Image
Arquipelago de Origem:
São Paulo (Brasil)
Data da Peça:
1990-00-00
Data de Publicação:
03/05/2021
Autor:
Escultor Igala da Nigéria
Chegada ao Arquipélago:
2021-05-03
Proprietário da Peça:
Museu Afro Brasil
Proprietário da Imagem:
Museu Afro Brasil
Autor da Imagem:
Museu Afro Brasil
Máscara do culto Egu do povo Igala da Nigéria, 1990 (c.) do Museu Afro Brasil, módulo religiosidade, curadoria de Emanoel Araújo, São Paulo, 2004, Brasil.

Categorias
    Descrição
    Máscara do culto Egu do povo Igala da Nigéria.
    Madeira pintada e patinada, 35,5 x 25 x 27,5 cm.
    Escultor Igala, 1990 (c.).
    Museu Afro Brasil. Um conceito em perspetiva, módulo o sagrado e o profano, museu com curadoria de Emanoel Alves de Araújo (Bahia, 1940-) inaugurado a 23 de outubro de 2004 pelo presidente Lula da Silva.
    Fotografia 2016.
    Avenida Pedro Álvares Cabral, Portão 10, Parque Ibirapuera, São Paulo, Brasil.

    Os Igala habitam historicamente a margem leste do rio Níger, na Nigéria. Privilegiados pela sua posição geográfica tiveram contato com importantes tradições artístico-culturais de diversos povos e reinados, como os Nupe, o Reino do Benim e, posteriormente, com os Yorubá, dos quais receberam influência cultural e linguística. Estima-se que a população Igala atual chegue a 2 milhões de pessoas. Os Igala realizam uma série de festivais comemorativos e essas festas são recordações coletivas de fatos históricos e lendários que podem ocorrer, dentre outras datas, no período da colheita do inhame. Uma das festas mais importantes é o culto de Egu, festa em honra aos mortos, a qual esta máscara está intimamente ligada. Para cada festividade Igala são utilizadas máscaras específicas que exaltam os símbolos de sua identidade, retomando os ícones de sua tradição. Algumas características estilísticas comuns a grande parte das máscaras Igala são: a representação da face estriada (com escarificações semelhantes às encontradas nas esculturas de Ifé), o entorno ocular e pálpebras pintados de branco, cabeça esculpida de forma ovalada, orelhas circulares e figuração de barba (similares às máscaras de culto Egungun dos Yorubá). Pub. in África em Artes, Juliana Ribeiro da Silva Bevilacqua e Renato de Araújo da Silva, São Paulo, Museu Afro Brasil, 2016, Brasil, p. 24.