Image
Arquipelago de Origem:
Funchal
Data da Peça:
1965-00-00 00:00:00
Data de Publicação:
15/09/2022
Autor:
Fotógrafo do Funchal
Chegada ao Arquipélago:
2022-09-15
Proprietário da Peça:
Biblioteca Municipal do Nordeste, ilha de São Miguel
Proprietário da Imagem:
Biblioteca Municipal do Nordeste, ilha de São Miguel
Autor da Imagem:
Biblioteca Municipal do Nordeste, ilha de São Miguel
Maria Mendonça, Funchal, 1965 (c.), ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Maria da Trindade Mendonça,
    (1916-1997), 1965 (c.)
    Espólio da Biblioteca Municipal do Nordeste, ilha de São Miguel, Açores.
    Funchal, ilha da Madeira.

    Natural da vila do Nordeste, na ilha de São Miguel, Açores, Maria Mendonça cedo descobriu os livros e aos 16 anos já escrevia para os jornais. Radicada no Funchal desde 1940, resgata da penhora o semanário Eco do Funchal. Ao longo de quase 20 anos (1951-1970) esteve à frente do periódico, cuja redação se localizava na Travessa do Freitas. Criou o suplemento infantil A Canoa, entregando a direção a Maria do Carmo Rodrigues. Comprou ainda o jornal humorístico Re-Nhau-Nhau, que tentou republicar após o 25 de Abril. Grande promotora do livro, cria a casa Editorial Eco do Funchal, lançando obras ainda hoje consideradas de referência. Organizou no café-restaurante O Pátio tertúlias e conferências, para as quais convidou intelectuais como Maria Lamas, Natália Correia e Vera Lagoa. Durante as décadas de 70 e 80, O Pátio foi um importante centro de encontro da intelectualidade madeirense. A jornalista adquiriu o recheio do estúdio da Photographia Vicente's, instalado no mesmo prédio, que vendeu em 79 ao Governo Regional, fazendo hoje parte do Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente's. Em 1986, voltou aos Açores, como Diretora Regional dos Assuntos Culturais e aí morreu aos 81 anos, em 1997. (Roteiro Mulheres do Funchal, n.º 25, 2020)