Image
Arquipelago de Origem:
Faial (Açores)
Data da Peça:
2021-11-00
Data de Publicação:
20/11/2022
Autor:
Vários
Chegada ao Arquipélago:
2022-11-20
Proprietário da Peça:
Rui e Joana Carita
Proprietário da Imagem:
ADCA, Agência para o desenvolvimento da Cultura nos Açores
Autor da Imagem:
Angelina Caixeiro
Mar Tenebroso, catálogo de exposição O Projecto Margullar e os naufrágios dos Açores, Horta e Angra do Heoísmo, ADCA, novembro de 2021, ilha do Faial, Açores

Categorias
    Descrição
    Mar Tenebroso
    Catálogo da exposição O Projecto Margullar e os naufrágios dos Açores.
    Sala polivalente da Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça, Horta, ilha do Faial, Açores.
    ADCA, Horta e Angra do Heroísmo, novembro de 2021.

    O Museu da Horta e a Biblioteca Pública e Arquivo Regional João José da Graça, promovem a exposição Mar Tenebroso. O projeto “Margullar” e os naufrágios dos Açores, diligenciada pela Direção Regional dos Assuntos Culturais (CPMIA) e pela ADCA-Agência para o Desenvolvimento da Cultura nos Açores, no âmbito do projeto INTERREG “Margullar”, na sala polivalente da BPARJJG, na Horta, aberta ao público até ao final do ano de 2022, de Terça-feira a Domingo, das 10.00 às 13.00 e das 14.00 às 18.00 horas. A exposição versa sobre os trabalhos efetuados no projeto Margullar, iniciado em 2017 e que terminará em 2023, que se debruçou sobre o Mar Cultural dos Açores, no binómio salvaguarda do património cultural subaquático e criação de produto diferenciado e sustentável de turismo cultural. Os fundos marinhos dos Açores são de uma beleza e diversidade de cenários naturais de grande potencial para o mergulho. Acresce a existência de cerca de um milhar de naufrágios, documentalmente, registados para os mares dos Açores. Na encruzilhada dos mundos, ponto de paragem obrigatório na navegação atlântica, este território foi local estratégico de escala nacional e internacional, durante toda a época moderna. Os navios que aqui atracavam cumpriam as mais diversas funções: militares, comerciais, pirataria ou, exploração de novas terras. As tempestades, as deficientes construções ou manutenções dos navios, as batalhas navais e os erros humanos e dos instrumentos de navegação, foram os motivos mais frequentes que levaram ao afundamento de tão impressivo número de embarcações. Essas embarcações são testemunhas silenciosas dos mais variados momentos da história mundial.
    A exposição, de âmbito regional, reúne acervos do Museu Carlos Machado, Museu de Angra do Heroísmo, Museu Francisco de Lacerda, Museu do Pico, Museu da Horta e Museu das Flores, para além de peças oriundas de coleções particulares das ilhas Graciosa, São Jorge, Pico e Faial.