Image
Arquipelago de Origem:
Serra Leoa
Data da Peça:
1495-00-00
Data de Publicação:
23/05/2024
Autor:
Oficina sapi-portuguesa
Chegada ao Arquipélago:
2024-05-23
Proprietário da Peça:
NMAfA
Proprietário da Imagem:
Franko Khoury/NMAfA
Autor da Imagem:
Franko Khoury
Pormenor das armas de Castela e Aragão do olifante sapi-português do National Museum of African Art, Washington, Serra Leoa, 1495 a 1525, Washington D.C., Estados Unidos da América.

Categorias
    Descrição
    Pormenor das armas de Aragão e Castela do olifante do NMAfA.
    TANTO MONTA
    Hunting horn ou trompa de caça com as armas de D. Manuel I (1469-1521) e dos Reis Católicos.
    Marfim entalhado, 64,2 x 16,4 x 9 cm.
    Oficina sapi-portuguesa, 1495 a 1525.
    Serra Leoa
    Fotografia de Franko Khoury, 16 de fevereiro de 2006, National Museum of African Art, Smithsonian Institution para Walt Disney-Tishman Collection.
    Museu Nacional de Arte Africana (The Walt Disney Company, 2005-6-9), Washington D.C., Estados Unidos da América.

    Ostentando as armas de D. Manuel I, com a Cruz de Cristo, as esferas armilares e a divisa ALEU, que significa alodial, ou seja com propriedade anterior, foi uma das divisas utilizadas pela Casa de Avis e seus diretos colaboradores, como D. Pedro de Meneses (c. 1370-1437), governador de Ceuta, tal como as armas dos Reis Católicos, Fernando II (1452–1516), rei de Aragão, Sicília e Nápoles e Isabel (1451–1504), rainha de Castela e Leão, com a divisa TANTO MONTA. As gravações parecem inspirar-se nas publicadas no Horae Beatae Mariae Virginis, publicado em Paris, em 1498. Existe exemplar semelhante na Galeria Nacional da Austrália (Ass. N.º 79.2148.A-B), em Canberra, proveniente da galeria Entwistle de Paris, França, que o vendeu em novembro de 1978, em Madrid, somente com as armas de D. Manuel, hoje exposto no Museu Nacional de Artes Decorativas (DE21348) e no The British Museum (Af 1979,01.3156), em principio, adquirido a Sir Hans Sloane (1660–1753),  dado constar das descrições da sua coleção (Miscellanies (Sl.723), 1753 (c.), no Museu Nacional de Arte Antiga (Inv. 989 DIV), em Lisboa, com brasão de armas e Cruz de Cristo, tal como em outros locais. Nos inventários do guarda-roupa de D. Manuel, figuravam 4 exemplares destas trompas africanas e, hoje, ao que saibamos, foram registadas pelo menos 41 trompas de marfim sapi-portuguesas, assim como 63 saleiros - completos ou fragmentados - 3 pixides, 3 punhais ou cabos de punhais, 8 colheres e 3 garfos, todos eles da autoria dos escultores da Serra Leoa, também provavelmente responsáveis pelas figuras de pedra ditas nomolis, mas numa outra qualidade.