Image
Arquipelago de Origem:
Coimbra
Data da Peça:
1913-00-00
Data de Publicação:
14/04/2020
Autor:
Costa Mota (tio)
Chegada ao Arquipélago:
2020-04-14
Proprietário da Peça:
Câmara Municipal de Coimbra
Proprietário da Imagem:
Privado
Autor da Imagem:
Privado
Estátua de Joaquim António de Aguiar, bronze de Costa Mota, 1913, Coimbra, Portugal

Categorias
    Descrição
    Estátua de Joaquim António de Aguiar.
    (1792-1930)
    Bronze, 230 cm., António Augusto da Costa Motta (tio) (1862-1930), 1913.
    Projeto do arquiteto Silva Pinto (1890-1978).
    Conjunto terminado com a colocação da estátua sobre o pedestal a 21 de junho de 1913, com 735 cm. de altura, por 329 cm x 329 cm; base: 432 cm (larg.), mas que acabou por nunca ser inaugurado oficialmente.
    Largo da Portagem, Coimbra, Portugal.

    Joaquim António de Aguiar (Coimbra, 24 ago. 1792; Lisboa, 26 maio 1884), o mata-frades, ministro do Liberalismo a quem se ficou a dever a extinção das ordens religiosas e a nacionalização dos seus bens. O original em gesso encontra-se na Antiga Fundição de Cima, Campo de Santa Clara, núcleo do Museu Militar de Lisboa, com a Inscrição: Joaquim António de Aguiar. Estatua em Coimbra por Costa Mota. Fundida no Arsenal do Exército em 1913.