Image
Arquipelago de Origem:
Paris
Data da Peça:
1995-00-00
Data de Publicação:
27/10/2020
Autor:
Manuel Cargaleiro
Chegada ao Arquipélago:
2020-10-27
Proprietário da Peça:
Metropolitano de Paris
Proprietário da Imagem:
Privado
Autor da Imagem:
Privado
Painel de azulejos de Manuel Cargaleiro, 1995, estação de metro Champs-Elysées-Clemenceau, Paris, França

Categorias
    Descrição
    Painel de azulejos de Manuel Cargaleiro da estação de metro Champs-Elysées-Clemenceau de Paris.
    Manuel Cargaleiro (1927-), 1995.
    Fotografia de 2007.
    Estação de metro Champs-Elysées-Clemenceau, Paris, França.

    O Metropolitano de Lisboa, em 1995, ofereceu este conjunto de painéis de azulejos da autoria do artista português Manuel Cargaleiro (1927-), ao Metropolitano de Paris montados na estação de metro Champs-Elysées-Clemenceau, em retribuição pela oferta da réplica do modelo da estação do desenhador industrial Hector Guimard (1867-1942), grande nome da Art Noveau, de 1889 a 1900, desse mesmo ano de 1995.
    Manuel Cargaleiro (Castelo Branco, 1927; ). Nascido em Chão das Servas, Vila Velha de Ródão, Castelo Branco, em 1928 já residia na Caparica, tendo iniciado a sua atividade artística como ceramista, em 1945, na olaria de José Trindade e, em 1948, na Fábrica Santana, em Lisboa. Tendo em Paris, em 1954, contatado com a obra de Maria Helena Vieira da Silva (1908-1992), passa para o seu círculo de amigos, efetuando depois inúmeras exposições nacionais e internacionais, podendo-se destacar a sua participação no The Second Internacional Contemporary Art Fair em Londres, 1985; na Feira Internacional de Arte Contemporânea (FIAC 82); na exposição da Coleção Mário Soares no Museu do Chiado, 1996; e na exposição Les Trente Ans de la Galerie Jacob na Galerie Jacob em Paris, também em 1996. Foi agraciado com a Ordem da Cruz de Santiago da Espada pelo Presidente da República Portuguesa, e com o Grau de Officier des Arts et des Lettres pelo Governo Francês. Em 1990 constitui a Fundação Manuel Cargaleiro, na margem Sul do Tejo e, em 2011, o Museu Cargaleiro, em Castelo Branco, distrito onde nasceu.