Image
Arquipelago de Origem:
Machico
Data da Peça:
1720-00-00 00:00:00
Data de Publicação:
20190221
Autor:
Mestre local
Chegada ao Arquipélago:
2019-02-21 00:00:00
Proprietário da Peça:
Solar do Ribeirinho
Proprietário da Imagem:
Rui Carita
Autor da Imagem:
Rui Carita
Passo processional ou antigo lavabo da antiga Misericórdia de Machico, 1720 (c.), Machico, ilha da Madeira

Categorias
  • Arquitectura Civil
    • Museus, Galerias e auditórios
    • Paços, solares e palácios
    • Quintas e jardins
  • Arquitectura religiosa
    • Oratórios e Passos Processionais
  • Escultura
    • Pedra
  • Fotografia / imagem
    • Costumes
    • Paisagens rurais e urbanas
  • Personalidades
    • Advogados e médicos
    • Escultores e entalhadores
    • Proprietários e comerciantes
Descrição
Passo processional ou lavabo da antiga Misericórdia de Machico.
Cantaria esculpida com vestígios de policromia, 1720 (c.).
Proveniente de prédio junto à igreja matriz, que pertenceu à família do Dr. Rui Nepomuceno.
Fotografia de 9 de fevereiro de 2019.
Jardim do Solar do Ribeirinho, Machico, ilha da Madeira.

O Solar do Ribeirinho é uma reconstrução dos finais do século XVIII, sobre uma série de estruturas mais antigas. O andar térreo assenta num piso de cavalariça e, no logradouro, subsiste um poço-cisterna, conjunto colocado a descoberto no Verão de 1988. O poço-cisterna, de forma cilíndrica, tem aproximadamente 6,5 m. de profundidade e 1,10 m. de diâmetro interno, sendo construído com pedra basáltica e tendo a boca um revestimento de argamassa, aproveitando alguns blocos de cantaria vermelha. As sondagens arqueológicas permitiram identificar a primitiva cavalariça do solar, com partes de paredes de pedra aparelhada assente em calcetamento de calhau rolado, que pode remontar aos meados ou finais do século XVII. Os trabalhos arqueológicos forneceram também um numeroso conjunto de espólio arqueológico dos séculos XVI a XIX, destacando-se a cerâmica (faianças portuguesas dos séculos XVI a XVIII; cerâmica vidrada, cerâmica comum e várias dezenas de fragmentos de formas de açúcar), os fragmentos de azulejos do século XVII e XVIII, um brasão do século XVII, entre outros objectos (moedas, botões em osso, tachas, ferraduras de cavalo, etc.). Mais recentemente, escavações puseram à vista um conjunto de estruturas hidráulicas, destinadas ao regadio de campos de cana-de-açúcar nos arredores do solar.