Image
Arquipelago de Origem:
Machico
Data da Peça:
1966-00-00
Data de Publicação:
11/09/2022
Autor:
Carlos Cristóvão
Chegada ao Arquipélago:
2022-09-11
Proprietário da Peça:
Rui e Joana Carita
Proprietário da Imagem:
Rui Carita
Autor da Imagem:
Rui Carita
No Vale de Machico, Carlos Cristóvão, 1966, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Carlos Cristóvão (1924-1998), No Vale de Machico, edição do autor, 1966, ilha da Madeira
    Depois transposto para teatro, como O Senhor dos Milagres.

    Carlos Cristóvão da Câmara Leme Escórcio de Bettencourt, nascido no dia 25 de fevereiro de 1924, na freguesia de S. Pedro, no Funchal e, depois de batizado, voltou a Machico na companhia de seus pais, Francisco Pedro de Bettencourt e D. Gabriela Helena da Câmara Leme Escórcio Gouveia de Bettencourt, vivendo na Rua General António Teixeira de Aguiar, antiga Rua Direita, em antiga casa solarenga pertencente à sua família materna, sendo seu avô, João Conceição Rodrigues Gouveia, descendente de uma das principais famílias  de Machico. Ali cresceu e frequentou a escola primária, após a qual foi estudar para o Funchal, onde fez o sétimo ano do Liceu. Começou a escrever aos onze anos mas só aos vinte e oito é que publicou os seus primeiros poemas na antologia “Arquipélago” em 1952, com oito outros poetas que se reuniam habitualmente no café Apolo e que teve direito a caricatura na capa do Re-Nhau-Nhau, de Paulo Sá Braz (1919-2003). Foi assim poeta, romancista, escreveu peças de teatro e, entre as suas obras, destaca-se o Elucidário de Machico, cuja primeira edição foi publicada em 1981. O seu solar de São Cristóvão, no Caramanchão, em Machico, datado na porta do andar térreo de 1692, então em avançado estado de degradação, foi doado à Região a 13 de março de 1987, tendo Carlos Cristóvão falecido em 1998.