Image
Arquipelago de Origem:
Alemanha
Data da Peça:
1496-00-00
Data de Publicação:
23/02/2021
Autor:
Adam Kraft
Chegada ao Arquipélago:
2021-02-23
Proprietário da Peça:
Paróquia de São Lourenço de Nuremberga
Proprietário da Imagem:
Petrus Silesius
Autor da Imagem:
Petrus Silesius
Adam Kraft como suporte do seu tabernáculo ou sacrário da igreja de São Lourenço de Nuremberga, oficina de Adam Kraft, 1493 a 1496, Alemanha

Categorias
    Descrição
    Adam Kraft com suporte-base do seu tabernáculo ou sacrário da igreja de São Lourenço de Nuremberga.
    Sakramentshaus
    Cantaria esculpida com vestígios de policromia e madeira aparelhada e fasquiada, 18,7 metros de altura.
    Campanha da oficina de Adam Kraft (ou Krafft) (c. 1460-jan.1509), 1493 a 1496.
    Obra doada pelo banqueiro Hans IV Imhoff (fal. 1499), que detalhou o programa da imagem da Paixão de Cristo no contrato com o escultor, que chegou até nós e cuja família tinha capela nesta igreja, como em outras.
    Fotografia de Petrus Silesius, 1 de junh0 de 2007.
    St. Lorenz kirche, Nurenberg, Alemanha.

    Igreja reformulada a partir de 1250 sobre uma outra muito mais antiga, de 650 e entre 1390 e 1446, levantaram-se as naves e por 1493 a 1496, o seu célebre tabernáculo. O trabalho do escultor e mestre de obras Adam Kraft (ou Krafft) (c. 1460-jan.1509) foi logo reconhecido na sua época, tendo o mesmo se feito representar na base, suportando a monumental obra e em corpo inteiro. Nestes anos, como cidade imperial, muitas das principias famílias alemães comparticiparam no recheio das igrejas de Nuremberga, fazendo-se representar nos magníficos vitrais com as suas armas, como sobre o altar-mor da igreja de São Lourenço, o imperador Frederico III (1415-1493) e a sua mulher D. Leonor de Portugal (1434-1467), filha do rei D. Duarte (1391-1438) e de D. Leonor de Aragão (1402-1445), aparecendo assim ao seu lado as armas de Portugal. O casal foi apresentado em Siena, a 28 de fevereiro de 1452 e casou em Roma, onde ocorreu a sua sagração como imperadores do Sacro Império Romano, a 19 de março de 1452, pelo papa Nicolau V (Tommaso Parentucelli, 1397-1447-1455). Foram pais, depois, do imperador Maximiliano I (1459-1519).
    O tabernáculo ou sacrário é uma estrutura pertencente ao rito católico romano, mas também presente noutras liturgias. O termo provém do latim tabernaculum e é um diminutivo de taberna e que designa uma pequena cabana ou tenda, tendo as suas origens na antiga e mítica tenda dos israelitas, onde desde o Êxodo e até os tempos do Rei David, se guardavam a arca da Aliança, a menorá e demais objetos sagrados. A forma no rito católico romano é quase sempre arquitetural, em edícula, tendo como função guardar as hóstias consagradas, tal como o cibório ou o ostensório, logo, sempre fechado por uma porta com chave. Ao longo dos tempos, desde o seu aparecimento no século IX, mas com instituição oficial no concílio de Latrão, em 1215, ocupou diversos locais dentro das igrejas. A partir do século XIV, aparece muitas vezes numa das capelas laterais das grandes igrejas, do lado do Evangelho, passando a ter a mesma a designação de capela do Santíssimo. Esta estrutura ganha uma enorme independência nas igrejas do centro da Europa, como é exemplo a igreja de São Lourenço de Nuremberga, o que não acontece de forma alguma, por exemplo, na Península Ibérica.