Image
Arquipelago de Origem:
Vila Viçosa
Data da Peça:
1431-00-00
Data de Publicação:
04/11/2020
Autor:
Mestre de Chaves
Chegada ao Arquipélago:
2020-11-04
Proprietário da Peça:
Fundação da Casa de Bragança
Proprietário da Imagem:
Privado
Autor da Imagem:
Privado
Túmulo de D. Afonso, 1º duque de Bragança no panteão dos duques de Bragança, remontagem de 1677, igreja do convento dos Agostinhos de Vila Viçosa, Portugal

Categorias
    Descrição
    Túmulo de D. Afonso, 1º duque de Bragança.
    (1377-1431)
    Reposição de 1677 (c.).
    Proveniente da igreja de N.ª Sra. do Rosário do Convento de S. Francisco de Chaves.
    Panteão dos duques de Bragança, capela-mor da igreja dos Agostinhos de Vila Viçosa, Portugal.

    Afonso de Avis ou Afonso de Portugal, depois Afonso I de Bragança foi o 8º conde de Barcelos, 2º conde de Neiva e o 1º Duque de Bragança. Supõe-se que Dom Afonso tenha nascido em Veiros, Estremoz, no Alentejo, a 10 de agosto de 1377, filho natural de D. João (1357-1433), Mestre de Avis, com Inês Perez, filha de Pero Estevez, "o sapateiro Barbadão", e mãe desconhecida. Sendo o filho mais velho de D. João I, houve que o casar com D. Beatriz Pereira de Alvim (1380-1414), filha e herdeira do hoje beato D. Nuno Álvares Pereira (1360-1431), dado o falecimento prematuro dos seus 2 irmãos mais velhos, que se tornara uma das maiores proprietárias de Portugal, com os condados de Arraiolos, Barcelos e Ourém. Veio a falecer em Chaves, sendo sepultado então na igreja de Santa Maria Maior e daí transladado para a de N.ª Sra. do Rosário do Convento de S. Francisco da mesma cidade, de onde veio então para Vila Viçosa.
    Tendo por base uma pequena ermida, já referida em 1267, teve importantes obras ao longo do século XVI, determinadas por D. Jaime (1479-1532), 4º Duque de Bragança, de modo que a sua fachada ficasse virada para o Terreiro do Paço e com refeitório manuelino que chegou aos nossos dias. Sendo entregue à ordem dos Eremitas Calçados, transformou-se em convento dos Agostinhos, o primeiro convento a ser instituído em Vila Viçosa. Em 1635 ainda seria lançada a 1.ª pedra da monumental igreja, que nos anos seguintes ainda sofreria melhoramentos, especialmente no reinado de D. João V, a cargo do mestre das obras reais Manuel Martins. Os mestres aqui referidos parecem ser regionais, pois não temos qualquer referência ou documentação a seu respeito fora de Vila Viçosa. A partir de 1677 a igreja, ao estilo barroco, passou a ser Panteão da Memória aos Duques de Bragança, acolhendo no seu interior o túmulo do 1º Duque de Bragança, D Afonso (1377-1431) e assim sucessivamente.