Image
Arquipelago de Origem:
Funchal
Data da Peça:
1906-00-00
Data de Publicação:
12/01/2021
Autor:
Ministério das Obras Públicas
Chegada ao Arquipélago:
2021-01-12
Proprietário da Peça:
Levada da Serra do Faial
Proprietário da Imagem:
Levada da Serra do Faial
Autor da Imagem:
Privado
Torre divisória das águas da Levada da Serra do Faial, 1906, Machico, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Torre divisória das águas da antiga Levada da Serra do Faial.
    O. P. (Ministério das Obras Públicas), 1906.
    Comissão Administrativa dos Aproveitamentos Hidráulicos da Madeira; Lamaceiros, donde parte água para a Portela e o Porto da Cruz.
    (Informação de Raimundo Quintal).
    Portela, Machico, ilha da Madeira

    Antiga Levada da Serra do Faial, integrada na Levada do Furado ou do Ribeiro Frio
    Madre, Ribeiro Frio (870 mts); Fim, Casa de água dos Lamaceiros/ Levada da Portela (840 mts) - 8,5 km
    A levada do Furado é dada como uma das levadas mais antigas da Ilha da Madeira. Terá sido uma levada iniciada pelo genovês Rafael Catanho, tarefa que excedeu as suas possibilidades e que foi a coroa portuguesa a concluir a construção da mesma, segundo se regista nas Saudades da Terra, mas o que se não deverá levar totalmente à letra.
    No século XVI, a Levada do Furado teria a capacidade de alimentar vastas áreas de plantação sacarina, incluindo o Caniçal, com a água captada no Ribeiro Frio. Segundo consta, vários desvios de água, grandes perdas no canal de construção rudimentar resultavam num custo de manutenção superior ao benefício alcançável, tendo sido abandonado o ramal terminal.
    O troço entre o Ribeiro Frio e a Portela deverá ter estado sempre em serviço, provendo regadio às terras do Porto da Cruz e zonas altas de Machico. A levada do Furado desenvolvia-se inicialmente numa extensão de quatro léguas e meia (cerca de 30 km) e teve um custo de construção de 100.000 cruzados.
    Pela elevada dificuldade em abrir um novo canal entre o Ribeiro Frio e a Portela, para transportar as abundantes águas da costa norte, o aqueduto da Levada do Furado tornou-se o veículo de transporte e partilha com as águas da Levada do Juncal, Levada Nova do Furado ou Acionistas e Levada da Serra do Faial. A partilha do canal foi de tal ordem complexa, que na primeira metade do séc. XX, que o aqueduto era partilhado pela levada do Furado, do Juncal, da Serra do Faial e Nova do Furado ou dos Acionistas, sendo para isso utilizadas caixas divisórias no referido sítio dos Lamaceiros e no sítio do Lombo da Raiz. Essas caixas foram aprimoradas para casas de água, em 1906 e subsistem até os dias de hoje.
    Com a entrega da gestão das referidas levadas à Comissão Administrativa dos Aproveitamentos Hidráulicos da Madeira, foram extintas as Levadas do Furado, Juncal, Nova do Furado e Acionistas e a Levada da Serra do Faial tomou a responsabilidade de prover regadio a todas as zonas alimentadas pelas outras levadas.