Image
Arquipelago de Origem:
Freguesia da Sé (Funchal)
Data da Peça:
1945-00-00
Data de Publicação:
12/05/2024
Autor:
Perestrellos (atr.)
Chegada ao Arquipélago:
2024-05-12
Proprietário da Peça:
Privado
Proprietário da Imagem:
Privado
Autor da Imagem:
Privado
Avenida Arriaga com os Perestrellos Fotógrafos, Sociedade de Concertos e Academia de Música da Madeira, 1945 (c.), Funchal, ilha da Madeira.

Categorias
    Descrição
    Avenida Arriaga com o edifício dos Perestrellos Fotógrafos e o jardim da Sociedade de Concertos e Academia de Música da Madeira.
    Fotografia Perestrellos (atr.), 1945 (c.).
    Espaço do atual edifício Marina Forum ou Edifício do Infante.
    Funchal, ilha da Madeira.

    Manuel de Olim Perestrelo (1854-1929), fundador da emblemática casa “Perestrellos Photographos”, nascido em Machico a 28 de setembro de 1854, iniciou a sua atividade profissional em 1876 como funcionário do estúdio de João Francisco Camacho (1833-1898) e, posteriormente, em 1879, abriu o seu próprio estúdio fotográfico na sua residência situada à rua do Mosteiro Novo (atualmente rua do Seminário). A 1 de novembro de 1909, Manuel de Olim Perestrelo arrendou o atelier pertencente ao fotógrafo Augusto Maria Camacho (1838-1927), irmão do anterior, situado em terrenos do Exército Português junto ao Palácio de São Lourenço, na rua Hermenegildo Capelo (atual avenida Arriaga), espaço hoje ajardinado e com a estátua de João Abel de Freitas (1893-1948), onde abriu as portas com a designação “Photographia M.O. Perestrellos Sucessores de A. Camacho”. Entre 1910 e 1922, e já em sociedade com os filhos, a firma designou-se “M. O. Perestrello & Filhos”. Ao longo dos anos, seguiram-se outras denominações até à conhecida “Perestellos Photographos Lda." com a qual operaram entre 1937 e 2000.
    Em 1943, por iniciativa do Eng. Luiz Peter Clode (1904-1990) e de colaboração com o seu irmão Dr. William Edward Clode (1900-1980), então vereador do Funchal, foi fundada a Sociedade de Concertos da Madeira, entidade que virá a catalisar em si, até certo ponto, a vida cultural de uma determinada sociedade da Madeira durante duas décadas. A Sociedade de Concertos da Madeira virá a organizar essencialmente concertos de música clássica no Teatro Municipal de Baltazar Dias, criando para tal uma Academia de Música, em 1946 e, inclusivamente, em 1948, um posto emissor de rádio, que começa por emitir a partir do Teatro, vindo a seu convite atuar ao Funchal os melhores nomes nacionais do panorama musical clássico de então e mesmo nomes de projeção internacional. Em 1959 apresenta-se no Teatro Municipal Baltazar Dias a Orquestra Sinfónica da Emissora Nacional, dirigida pelo maestro Frederico de Freitas (1902-1980), culminando assim um trabalho de mais de dez anos.