Image
Arquipelago de Origem:
Cochim
Data da Peça:
1864-00-00
Data de Publicação:
30/06/2023
Autor:
Oficina local
Chegada ao Arquipélago:
2023-06-30
Proprietário da Peça:
Património do Archaeological Survey of India
Proprietário da Imagem:
Rui Carita
Autor da Imagem:
Rui Carita
Sala dos dignitários da corte do rajá de Cochim, repintura de 1864, Palácio de Mattancherry, Kochi Fort, Koch, Kerala, União Indiana.

Categorias
    Descrição
    Sala dos dignitários da corte do rajá de Cochim.
    Fresco.
    Repintura de oficina local de 1864.
    Palácio com construção portuguesa de 1555 e reformas nos anos seguintes.
    Visita no âmbito do 7º colóquio internacional da Casa Senhorial Portugal, Brasil & Goa; 7th International Colloquium on Manor Houses
    Fundação Oriente, Goa, 13 a 17 fevereiro 2023.
    Fotografia de 19 de fevereiro de 2023.
    Palácio de Mattancherry, Kochi Fort, Koch, Kerala, União Indiana.

    O Palácio de Mattanchery foi construído pelas autoridades portuguesas, cerca de 1555, para ser oferecido ao rajá de Cochim, Vira Kerala Varma (c. 1500-1561). Para além de um gesto diplomático que visava consolidar relações, as razões da construção do palácio prendiam‐se com a tentativa de fixação do rajá e da sua corte, na cidade que os portugueses tinham construído na embocadura do Lago Vembanad. Contrariando uma tradição antiga, em que família real e corte tendiam a deambular por palácios de pequenas proporções, construídos em requintadas estruturas de madeira, o novo palácio ergue‐se de forma compacta e monumental, na tradição dos grandes palácios construídos pelos portugueses para os seus governadores e vice-reis. De grossas paredes em laterite rebocadas a cal, pela sua solidez esta nova arquitetura afirmava‐se de grande resistência face aos constantes conflitos que assolavam a região e opunham o rajá de Cochim ao samorim de Calicute. Afastando‐se das tradições indianas, onde o modelo de casa tradicional autóctone se caracterizava por um piso térreo assente sobre uma plataforma, o programa arquitetónico do palácio contempla dois pisos, com conversadeiras nas janelas do piso superior e uma larga escada exterior em pedra, na tradição das casas senhoriais e palácios portugueses do século XVI. Testemunhando uma progressiva influência portuguesa na arquitetura da região, é este novo modelo de casa, com dois pisos e paredes de laterite, que virá a ser assimilado pela arquitetura local corrente, vindo nos séculos seguintes a ser integrado no modelo de casa tradicional. Cruzando tradições autóctones com tradições portuguesas, o palácio apresenta uma estrutura em pátio interior, onde se recolhe um pequeno templo dedicado à divindade tutelar da família real, Pazhayannur Bhagwati.
    De inegável valor patrimonial, ao longo dos séculos o palácio recebeu magníficas pinturas que decoram várias salas dos seus interiores, pinturas essas que atestam a emergência, no século XVI e XVII, de uma escola de pintura de grande qualidade estética no Kerala. Nas divisões contíguas à grande sala central, com cobertura em pau‐rosa, encontram‐se pintadas cenas da iconografia de Shiva e Vishnu. Noutros compartimentos, podemos observar representações da vida de várias divindades. No interior do palácio recolhe‐se um conjunto de pedras lavradas ao gosto manuelino, correspondendo em princípio a uma antiga janela do palácio. Aqui encontra‐se instalado desde 1985 o Mattanchery Palace Museum, sob a tutela do Archaeological Survey of India (Hélder Carita)