Image
Arquipelago de Origem:
Santa Maria Maior (Funchal)
Data da Peça:
1616-00-00 00:00:00
Data de Publicação:
20170508
Autor:
LS
Chegada ao Arquipélago:
2008-01-23 00:00:00
Proprietário da Peça:
Diocese do Funchal
Proprietário da Imagem:
Virgilio Gomes
Autor da Imagem:
Virgilio Gomes
Tecto da capela do Corpo Santo, 1616, Funchal, ilha da Madeira.

Categorias
  • Arquitectura religiosa
    • Capela
  • Arte Sacra
    • Imaginária
  • Fotografia / imagem
    • Costumes
    • Interiores
  • Grupos e instrumentos Musicais
    • Harpa e afins
    • Viola e afins
  • Personalidades
    • Anjos e arcanjos
    • Fotógrafos
    • Pintores, gravadores e douradores
    • Santos e mártires
  • Pintura
    • Óleo
Descrição
Anjos Músicos.
Óleo sobre tela, 1616.
Assinado LS (?).
Fotografia de Virgílio Gomes, Janeiro de 2008.
Tecto da ousia da capela do Corpo Santo, Funchal, ilha da Madeira.

Pintores LSA e oficina de Fernão Gomes, prateiros Tristão Ribeiro e Guilherme Guedes Mancilha.
Cronologia
Séc. 15, fins - início da construção; 1520 (c.) acabamento da passagem a pedra do edifício; 1530 / 1550 - execução das tábuas do retábulo-mor; 1567 - representação na planta do Funchal de Mateus Fernandes III; 1580 - execução do cálice gótico datado, hoje no Museu de Arte Sacra; c. 1590 - execução das tábuas de Nossa Senhora da Estrela e de São Lourenço pela oficina de Fernão Gomes; 1594 - execução de obras registadas na moldura da fresta do lado do Evangelho; c. 1600 - execução dos 2 lampadários de prata do altar de São Lourenço e do Corpo Santo na oficina de Tristão Ribeiro; 1615 / 1616 - execução das telas da capela-mor assinadas e datadas por LSA;
1691 - reforma do primitivo compromisso da confraria; 1745 - nova reforma do compromisso da confraria com alargamento às mulheres dos marítimos; 1803, 20 Jan. - transferência da capela de São Sebastião da imagem "milagrosa" de Santo Elói padroeiro dos ourives; c. 1800 - execução do púlpito, colocado do lado da Epístola; 1881 / 1887 - execução do conjunto dos lampadários e cruz processional por Guilherme Guedes Mancilha. Séc. 16, fins - início da construção; 1530 / 1550 - execução das tábuas do retábulo-mor; 1567 - representação na planta do Funchal de Mateus Fernandes III; 1580 - execução do cálice gótico datado, hoje no Museu de Arte Sacra; 1590, cerca - execução das tábuas de Nossa Senhora da Estrela e de São Lourenço pela oficina de Fernão Gomes; 1594 - execução de obras registadas na moldura da fresta do lado do Evangelho; c. 1600 - execução dos 2 lampadários de prata do altar de São Lourenço e do Corpo Santo na oficina de Tristão Ribeiro; 1615 / 1616 - execução das telas da capela-mor assinadas e datadas por LSA; 1691 - reforma do primitivo compromisso da confraria; 1745 - nova reforma do compromisso da confraria com alargamento às mulheres dos marítimos; 1803, 20 Janeiro - transferência da capela de São Sebastião da imagem "milagrosa" de Santo Elói padroeiro dos ourives; c. 1800 - execução do púlpito, colocado do lado da Epístola; 1881 / 1887 - execução do conjunto dos lampadários e cruz processional por Guilherme Guedes Mancilha; 1940, 26 setembro - publicação de Decreto nº 30 762, no DG, 1.ª série, n.º 225, determinando a classificação da Capela do Espírito Santo / Capela do Corpo Santo como Imóvel de Interesse Público; 01 novembro - publicação do Decreto nº 30 838, DG, 1.ª série, n.º 254, suspendendo o decreto n.º 30 762, de 26 de setembro do mesmo ano, relativamente à classificação de imóveis de propriedade particular.
Tipologia
Arquitectura religiosa, gótica e maneirista. Pequena capela conservando elementos da construção dos finais do Séc. 15 e as linhas gerais da reconstrução dos meados do 16, de planta longitudinal, frontispício em empena e interior com decoração essencialmente maneirista.
Características Particulares
Capela de linhas sóbrias com decoração interior, sobretudo na capela-mor, de grande exuberância. A decoração da capela-mor, com o magnífico retábulo maneirista, com tábuas dos meados do séc. 16, enquadradas por talha e pintura dos inícios do 17, estende-se pelas paredes laterais e pelo tecto, constituindo um dos conjuntos de melhor qualidade da ilha. Acrescido ainda das portadas de madeira da porta, muito provavelmente ainda do séc. 16 ou dos inícios do 17, assim como o conjunto de imaginária e demais pintura, contribui para a constituição de um pequeno museu de arte e devoção dos mareantes do Funchal. Os altares laterais são de talha ligeiramente posterior ao retábulo-mor, a enquadrar pinturas sobre madeira atribuíveis à oficina de Fernão Gomes. As pinturas das paredes da capela-mor possuem por vezes um carácter ingénuo e os anjos músicos do tecto têm muito boa escala.