inglesas e portuguesas dos meados e finais do século XIX, com entalhamentos Pássaro segurando serpentes e Flores e frutos, etc. Conhecemos exemplares altamente elaborados no palácio da ilha de Moçambique, em coleções de Lourenço Marques, como a do Dr. Simões Ferreira, […]

Mesa costureira em teca, 1950 (c.), antigo Estado Português da Índia

Mesa costureira em teca, Madeira de teca com entalhamentos geométricos, abas posteriores, 77,5 x 42 x 37,5 cm. Oficina de Goa (?), 1950 (c.) Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 44, base 50 euros.

Figuras de mascarados quiocos, muquiches, 1950 (c.), Angola

Figuras de mascarados quiocos, muquiches, Madeira esculpida e decorada por pirogravura a fuligem, 27 a 33 cm. Escultor Tchokwe, Chokwe ou Quioco, Angola, 1950 (c.). Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 27, base 50 euros.

Figuras quiocas, 1950 (c.), Angola

Figuras quiocas, Com casal europeu ? Madeira esculpida e decorada pirogravada fuligem, 27 a 33 cm. Escultor Tchokwe, Chokwe ou Quioco, Angola, 1900 (c.) Coleção privada, Porto, Portugal Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 25, base 50 euros.

Figura de europeu nu, 1900 (c.), Cabinda (?), Angola

Figura de europeu nu, Madeira esculpida com vestígios de pintura verde, ferro, missangas em vidro e folha dourada, 35,5 cm. Escultor cabinda (?), Angola, 1900 (c.) Coleção privada, Porto, Portugal. Leiloeira Corte Real, 8º leilão 2020, 3 e 4 novembro, Porto, lote 25, base 150 euros.

“Arq. Luís da Conceição Teixeira – Uma obra em suspenso”, Pedro Gonçalves, in Islenha, n.º 68, direção de Cláudia Faria, Funchal, DRC, jan. – jun. 2021, pp. 109-126, ilha da Madeira

Pedro Gonçalves, “Arq. Luís da Conceição Teixeira – Uma obra em suspenso”, in Islenha, n.º 68, direção de Cláudia Faria, Funchal, DRC, jan. – jun. 2021, pp. 109-126 Região Autónoma da Madeira. ISSN – 0872-5004 Depósito legal n.º 16 825/87 Rui Carita, “A tapeçaria do Bailinho de Irene Alcobaça da antiga Junta Geral“, pp. 67-78; Pedro Afonso Clode de Sousa, “João Francisco Camacho (1833-1898) – O fotógrafo e o seu tempo”, pp. 89-104;

Hino da Região Autónoma da Madeirense, letra de Ornelas Teixeira e música do maestro Vítor Costa, 1980, ilha da Madeira

Hino da Região Autónoma da Madeira Letra de Ornelas Teixeira e música do maestro Vítor Costa. Vinil com interpretação do Coro do Teatro Nacional de São Carlos, 1980, ilha da Madeira. João Luís de Ornelas Teixeira (Funchal; idem, 21 maio 2000). Funcionário administrativo em Moçambique, foi responsável pelo Arquivo (Notícias) em Lourenço Marques  e encarregado da Secção de Revistas e Publicações Científicas (Coop. A Nossa Livraria) da mesma antiga colónia portuguesa. Regressado ao Funchal, dedicou-se ao jornalismo colaborando no Eco do Funchal e em O Retornado, tendo organiza, entretanto, jornadas literárias na Madeira. O seu trabalho mais importante, entretanto, foi […]

Sarau de Poesia Madeirense 2017, Ornelas Teixeira e Avelino F. Costa, Teatro Baltazar Dias, Funchal, 29 de julho de 2017, ilha da Madeira

Sarau de Poesia Madeirense 2017 Poetas Homenageados: Ornelas Teixeira e Avelino F. Costa. Organização de Miguel Santos e Sandra Faria, Teatro Baltazar Dias, Funchal, 29 de julho de 2017, ilha da Madeira. João Luís de Ornelas Teixeira (Funchal; idem, 21 maio 2000). Funcionário administrativo em Moçambique, foi responsável pelo Arquivo (Notícias) em Lourenço Marques  e encarregado da Secção de Revistas e Publicações Científicas (Coop. A Nossa Livraria) da mesma antiga colónia portuguesa. Regressado ao Funchal, dedicou-se ao jornalismo colaborando no Eco do Funchal e em O Retornado, tendo organiza, entretanto, jornadas literárias na Madeira. O seu trabalho mais importante, entretanto, […]

Participação do falecimento de João Luís de Ornelas Teixeira, Diário de Notícias, Funchal, 23 de maio de 2000, ilha da Madeira.

Participação do falecimento de João Luís de Ornelas Teixeira. (2000) Agência Garcês, Diário de Notícias, Funchal, 23 de maio de 2000, ilha da Madeira. João Luís de Ornelas Teixeira (Funchal; idem, 21 maio 2000). Funcionário administrativo em Moçambique, foi responsável pelo Arquivo (Notícias) em Lourenço Marques  e encarregado da Secção de Revistas e Publicações Científicas (Coop. A Nossa Livraria) da mesma antiga colónia portuguesa. Regressado ao Funchal, dedicou-se ao jornalismo colaborando no Eco do Funchal e em O Retornado, tendo organiza, entretanto, jornadas literárias na Madeira. O seu trabalho mais importante, entretanto, foi a letra do Hino da Região, em […]

Ornelas Teixeira, faleceu letrista do Hino da Região, Diário de Notícias, Funchal, 23 de maio de 2000, ilha da Madeira

Notícia do falecimento de Ornelas Teixeira, faleceu letrista do Hino da Região. (2000) Diário de Notícias, Funchal, 23 de maio de 2000. João Luís de Ornelas Teixeira (Funchal; idem, 21 maio 2000). Funcionário administrativo em Moçambique, foi responsável pelo Arquivo (Notícias) em Lourenço Marques  e encarregado da Secção de Revistas e Publicações Científicas (Coop. A Nossa Livraria) da mesma antiga colónia portuguesa. Regressado ao Funchal, dedicou-se ao jornalismo colaborando no Eco do Funchal e em O Retornado, tendo organiza, entretanto, jornadas literárias na Madeira. O seu trabalho mais importante, entretanto, foi a letra do Hino da Região, em 1980, com […]