Image
Arquipelago de Origem:
Freguesia da Sé (Funchal)
Data da Peça:
1760-00-00
Data de Publicação:
16/08/2020
Autor:
Domingos Rodrigues Martins
Chegada ao Arquipélago:
2020-08-16
Proprietário da Peça:
região Autónoma da Madeira
Proprietário da Imagem:
Vítor Duarte Ornelas
Autor da Imagem:
Vítor Duarte Ornelas
Torre de ver o mar do Paço Episcopal, Domingos Rodrigues Martins, 1760 (c.), Funchal, ilha da Madeira.

Categorias
    Descrição
    Torre de ver-o-mar do Paço Episcopal.
    Varanda do antigo paço episcopal com as Virtudes Teologais: Fé, Esperança e Caridade.
    Projeto de Domingos Rodrigues Martins (c. 1710-1781), 1760 (c.).
    Azulejos de oficina de Lisboa, 1760-1765.
    Antigo Paço Episcopal, Museu Diocesano de Arte Sacra do Funchal.
    Fotografia de Vítor Duarte Ornelas, 29 de maio de 2017.
    Funchal, ilha da Madeira.

    Cronologia:
    1566, 20 Setembro - alvará régio de fundação do Seminário do Funchal; 1578, 18 Out. - promulgação das "Constituições do Bispado do Funchal"; 1586, 4 Agosto - tomada de posse do bispo D. Luís Figueiredo de Lemos; 1594, antes de - instalação do Bispo nas casas do Seminário; 1594, 26 Julho - incêndio no centro do Funchal, iniciado na antiga residência episcopal; 1597 - publicação das "Constituições Extravagantes do Bispado do Funchal"; 1600 - ordem de D. Luís Figueiredo de Lemos de levantar a capela de São Luís de Tolosa, junto às "Casas Episcopais"; 1604, Janeiro - pagamento a Jerónimo Jorge por umas traças e diligências que fez no sítio do Seminário, tocantes às casas episcopais; 1675 / 1682 - obras de ampliação executadas pelo bispo D. Fr. António Teles da Silva; 1712 - saída do Seminário, então "colégio de São Luís", para o "Mosteiro Novo" para ampliação do Paço Episcopal por ordem de D. José de Sousa Castelo Branco; 1747, 27 Maio - posse do bispo D. Fr. João do Nascimento como Governador; 1748, 31 Março - terramoto arruína o Paço Episcopal e instalação do bispo e família em São Lourenço; 1748 - pedido de reconstrução e aumento do Paço Episcopal, "que já era muito pequeno, pelo que se tinha ocupado o Colégio de S. Luís, seminário da Diocese"; 1749 - projeto e orçamentação do novo Paço Episcopal do mestre das obras reais Domingos Rodrigues Martins; 1750, 24 Janeiro - autorização do Conselho da Fazenda para as obras do Paço Episcopal do Funchal; 24 Fevereiro - arrematação das obras pelo mestre carpinteiro Francisco Gomes por 5:870$000 réis; 1751, 20 Agosto - instalação do bispo D. João do Nascimento no novo Paço Episcopal; 1752 - direção das obras a cargo do próprio prelado; 1760, cerca - colocação dos azulejos na varanda; 1795 - instalação pontual de D. José da Costa Torres nas casas da Penha de França; 1796, 6 Outubro - embarque coercivo na Penha de França do Bispo para o "continente do Reino"; 1807, 24 Dezembro - 2ª ocupação inglesa da Madeira e expulsão do bispo Luís Rodrigues de Vilares do Funchal, fixando-se-lhe residência no Santo da Serra; 1914, Janeiro - transferência do Liceu do Funchal para o antigo Paço Episcopal; 1940, 26 setembro - publicação de Decreto nº 30 762, no DG, 1.ª série, n.º 225, determinando a classificação do Paço Episcopal e capela Anexa como Imóvel de Interesse Público; 6 Outubro - inauguração do núcleo inicial do museu na sala do cabido da Sé do Funchal; 01 novembro - publicação do Decreto nº 30 838, DG, 1.ª série, n.º 254, suspendendo o decreto n.º 30 762, de 26 de setembro do mesmo ano, relativamente à classificação de imóveis de propriedade particular; 1948, 29 setembro - decreto nº 37 077, DG, 1.ª série, n.º 228, classifica o Paço Episcopal e Capela anexa como Imóvel de Interesse Público; 1950 - entrega do edifício para Museu Diocesano de Arte Sacra, iniciando-se obras de adaptação; 1951 - exposição de ourivesaria sacra no Convento de Santa Clara, com vista ao futuro acervo; 1953, 17 abril - decreto nº 39 175 revoga a classificação como Imóvel de Interesse Público pelo decreto de 1948 e classifica o imóvel como Monumento Nacional; 1954 - exposição de esculturas religiosas no mesmo convento e com o mesmo fim; 1955, 9 Maio - apresentação no Museu Nacional de Arte Antiga, em Lisboa, do núcleo de pintura flamenga da Madeira; 23 Maio - regresso do acervo de pintura ao Funchal; 1955, 1 Junho - inauguração do Museu Diocesano de Arte Sacra do Funchal a que presidiu o então presidente da República, general Francisco Higino Craveiro Lopes; 1991 / 1992 - deslocação à Europália e a Lisboa do espólio de pintura e escultura flamengas do Museu; 1993 - obras de reabilitação do Museu para reinstalação da coleção de pintura e escultura flamengas; 1994, 14 Dezembro - reabertura do Museu.