Image
Arquipelago de Origem:
Angústias (Funchal)
Data da Peça:
2008-00-00
Data de Publicação:
13/08/2020
Autor:
Câmara Municipal de Gibraltar
Chegada ao Arquipélago:
2020-08-13
Proprietário da Peça:
Câmara Municipal do Funchal
Proprietário da Imagem:
Rui Marote/Funchal Notícias
Autor da Imagem:
Rui Marote
Monumento-memória dos Gibraltinos na Madeira, 2008, Parque de Santa Catarina, Funchal, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Monumento-memória dos Gibraltinos na Madeira
    Estadia geral de 2 de julho de 1940 a 28 de maio de 1944.
    Oferta da câmara municipal de Gibraltar, 2008.
    Fotografia de Rui Marote, agosto de 2016.
    Parque de Santa Catarina, Funchal, ilha da Madeira

    O documentário “Exílio Atlântico” (maio de 2019) narra a história do plano de evacuação em massa da população de Gibraltar, essencialmente as Gibraltinas, sob a ameaça do Exército Alemão transpor a barreira dos Pirenéus. O Poder Britânico compelido a militarizar o território colonial, teve de assegurar planos viáveis para os evacuados. Duas mil mulheres e crianças foram deportados para a ilha da Madeira, em coordenação com a Associação Comercial do Funchal, permanecendo em solo português até ao fim do conflito, entre 2 de julho de 1940 a 28 de maio de 1944. Em nenhum outro momento da História da Madeira, uma comunidade estrangeira foi tão bem recebida e transformou tanto as mentalidades. Alberto Vieira (1956-2019), Gibraltar e Madeira. 1940-1944. Uma união de facto num paraíso fustigado pela guerra, Cadernos de divulgação do CEHA, Projeto “Memória-Nona Ilha”/DRC/SRETC, N.º 03, junho de 2016, pp. 4 e 15.