Image
Arquipelago de Origem:
Madeira (Região Autónoma)
Data da Peça:
1995-00-00
Data de Publicação:
21/06/2024
Autor:
Rui Carita
Chegada ao Arquipélago:
2024-06-21
Proprietário da Peça:
Rui e Joana Carita
Proprietário da Imagem:
Rui Carita
Autor da Imagem:
Rui Carita
Forças do Regimento de Milícias do Porto Santo, aguarela de Rui Carita, 1995, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Forças do Regimento de Milícias do Porto Santo em exercícios de tiro em 1806.
    Aguarela sobre papel, 37 x 27 cm.; 62 x 50,5 cm. (moldura)
    Elementos de Paulo Dias de Almeida (c. 1778-1832), Arquivo Histórico Ultramarino e do levantamento do general Ribeiro Artur (1861-1910), Arquivo Histórico-Militar.
    Rui Carita (1946-), 1995
    Fotografia de 18 de junho de 2024.
    Coleção Rui e Joana Carita, Funchal, ilha da Madeira.

    Conjunto de milícias do Porto Santo, em exercício de tiro sobre o mar. Trajam chapéu de aba revirada, com laço das cores nacionais e pluma branca; farda de pano azul ferrete com abas; gola, platinas e canhões de cor da farda, avivados a amarelo; forro amarelo, pantalonas brancas; polainitos e sapatos pretos; correias brancas como suspensão da cartucheira e da espada e arma com fechos de sílex.
    Rui Alexandre Carita Silvestre (1946-) nasceu perto de Tomar, filho de um oficial da Força Aérea, então em serviço na Base Aérea de Tancos. Aluno do Colégio Militar, seguiu a carreira militar e prestou serviço na guerra colonial, em Angola e Moçambique, sendo reformado em coronel. Dedicando-se desde muito novo às artes plásticas, efetuou a sua primeira exposição individual de pintura em Moçambique, em 1972, a que se seguiram exposições na ilha da Madeira e em Portugal, mas também em Espanha, Marrocos e Turquia. Tendo fixado residência em 1973 no Funchal, licenciou-se e doutorou-se em História, tendo entrado para professor da Universidade da Madeira em 1990. Dedicando-se ao estudo da História da Madeira e do património português construído na expansão, publicou algumas centenas de trabalhos nessa área e, ampliando, entretanto, os seus trabalhos aos quadros dos Oceanos Atlânticos e Índico, ainda hoje trabalha como assessor para arqueologia e património nos Emirados Árabes Unidos.
    Encontra-se representado como artista plástico em coleções oficiais de Portugal, Espanha, Itália, Vaticano, Turquia, Marrocos, Brasil, Cabo Verde, Angola, Moçambique e Emirados Árabes Unidos, tendo executado trabalhos para a Universidade e o Governo Regional da Madeira, a Diocese do Funchal, o Ministério da Defesa Nacional e o Estado Maior do Exército, entre outros. Em 1986, colaborou com a pintora Maluda (1934-1999) na execução da série "Fortalezas da Madeira" para os CTTs e, em 1988, executou a coleção de selos “Casa de Colombo na Madeira”.