Image
Arquipelago de Origem:
Funchal
Data da Peça:
1938-05-05
Data de Publicação:
23/06/2020
Autor:
Paulo Sá Braz
Chegada ao Arquipélago:
2020-06-23
Proprietário da Peça:
Biblioteca Municipal do Funchal
Proprietário da Imagem:
Agostinho Lopes
Autor da Imagem:
Agostinho Lopes
A toda a brida... O Dr. Fernão Ornelas e o novo financiamento camarário, Re-Nhau-Nhau, nº 279, Ano VIII, direção de Gonçalves Preto, Funchal, 5 de abril de 1938, ilha da Madeira.

Categorias
    Descrição
    A toda a brida....
    Quando o Dr. Fernão de Ornelas tomou a presidência da Câmara, “Re-Nhau-Nhau” não vendo moita de onde saísse coelho, imortalizou-o de calça curta e tricicle;
    Como mais tarde o Dr. Fernão fizesse coisa que se visse, foi caçado de motocicle;
    E como agora conseguiu 8 mil e tal quilos para grandes melhoramentos, “Re-nhau-Nhau” imortaliza-o de avião a lançar escudos sobre a cidade, fazendo “ramelas” àqueles que lá estiveram e discursaram muito e obraram pouco ...
    Pub. Re-Nhau-Nhau, nº 279, Ano VIII, caricatura de Paulo Sá Braz (1919-2003), direção de Gonçalves Preto (1907-1971) e edição de João Miguel, Funchal, 5 de abril de 1938.
    Exemplar da Biblioteca Municipal do Funchal, ilha da Madeira.

    Fernão Manuel de Ornelas Gonçalves (Funchal, 14 jun. 1908; Lisboa, 24 maio 1978). Começando o percurso académico no Funchal, com 17 anos, embarcou para Lisboa, inscrevendo-se na Faculdade de Direito, onde terminou o curso em 1931. Regressou então à Madeira e, no ano seguinte, foi nomeado subdelegado do Procurador da República, tornando-se, em 1935, chefe efetivo da Secretaria Judicial, ao mesmo tempo que assumia a presidência da comissão administrativa da câmara do Funchal. Seria assim presidente da Comissão Administrativa da Câmara Municipal do Funchal de 12 jan. 1935 a 22 out. 1946; depois diretor do Banco da Madeira, em Lisboa, integraria o Conselho da Administração da Caixa Geral de Depósitos, da Hidroelétrica do Cavado e do Banco Pinto & Souto Maior. Quando na sequência do pronunciamento do 25 de Abril se instituiu a Autonomia Regional, ainda foi sondado em Lisboa para aceitar integrar a Junta de Planeamento e o lugar de Ministro de República, mas as suas condições de saúde já não o permitiram.