Image
Arquipelago de Origem:
Brava
Data da Peça:
1922-00-00 00:00:00
Data de Publicação:
20180520
Autor:
Vários
Chegada ao Arquipélago:
2018-05-20 00:00:00
Proprietário da Peça:
Casa-museu Eugénio Tavares
Proprietário da Imagem:
Samuel Santiago
Autor da Imagem:
Samuel Santiago
Fundação da Troupe Musical Bravense, 1922, Casa Museu Eugénio Tavares, Vila Nova Sintra, Ilha Brava, Cabo Verde

Categorias
  • Arquitectura Civil
    • Museus, Galerias e auditórios
  • Documentos
    • Impressos / digitais
  • Fotografia / imagem
    • Costumes
    • Interiores
  • Grupos e instrumentos Musicais
    • Filarmónicas
  • Personalidades
    • Artistas
    • Escritores, poetas e jornalistas
    • Fotógrafos
Descrição
Fundação da Troupe Musical Bravense.
1922.
Casa Museu Eugénio Tavares
Fotografia de Samuel Santiago, janeiro de 2014.
Vila Nova Sintra, Ilha da Brava, Cabo Verde.

A Casa Museu Eugénio Tavares fica na Rua da Cultura à entrada da Pé da Rocha e já no fim do sítio do Calvário. Fica à esquerda de quem caminha para o Monte e o Caminho Novo. Tem uma situação privilegiada com uma linda vista para os confins da aldeia de Pé da Rocha, afigurando-se todo o maciço rochoso que restou da antiga cratera vulcânica onde se assenta o pequeno planalto da Vila Nova Sintra. É uma habitação tradicional e senhorial dos princípios do século XX, possuindo um pátio interior e um peitoril ajardinado à frente, onde o poeta convivia com quem passasse, sentado no meio das roseiras e madressilvas ao cair da tarde. Possui várias e amplas divisões havendo uma sala de estar outra de jantar, uma cozinha e vários quartos.
Em 18 de outubro 2006, o Ministro dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, Dr. Víctor Borges também em representação do Ministro da Cultura e de todo o Governo, deslocou-se à Ilha Brava onde com pompa e circunstância, a convite do Presidente da Câmara Municipal da Brava, Dr. Camilo Gonçalves, inaugurou a Casa Museu Eugénio Tavares.
Acompanhava o Ministro, o Diretor do Instituto da Investigação e do Património Culturais Dr. Carlos Alberto de Carvalho, que definiu a forma como se ia processar a recolha do recheio da Casa Museu após a recuperação do edifício. O Presidente da Fundação Eugénio Tavares, presente no ato, prometeu colaborar na recolha a exemplo do que fora feito com as obras literárias. (Samuel Santiago, in Brada Maria, 13-02-2014)