Image
Arquipelago de Origem:
Rio de Janeiro (Brasil)
Data da Peça:
1817-00-00
Data de Publicação:
15/05/2024
Autor:
António Gomes da Silva e Inácio Luís da Costa
Chegada ao Arquipélago:
2024-05-15
Proprietário da Peça:
Palácio Nacional da Ajuda
Proprietário da Imagem:
Palácio Nacional da Ajuda
Autor da Imagem:
Palácio Nacional da Ajuda
Manto, cetro e coroa real portuguesa, Rio de Janeiro, 1817, Palácio Nacional da Ajuda, Lisboa, Portugal.

Categorias
    Descrição
    Manto, cetro e coroa real portuguesa.
    Com o manto da coroação no Rio de Janeiro, os retratos de D. João VI (1767-1826) de Albert Jacob Frans Gregorius (1774-1853) e alegoria à aclamação de D. Miguel (1802-1866)
    Cetro de ouro, 84,3 × 5,3 cm; 648 g
    António Gomes da Silva (act. 1798 - c. 1842), ao qual se conhecem os pagamentos e oficina de Inácio Luís da Costa (atrib.), que assina a coroa
    Coroa de ouro, seda, algodão, prata, 30 × 40 cm; 2.402 g
    Insc.: "Ignacio Luis da Costa o fes no Rio de Janeiro 1817"
    António Gomes da Silva (act. 1798 - c. 1842), oficina de Inácio Luís da Costa
    Brasil, Rio de Janeiro, 1817
    Projeto de Museologia de Francisco Providência, conjunto inaugurado a 1 de junho de 2022.
    Museu Tesouro Real na nova fachada poente do Palácio Nacional da Ajuda (Inv.s do cetro e coroa: 4868 e 4863), Lisboa, Portugal

    O Tesouro Real é a principal estrutura na nova ala do Palácio Nacional da Ajuda, como uma caixa-forte que alberga, entre outros, 900 exemplares de joalharia real, 830 de joias do quotidiano, pratas utilitárias e decorativas que pertenceram à casa real portuguesa é, também, um percurso expositivo, circular, que acontece entre o terceiro e quarto pisos do novo edifício, tirando partido dos 12 metros de pé direito de cada piso. O acervo é vasto e vai desde as grandes pratas de aparato, ofertas diplomáticas, condecorações, moedas, baixela Germain, e também os materiais em si como as pepitas de ouro, brilhantes, esmeraldas, safiras e diamantes, estes graças às minas do Brasil, isto sem esquecer as joias do quotidiano da família real, com pedras extraordinárias, que faziam parte de um lastro que a coroa ia acrescentando. Será possível visitar os 11 núcleos da exposição, que integra peças como ouro e diamantes do Brasil, moedas e medalhas reais, joias de antigas coleções da família real, objetos de prata lavrada, que inclui salvas e pratas quinhentistas, antigas coleções particulares do rei Fernando II, ou alfaias litúrgicas e paramentos usados nos cerimoniais religiosos, especialmente na capela real.