Image
Arquipelago de Origem:
Freguesia da Sé (Funchal)
Data da Peça:
1901-06-23
Data de Publicação:
25/06/2020
Autor:
Ciriaco de Brito Nóbrega
Chegada ao Arquipélago:
2020-06-25
Proprietário da Peça:
Ciriaco de Brito Nóbrega
Proprietário da Imagem:
Xavier Miguel
Autor da Imagem:
Xavier Miguel
Proventos da Récita de Gala da Visita Régia organizada por Matilde Sauvaire da Câmara, junho de 1901, Funchal, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Proventos da Récita de Gala da Visita Régia promovida e organizada superiormente por Matilde Sauvaire da Câmara, junho de 1901.
    Matilde Olímpia Sauvaire da Câmara (1871-1957)
    Pub. por Cyriaco de Brito Nóbrega (1856-1928), A Visita de Suas Majestades os Reis de Portugal ao Arquipélago Madeirense. Narração das Festas, Funchal, Tipografia Esperança, 1901, p. 99.
    Imagem de Xavier Miguel.
    Funchal, ilha da Madeira.

    Matilde Olímpia Sauvaire da Câmara (1871-1957) nasce no Funchal a 23 de março de 1871. É a mais nova de três irmãs: Maria Celina (1856-1929) e Maria das Dores (1864-1941). Proveniente de uma família da aristocracia funchalense, cuja história se liga ao panorama literário e cultural da ilha [Maria Celina, bem como Matilde], cresce num ambiente letrado, pautado por uma educação moderna, atenta à literatura e às artes.
    Crescendo no solar dos Viscondes das Nogueiras, na rua da Mouraria, bem no centro do Funchal, as irmãs Sauvayre tiveram uma educação primorosa, em grande parte acompanhada pela avó, Matilde Isabel Santana e Vasconcelos Moniz de Bettencourt (1805-1888), Viscondessa das Nogueiras, uma figura de grande relevo na sociedade de então. Dominava várias línguas, publicou diversos artigos e poemas, realizou traduções e escreveu alguns romances, além do livro intitulado Diálogos entre uma Avó e suas Netas, escrito em 1862, que dedicou às suas netas. Matilde Sauvaire da Câmara morreu a 11 de dezembro de 1957 no Funchal, solteira e sem filhos.
    João Sauvayre (1828-) assinou o contrato para a construção do Teatro Municipal em 1882 e presidiu à cerimónia do lançamento da primeira pedra a 24 de outubro de 1883. Nascido na freguesia de S. Pedro em janeiro de 1828, filho de pai madeirense e mãe francesa, João Sauvayre geria as propriedades herdadas de seu pai. Casa em 1854 com Matilde Lúcia de Santa Ana e Vasconcelos Moniz de Bettencourt, filha de Jacinto de Santana (1801-1870), 1º visconde das Nogueiras e Matilde Isabel Santana e Vasconcelos Moniz de Bettencourt, a escritora Viscondessa das Nogueiras.