Image
Arquipelago de Origem:
Santo Amaro (Funchal)
Data da Peça:
2022-10-18
Data de Publicação:
25/11/2023
Autor:
CMF e SRTC
Chegada ao Arquipélago:
2023-11-25
Proprietário da Peça:
Torre do Capitão, Núcleo Histórico e Museológico de Santo Amaro
Proprietário da Imagem:
DRC
Autor da Imagem:
DRC
Assinatura do auto de entrega da CMF dos azulejos exumados na área da Torre do Capitão, a Santo Amaro, ao futuro Museu de Arqueologia da Madeira, a 19 de março de 2021, Funchal, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Assinatura do auto de entrega da CMF dos azulejos exumados na área da Torre do Capitão, a Santo Amaro, ao futuro Museu de Arqueologia da Madeira
    Com Pedro Calado, Eduardo Jesus e Teresa Brazão.
    Em fundo a escultura em gesso de Nossa Senhora, de Luiza Clode (1936-), 1960 (c.), recuperação de Martinho Mendes e restauro do escultor Ricardo Velosa (1946-), no Museu Diocesano de Arte Sacra do Funchal em 2014 e remontada aqui na reabilitação de Francisco Clode, de 2016 a 2017.
    Fotografia da DRC de 18 de outubro de 2022.
    Material já anteriormente apresentado no Museu A Cidade do Açúcar, a 19 de março de 2021.
    Torre do Capitão, Núcleo Histórico e Museológico de Santo Amaro, Caminho de Santo Amaro, Funchal, ilha da Madeira

    Toda esta área foi objeto de escavações arqueológicas entre 1998 e 2000, a cargo do gabinete da CM Funchal e sob direção da arqueóloga Dr.ª Clara Batista Ramos, abrindo depois como núcleo museológico em 2000, mas encerrou, entretanto, tendo sido objeto de nova reabilitação em 2021.
    Na Torre do Capitão - Núcleo Histórico e Museológico de Santo Amaro, encontra-se a Capela de Santo Amaro. Esta capela deve ter sido edificada sobre uma mais antiga, a capela de Madre Deus, enquadrada num núcleo agrícola e habitacional, com uma torre de vigia, a designada «Torre do Capitão», cuja construção remontará a cerca de 1460 sob as ordens de Garcia Homem de Sousa, fidalgo, casado com D. Catarina da Câmara, filha de João Gonçalves Zarco. Na Capela de Santo Amaro anotam-se elementos típicos da arquitetura religiosa, insular, do século XVII, como a pia de água benta e os azulejos, hoje sobre a porta lateral, mas que cobriram, anteriormente, quase toda a nave da capela (Texto Cultura Madeira).