Image
Arquipelago de Origem:
Madeira (Região Autónoma)
Data da Peça:
1720-00-00 00:00:00
Data de Publicação:
20180916
Autor:
Não identificado
Chegada ao Arquipélago:
2004-07-01 00:00:00
Proprietário da Peça:
Museu da Quinta das Cruzes
Proprietário da Imagem:
DRAC
Autor da Imagem:
Rui Camacho
Henrique Henriques de Noronha, 1720 (c.), ilha da Madeira

Categorias
  • Personalidades
    • Titulares e morgados
  • Pintura
    • Óleo
Descrição
Henrique Henrique de Noronha.
Óleo sobre tela, cerca de 1720.
Antiga colecção Bolger-Torre Bela.
Museu da Quinta das Cruzes, Funchal, ilha da Madeira.

Henrique Henriques de Noronha (Câmara de Lobos, 1 mar. 1667-Funchal, 26 abr. 1730). Filho de Pedro Bettencourt Henriques e de D. Maria de Meneses, estudou cânones na universidade de Coimbra, entre 1682 e 1684, o que lhe abriu caminho para uma formação clássica e religiosa, patente nas suas obras. Casou a 26 jun. 1692, na sé do Funchal, com sua prima D. Francisca de Vasconcelos, da qual teve uma filha D. Antónia Joana Francisca Henriques de Noronha (n. 19 jun. 1693), que também casaria com um primo, António Correia Bettencourt Henriques. Figura de destaque da sociedade madeirense da época, membro e mordomo de várias confrarias, foi eleito provedor da misericórdia do Funchal, lugar que desempenou entre 1706 e 1701, tal como foi administrador do recolhimento do Carmo, cujo morgadio herdara pelo falecimento do seu tio Inácio Bettencourt da Câmara, tendo sido sepultado na capela-mor daquela igreja, no túmulo dos Brandões. Escreveu Nobiliário genealógico das famílias que passaram a viver na ilha da Madeira (1700), já várias vezes aqui citado; o Horóscopo Genealógico: árvore da casa de Henriques, senhor das Alcáçovas (1710) e Non plus ultra da Nobreza. Fidalgos da ilha da Madeira (1717), todos inéditos até ao momento, salvo o Nobiliário, que conheceu edição no Brasil, nos finais dos anos 40 e as Memórias Seculares e Eclesiásticas. Pub. por por Abel Soares Fernandes, Ângela Freitas Alves e Julieta do Vale Fernandes, O Traje na Madeira. Subsídio para o seu estudo, DRAC, Funchal, 1994.