Image
Arquipelago de Origem:
Porto
Data da Peça:
2020-05-00
Data de Publicação:
08/07/2021
Autor:
Herberto Helder
Chegada ao Arquipélago:
2021-07-08
Proprietário da Peça:
Porto Editora
Proprietário da Imagem:
Porto Editora
Autor da Imagem:
Porto Editora
Apresentação do rosto, Helberto Helder, 2.ª edição da Porto editora, maio de 2020, Portugal.

Categorias
    Descrição
    Herberto Helder (1930-2015), Apresentação do rosto (2.ª edição), Porto Editora, maio de 2020, Portugal.
    A 1ª edição de maio de 1968 foi apreendida pela PIDE, existindo, inclusivamente, a ordem de apreensão na Ephemera, biblioteca e arquivo de José Pacheco Pereira.

    Herberto Hélder Bernardes de Oliveira (Funchal, 23 nov. 1930-Cascais, 23 mar. 2015). Filho de Romano Carlos de Oliveira (Funchal, Monte, batizado a 26 nov. 1895) e de Maria Ester dos Anjos Luís Bernardes (c. 1900-1938), tem duas irmãs Maria Regina e Maria Elora, sendo pai do jornalista Daniel Oliveira. Herberto Hélder é considerado um dos maiores poetas da língua portuguesa, especialmente, da segunda metade do XX e um dos mentores da Poesia Experimental Portuguesa, tendo começado por ser o fundador do quinzenário do Colégio Lisbonense, o Cruzeiro e editor de o Juvenil, órgão do Liceu Nacional do Funchal, integrando depois a chamada Tertúlia Ritziana, que se reunia no café e esplanada Ritz, no piso térreo do edifício da Associação Comercial do Funchal, na Avenida Arriaga, cuja primeira publicação foi a coletânea Arquipélago, editada pelo Eco do Funchal, de Maria Mendonça (1916-1997), em 1952. Foi uma figura algo misantropa e em torno de si pairou uma atmosfera algo misteriosa, uma vez que sempre recusou prémios e se negava a dar entrevistas. Em 1994 foi o vencedor do Prémio Pessoa, que também recusou. Em 29 de maio de 1996 foi alvo de Homenagem pela Câmara Municipal do Funchal, colocando uma placa na casa onde nascera, na Rua da Carreira, casa que tinha pertencido a Adolfo César de Noronha, a seguir à capela de São Paulo e em 2016, pela Junta de Freguesia de São Pedro, com uma placa no jardim anexo à fortaleza do Pico e, também nesse ano, a 21 de novembro, com um congresso realizado na Universidade da Madeira, a que assistiu o filho, jornalista e colonista Daniel Oliveira (1969-), um dos fundadores do Bloco de Esquerda.