Image
Arquipelago de Origem:
Londres
Data da Peça:
1912-02-12
Data de Publicação:
11/10/2020
Autor:
José da Rocha Martins
Chegada ao Arquipélago:
2020-10-11
Proprietário da Peça:
Ilustração Portuguesa
Proprietário da Imagem:
Hemeroteca digital
Autor da Imagem:
Ilustração Portuguesa
Notícia do Pacto de Dover, A Entrevista de Douvres, Ilustração Portuguesa, nº 313, Lisboa, 12 de fevereiro de 1912, p. 212, Portugal.

Categorias
    Descrição
    Notícia do Pacto de Dover, A Entrevista de Douvres.
    Fotografia do quarto do Lorde Warden Hotel a 30 de janeiro de 1912, em que D. Manuel II (1889-1932), o Visconde de Asseca (Salvador Correia de Sá e Benevides Velasco da Câmara, 9º Visconde de Asseca, 1873-1939), D. Miguel Januário de Bragança (1866-1920) e Henrique de Paiva Couceiro (1861-1944) teriam negociado o acordo.
    Artigo/reportagem de Francisco José da Rocha Martins (1879-1952)
    Ilustração Portuguesa, nº 312, Lisboa, 12 de fevereiro de 1912, p. 213, Portugal.

    Com este nome conhece-se o pacto que, a 30 de janeiro de 1912, foi assinado no Lord Warden Hotel de Dover, Inglaterra, entre D. Miguel Januário de Bragança (1866-1920), representado por Henrique de Paiva Couceiro (1861-1944), e D. Manuel II (1889-1932). Por meio deste tratado, procedia-se à união das vertentes tradicionalista e monárquica para se fortalecerem contra a República, que tinha sido implantada a 5 de outubro de 1910. Tinha havido um encontro prévio na cidade de Bordéus entre os principais representantes de cada fação, já mencionados, e de outros membros relevantes como D. Alexandre de Saldanha da Gama, o Dr. Domingos Pinto Coelho e D. Miguel Vaz de Almada (partidário de D. Manuel II) e Francisco Daun e Lorena (miguelista), que serviu de preparação ao Pacto de 1912. O jornalista Francisco José da Rocha Martins (1879-1952), mais tarde viria a opor-se à sucessão da casa de Bragança no filho D. Miguel Januário, D. Duarte Nuno de Bragança (1907-1976)