Image
Arquipelago de Origem:
Terceira (Açores)
Data da Peça:
2020-01-00
Data de Publicação:
01/05/2022
Autor:
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo
Chegada ao Arquipélago:
2022-05-01
Proprietário da Peça:
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo
Proprietário da Imagem:
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo
Autor da Imagem:
Câmara Municipal de Angra do Heroísmo
40 Anos Sismo 1980, Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, 2020, ilha Terceira, Açores

Categorias
    Descrição
    40 Anos Sismo 1980.
    Centro Histórico de Angra do Heroísmo.
    Câmara Municipal de Angra do Heroísmo, janeiro de 2020.
    Ilha Terceira, Açores.

    No dia 1 de janeiro de 1980 ocorreu um sismo catastrófico no grupo central das ilhas dos Açores, no qual 73 pessoas faleceram e mais de 400 ficaram feridas, atingindo magnitude de 7,2 na escala de Richter e com epicentro localizado a cerca de 50 km a WNW de Angra do Heroísmo. Este sismo causou elevados danos materiais nas ilhas Terceira e de S. Jorge, e danos menores na ilha Graciosa. Mais de 15.000 edifícios ficaram total ou parcialmente destruídos. As freguesias mais afetadas foram Doze Ribeiras, Santa Bárbara, Serreta e Cinco Ribeiras, situadas na metade ocidental da ilha Terceira, e a freguesia do Topo, localizada na ponta oriental da ilha de São Jorge, onde atingiu intensidade máxima de VIII na Escala Macrossísmica Europeia (EMS-1998). O sismo de 1980 provocou um tsunami, felizmente, de fraca magnitude, somente detetado instrumentalmente pelos marégrafos de Angra do Heroísmo e da Horta, não provocando quaisquer danos.
    A UNESCO enviara logo uma comissão à Terceira entre 23 e 31 de janeiro de 1980, 20 e poucos dias após o sismo que quase destruíra da cidade, para avaliar a destruição e, em 1981 foi apresentado o projeto de candidatura. O Centro Histórico de Angra do Heroísmo, foi classificado no dia 7 de dezembro de 1983 pela UNESCO, como Património da Humanidade, pelos critérios IV e VI: a sua importância como escala de rotas marítimas e o seu papel na aproximação das civilizações.