Image
Arquipelago de Origem:
Rio de Janeiro (Brasil)
Data da Peça:
1778-00-00
Data de Publicação:
23/09/2020
Autor:
Vários
Chegada ao Arquipélago:
2020-09-23
Proprietário da Peça:
Exército Brasileiro
Proprietário da Imagem:
Exército Brasileiro
Autor da Imagem:
Exército Brasileiro
Fortaleza de São João do Rio de Janeiro, reforma de 1778 a 1779, Centro de Capacitação Física do Exército/Fortaleza de São João, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

Categorias
    Descrição
    Fortaleza de São João da Barra do Rio de Janeiro e instalações de Capacitação Física do Exército.
    Reforma de 1778 a 1779 e seguintes.
    Fotografia aérea de 14 de fevereiro de 2006.
    Centro de Capacitação Física do Exército/Fortaleza de São João, Bairro da Urca, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

    As origens da Fortaleza de São João têm início na fundação da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro, com a construção do Reduto São Martinho, em 1565, na várzea entre os morros Cara de Cão e Pão de Açúcar. Com o passar do tempo e a necessidade de proteger a cidade, outras fortificações foram erguidas: Reduto São Teodósio (1572), Reduto/Forte São José (1578/1872) e Reduto São Diogo (1618), momento em que a Fortaleza é declarada, oficialmente, uma Unidade Militar de Artilharia de Costa. Em 1902 o complexo de redutos foi reforçado pelas Baterias Mallet e Marques Porto. Já em 1904, foi criado, em suas dependências, o 6° Grupo de Artilharia de Posição. A última denominação que lhe coube, já no século XX, foi de 2° Grupo de Artilharia de Costa e Fortaleza de São João (2°GACos/FSJ). Outras Unidades Militares tiveram seu embrião nas instalações da FSJ, como o Centro de Instrução de Artilharia de Costa em 9 de julho de 1934, precursor da Escola de Artilharia de Costa e Antiaérea.
    A Escola de Educação Física do Exército (EsEFEx) foi materializada com a criação do Centro Militar de Educação Física (CMEF), em 10 de janeiro de 1922, que funcionou, até 1923, em estabelecimento anexo à Escola de Sargentos de Infantaria (ESI), na Vila Militar-RJ. Em virtude das instalações da ESI serem precárias, principalmente na parte náutica, o CMEF foi transferido, em 1930, para a Fortaleza de São João.