Image
Arquipelago de Origem:
Lisboa (cidade)
Data da Peça:
1929-00-00
Data de Publicação:
04/04/2021
Autor:
Porfírio Pardal Monteiro e Leopoldo de Almeida
Chegada ao Arquipélago:
2021-04-04
Proprietário da Peça:
Câmara Municipal de Lisboa
Proprietário da Imagem:
Vitor Marçal Lourenço
Autor da Imagem:
Vitor Marçal Lourenço
Estátua do Dr. António José de Almeida, Porfírio Pardal Monteiro e Leopoldo de Almeida, 1929 e 1936, Lisboa, Portugal

Categorias
    Descrição
    Estátua do Dr. António José de Almeida.
    Bronze de Leopoldo de Almeida (1898-1975), encomenda de 1929 e projeto geral do Arq.º Porfírio Pardal Monteiro (1897-1990), 1936.
    Fotografia de Vítor Marçal Lourenço, março de 2021.
    Avenida Dr. António José de Almeida, Lisboa, Portugal.

    António José de Almeida (Vale da Pinha, Penacova, 1866; Lisboa, 31 out. 1929) foi uma das figuras mais populares da República. Desde que era estudante de Medicina que defendeu ideias republicanas, publicando no jornal da Academia um extenso e crítico artigo - Bragança, o último, que o levou à prisão durante três meses. Até 1904 e após ter concluído o seu curso, partiu para S. Tomé, onde exerceu a sua profissão. Quando regressou à capital, continuou a defender as suas ideias republicanas, destacando-se como orador e sendo o ídolo dos comícios populares, voltando a ser preso em 1908. Quando, em 1910 foi proclamada a República em Portugal, foi nomeado ministro do Interior do primeiro Governo Provisório, tendo reformulado a guarda real e criado a Guarda Nacional Republicana. Mais tarde devido a vários desentendimentos, funda o Partido Republicano Evolucionista e cria o jornal que lhe dá voz, do qual é diretor: A República. A 6 de agosto de 1919 foi eleito Presidente da República, cumprindo o mandato até ao fim (ao contrário do que então acontecia). Publicaram-se os seus discursos como 40 Anos da Vida Literária e Política, 1934. O seu monumento em Lisboa é da autoria de Leopoldo de Almeida, encomendado em 1929 e inaugurado em 1937, associa a figura do orador à figura da República, que sobressai por trás dele. Junto a ele presta-se homenagem aos heróis da revolução, constituindo este local como ponto de encontro daqueles que lutavam pela liberdade.