Image
Arquipelago de Origem:
Lido (Funchal)
Data da Peça:
1910-00-00
Data de Publicação:
16/09/2022
Autor:
Não identificado
Chegada ao Arquipélago:
2022-09-16
Proprietário da Peça:
Belmonde
Proprietário da Imagem:
Roteiro Mulheres do Funchal
Autor da Imagem:
Roteiro Mulheres do Funchal
Villa Vitória, anexo do Reid's Palace Hotel, 1910 (c.), Funchal, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Villa Vitória
    Anexo do Reid's Palace Hotel
    Residência no Funchal dos ex-imperadores Carlos e Zita de Áustria (1887-1922) e (1892-1989)
    Fotografia animada de 1910 (c.).
    Funchal, ilha da Madeira.

    Zita de Bourbon, última imperatriz da Áustria, rainha da Hungria e da Boémia, e princesa de Parma, nasceu em Itália, sendo sobrinha neta de Francisco de Habsburgo e Elizabeth da Áustria, a Sissi. Casou em 1911 com o futuro Carlos I da Áustria, sendo ambos primos de D. João VI de Portugal. Após o fim da I Guerra Mundial, em 1918, com a derrota do império Austro-húngaro, o casal, com os 7 filhos, exilou-se na Suíça e, depois, na Madeira, onde chegou a 19 de novembro de 1921. Ficaram alojados na Villa Vitória, anexo do Reid's Hotel onde hoje está o Reid's Gardens. Com os bens confiscados, valeu-lhes a bondade do banqueiro Rocha Machado, que lhes cedeu a Quinta do Monte. Aqui, Carlos viria a adoecer e morrer de pneumonia, a 1 de abril de 1922, deixando Zita grávida. Zita estabeleceu uma relação mística com Madre Virgínia Brites da Paixão, última abadessa do Convento das Mercês, que lhe terá transmitido várias mensagens relacionadas com a doença e morte do marido. A 31 de maio, deixa a Madeira, regressando em 1968 por ocasião da trasladação dos restos mortais do marido para um novo sarcófago. Faleceu em 14 de Março de 1989. Em 2009, foi aberto o processo com vista à sua beatificação. (Roteiro Mulheres do Funchal, n.º 36, 2020)
    A princesa Zita de Bragança Bourbon-Parma (Lucca, 9 maio 1892; 14 mar. 1989), filha do duque Roberto de Parma (1848-1907) e da princesa Maria Antónia de Portugal (1862-1959), logo, neta de D. Miguel de Portugal (1802-1866), casou, em 21 de outubro de 1911, com o arquiduque Carlos de Habsburgo (Habsburgo-Lorena; 17 ago. 1887 - 1 abr. 1922), de cujo casamento houve larga descendência. Carlos de Habsburgo herdou, depois, o trono da Áustria, pelo assassinato do seu tio, arquiduque Francisco Fernando (1863-1914) e com o falecimento do avô Francisco José I (1830-1916), tornando-se em 1916 imperador da Áustria, rei da Hungria e da Boémia, mas acabando por ser afastado na sequência da primeira Grande Guerra. Exilado na Madeira, Carlos veio a falecer na Quinta do Monte, de pneumonia dupla, a 1 de abril de 1922, sendo depois beatificado pelo papa João Paulo II (1920-2005). A ex-imperatriz Zita haveria de regressar mais algumas vezes à Madeira e de sobreviver para além dos 90 anos, decorrendo também um processo beatificação a seu respeito.