Image
Arquipelago de Origem:
Irmandade dos Clérigos do Porto
Data da Peça:
2014-12-00 00:00:00
Data de Publicação:
20161216
Autor:
Irmandade dos Clérigos
Chegada ao Arquipélago:
2016-12-15 00:00:00
Proprietário da Peça:
Irmandade dos Clérigos do Porto
Proprietário da Imagem:
Público
Autor da Imagem:
Público
Reabilitação da sala do lavatório da igreja dos Clérigos, 1760 (c.), Porto, 2014, Portugal

Categorias
  • Arquitectura religiosa
    • Hospícios e similares
    • Igreja
    • Sacristias e instalações
  • Arte Sacra
    • Lava-mãos
    • Pias e fontes
  • Escultura
    • Pedra
  • Fotografia / imagem
    • Costumes
    • Interiores
  • Personalidades
    • Artífices e populares
    • Eclesiásticos
    • Engenheiros e arquitectos
    • Escultores e entalhadores
    • Mestres de obras reais e outros
Descrição
Lavatório da sacristia da igreja dos Clérigos.
Lava-mãos.
Cantaria esculpida de oficina portuense, 1760 (c.).
Sacristia com projeto geral de Nicolau Nazonni ou Nicolau Nasoni (1671-1773)
Fotografia da campanha de reabilitação do padre Américo de Aguiar, dezembro de 2014.
Sacristia da igreja dos Clérigos do Porto, Portugal.

A Irmandade dos Clérigos do Porto resultou da fusão de três instituições de beneficência: Confraria dos Clérigos Pobres de Nossa Senhora da Misericórdia, fundada em 1630; a Irmandade de S. Filipe de Nery, fundada em 1665; e por último, a Confraria dos Clérigos de S. Pedro. Foram criadas na cidade durante o século XVII, com a finalidade de socorrer clérigos em dificuldades. A nova entidade acabaria logo por juntar capital próprio, mas faltava-lhes uma casa própria ou uma igreja, pelo que a 31 de maio de 1731 na assembleia geral desse dia, presidida por D. Jerónimo Távora e Noronha Leme e Cernache se decidiu a construção. O projeto foi entregue a Nicolau Nasoni (1671-1773), com o qual D. Jerónimo realizara outras obras, iniciando-se as obras no ano seguinte e sendo lançada a primeira pedra a 23 de junho de 1732, altura em que se começou logo a construir a torre. A fachada ainda seria reformulada em 1745, abrindo a igreja, devotada a Nossa Senhora da Assunção, a 28 de junho de 1748, mas com a igreja ainda em obras. A capela-mor ainda viria a ser reconstruída, entre 1767 e 1773, dando-se a igreja por concluída nesse ano e sendo sagrada oficialmente a 12 de dezembro de 1779 pelo então bispo do Porto, D. frei João Rafael de Mendonça (1717-1771-1793). Nicolau Nasoni (1671-1773) já havia falecido e fora sepultado nesta igreja à qual devotara muitos anos de trabalho.