Image
Arquipelago de Origem:
Freguesia da Sé (Funchal)
Data da Peça:
1921-00-00
Data de Publicação:
30/01/2021
Autor:
Igreja Evangélica da Língua Alemã do Funchal
Chegada ao Arquipélago:
2021-01-30
Proprietário da Peça:
Igreja Evangélica da Língua Alemã do Funchal
Proprietário da Imagem:
Igreja Evangélica da Língua Alemã do Funchal
Autor da Imagem:
Igreja Evangélica da Língua Alemã do Funchal
Memorial da campa dos Sattler do cemitério Inglês do Funchal, 19 de novembro de 2019, ilha da Madeira.

Categorias
    Descrição
    Memorial dos Sattler na campa dos Sattler e Gesche, George Friedrich Sattler e Marie Camille Sattler.
    George Friedrich Sattler (mar. 1838-29 jul. 1921).
    Marie Camille Elizab. Houghton, née Sattler (Funchal, 17 set. 1868-idem, 2 fev. 1955)
    Cerimónia de deposição das cinzas da filha e antiga consulesa da Alemanha Elisabeth Elfriede Gesche (1924-2019)
    Cemitério Inglês do Funchal, 19 de novembro de 2019, ilha da Madeira.

    Elisabeth Elfriede Gesche (Funchal, 17 jan. 1924-14 nov. 2019) nasceu na Quinta Olavo, Caminho dos Saltos, filha de Emil Franz Gesch (1876-1966) e de Dorotthea Katharine Ottibe Macduff Sattler (1886-1956). O casal teve mais 3 filhos: Hertha Gesch Lenz (1915-), professora de Educação Física licenciada pela Universidade de Hamburgo e residente na Alemanha; Kurt Gesch (1921-1943), falecido na II Grande Guerra e Melita Gesch (1925-), médica licenciada em Lisboa, em 1957 e que viveu nos Estados Unidos. O avô George Friedrich Sattler (1838-1921), sócio da firma Krohn Brothers & Co., exercera as funções de presidente e vice-presidente da Associação Comercial do Funchal, tal como de cônsul honorário da Alemanha no Funchal, entre 1876 e 1910. O lugar passaria a Emil Gesch, entre 29 maio de 1910 e 1916, retirando-se quando Portugal entrou na Grande Guerra, mas, entretanto, tendo passado a genro do seu antecessor, ao casar a 14 fev. 1914, a bordo do navio de guerra alemão SMS Hertha, surto no porto do Funchal, com Dorotthea Sattler. Voltaria a desempenar o lugar entre 1921 e 1945, voltando, outra vez a ter que sair da Madeira, mas voltando a ter nomeação entre 1957 e 1966, quando o lugar passou à sua filha Elisabeth Elfriede Gesche. A consulesa desempenharia o lugar entre 1966 até 1997, sucedendo-lhe Ricardo Dumont dos Santos. Elisabeth Elfriede Gesche faleceu a 14 nov. 2019, tendo as suas cinzas sido depositadas no cemitério inglês, junto dos seus pais e avós, a 19 seguinte. A cerimónia teve a presença dos familiares mais próximos e dos amigos, tendo a sobrinha Swantje Cutler proferido algumas palavras em memória da tia a doutora Anne Martina Emonts agradecido o seu trabalho como cônsul e membro da junta de freguesia em alemão e português. Após o Salmo 23 lido pela Sra. Petra Steglich, foi seguido pelo Salmo 23 em português, lido pela professora Martina Emonts.