Image
Arquipelago de Origem:
Lisboa (cidade)
Data da Peça:
1928-09-22
Data de Publicação:
20/06/2022
Autor:
António Lourenço
Chegada ao Arquipélago:
2022-06-20
Proprietário da Peça:
Hemeroteca digital de Lisboa
Proprietário da Imagem:
Hemeroteca digital de Lisboa
Autor da Imagem:
Hemeroteca digital de Lisboa
O Fauno das Montanhas e A Calúnia de Manuel Luís Vieira, revista Cinéfilo, Lisboa, 22 de setembro de 1928, Portugal

Categorias
    Descrição
    A propósito do "Fauno das Montanhas" e da "Calúnia".
    Artigo de António Lourenço onde se destaca a falta de atenção que, no continente, era dispensada à cinematografia do ousado cineasta madeirense; inclui fotografias do elenco de atores e do próprio autor Manuel Luiz Vieira (1885-1952)
    Lisboa, revista Cinéfilo, 22 de setembro de 1928, p. 24 (pp. 24-26).
    Lisboa, Portugal.

    Manuel Luís Vieira (21 jun. 1885-23 ago. 1952), fotógrafo de profissão (fundou a famosa Casa Pathé, no Funchal) começou a interessar-se pela "fotografia animada" no final da década de 10, tendo realizado as suas primeiras experiências cinematográficas em 1924, ano em que adquiriu a sua primeira câmara de filmar à Pathé Freres, em Paris. O seu laboratório e estúdio de filmagens da ECA - Empresa Cinegráfica Atlântida, companhia fundada pelo próprio, situava-se na rua Dr. Câmara Pestana e ocupava um espaço de 200 metros quadrados, um valor já apreciável para os estúdios nacionais da época. O laboratório possuía várias tinas de revelação de películas, tanques com capacidade para 250 litros para lavagem e secadores para 240 metros de fita, para além de projetores e dois aparelhos Debrie (os modelos Parvook e Enterview). Pub. Ana Salgueiro, “Da Estranheza (do Fantástico) no Cinema de Manuel Luiz Vieira”, in Arquivo Histórico da Madeira, Nova Série, n.º 4, Funchal, 2022, p. 387.