Image
Arquipelago de Origem:
Madeira
Data da Peça:
1934-00-00
Data de Publicação:
18/08/2020
Autor:
Visconde do Porto da Cruz
Chegada ao Arquipélago:
2020-08-18
Proprietário da Peça:
Privado
Proprietário da Imagem:
Privado
Autor da Imagem:
Privado
Trovas e Cantigas Madeirenses, recolhidas e comentadas pelo Visconde do Porto da Cruz, Lisboa, 1934, Portugal

Categorias
    Descrição
    Trovas e Cantigas Madeirenses, recolhidas e comentadas pelo Visconde do Porto da Cruz
    (Alfredo de Freitas Branco, 1890-1962)
    Lisboa, 1934, Portugal.

    Alfredo António de Castro Teles de Meneses de Vasconcelos de Bettencourt de Freitas Branco (1890-1962), como se nomeava, nasceu a 1 de janeiro de 1890, no Funchal, onde veio a falecer a 28 de fevereiro de 1962. Era filho de Luís Vicente de Freitas Branco e de Ana Augusta de Castro Leal Freitas Branco. Usava o título de 1.º visconde do Porto da Cruz, que teria sido dado a um seu antepassado, Valentim de Freitas Leal Moniz Teles de Meneses Vasconcelos (1790-1879) ilustre representante da família Leal, do Porto da Cruz, bisavô materno de Alfredo de Freitas Branco, que não obstante, recusara tal titulo, logo que nunca o usou, título autorizado por D. Manuel II (1890-1932), no exílio, em abril de 1921, mas informação somente do intitulado visconde e reconhecido depois somente pelo Conselho da Nobreza em 1949. Casou-se com Beatriz Manuela Tavares de Almeida Carvalho, de quem teve cinco filhos; Silvano José de Freitas Branco (1925-2013), seu filho, viria a usar o título 2.º visconde do Porto da Cruz.