Image
Arquipelago de Origem:
Londres
Data da Peça:
1820-00-00
Data de Publicação:
29/06/2022
Autor:
Autor inglês (atr.)
Chegada ao Arquipélago:
2022-06-29
Proprietário da Peça:
Privado
Proprietário da Imagem:
Privado
Autor da Imagem:
Privado
Domingos de Sousa Coutinho, marquês do Funchal, miniatura de 1820 (c.), Londres, Inglaterra

Categorias
    Descrição
    Domingos de Sousa Coutinho, marquês do Funchal.
    (1760-1833).
    Miniatura de autor inglês (atr.), 1820 (c.).
    Coleção particular.

    Domingos António de Sousa Coutinho, (Chaves, 1760-Londres, 1833). Filho de D. Francisco Inocêncio de Sousa Coutinho (1726-1780), governador de Angola e embaixador em Espanha e de D. Ana Luísa Joaquina Teixeira da Silva de Andrade, integrava uma família onde todos pertenceram ao governo: D. Rodrigo de Sousa Coutinho (1755-1812), primeiro conde de Linhares, do qual já fora padrinho de batismo o futuro marquês de Pombal, ministro em Turim e membro do gabinete régio; frei D. Francisco Maurício de Sousa Coutinho, governador-geral do Grão-Pará (1773-1803); e D. José António de Meneses e Sousa Coutinho (fal. 1813), Principal Sousa, cardeal de Lisboa e membro do Conselho de Regência do Reino. Domingos de Sousa Coutinho foi membro assessor do gabinete régio, em Lisboa, embaixador em Londres, onde negociou a deslocação da corte portuguesa para o Brasil, sendo conde do Funchal a 17 dez. 1808 e, ainda nesse mês, também marquês do Funchal e, depois, regente do Reino de Portugal entre 26 fev. e 4 jul. 1821, altura em regressou a Londres. Era membro da Academia das Ciências de Lisboa desde 18 fev. 1810 e chegou a fundar, em Londres, o periódico O Investigador Português em Inglaterra, que circulou até 1818, para combater o Correio Braziliense, editado por Hipólito José da Costa.