Image
Arquipelago de Origem:
Lisboa (cidade)
Data da Peça:
1920-02-02
Data de Publicação:
13/06/2022
Autor:
Rocha Vieira
Chegada ao Arquipélago:
2022-06-13
Proprietário da Peça:
O Século Cómico
Proprietário da Imagem:
Hemeroteca digital de Lisboa
Autor da Imagem:
Rocha Vieira/Hemeroteca digital de Lisboa
Governo dos Cinco Minutos de Fernandes Costa, caricatura de Rocha Vieira, O Século Cómico, Lisboa, 2 de fevereiro de 1920, Portugal

Categorias
    Descrição
    Astronomia política, Passou como um meteoro!
    Governo dos Cinco Minutos de Francisco José de Meneses Fernandes Costa.
    (1867-1925).
    Alfredo Carlos da Rocha Vieira (1883-1947), in O Século Cómico, suplemento humorístico de O Século, n.º 1155, 2 fevereiro de 1920.
    Hemeroteca digital de Lisboa, Portugal.

    Fernandes Costa protagonizou um dos gabinetes mais curtos da primeira República Portuguesa, o do 22º governo, conhecido como o “Governo dos Cinco Minutos”, nomeado a 15 de janeiro de 1920 e obrigado a demitir-se no mesmo dia. O anterior governo liderado pelo coronel Alfredo Ernesto de Sá Cardoso (1864-1950), que fora governador civil do Funchal entre 1913 e 1914, tinha apresentado a sua demissão ao presidente António José de Almeida (1866-1929), que nomeou Fernandes Costa para formar governo, mas que, perante um levantamento popular, teve de apresentar a demissão nesse mesmo dia, voltando a funções o coronel Sá Cardoso.
    Francisco José de Meneses Fernandes Costa (1867-1925)
    Nascido na Foz de Arouce, Lousã, veio a frequentar a Universidade de Coimbra e a fixar-se desde novo em Lisboa. Já então aderira ao Partido Republicano Português, tal como à maçonaria. A sua carreira política iniciou-se pelo governo civil de Coimbra, lugar que ocupou logo em 1910, vindo depois a ocupar as pastas da Marinha e Colónias, entre 1912 e 1913, e, de novo, em 1915 e assim sucessivamente, mas sempre de forma mais ou menos efémera, como foram os mais de 20 governos da Primeira República Portuguesa. Protagonizou, inclusivamente um dos gabinetes mais curtos, o do 22º governo, conhecido como o “Governo dos Cinco Minutos”, nomeado a 15 de janeiro de 1920 e obrigado a demitir-se no mesmo dia. Foi nomeado governador civil do Funchal a 20 de setembro de 1921, mas nunca chegou a tomar posse na Madeira dada a instabilidade política da época. A greve trecho retirava-se para a Figueira da Foz, onde faleceria a 19 de julho de 1925.