Image
Arquipelago de Origem:
Freguesia da Sé (Funchal)
Data da Peça:
1922-10-30
Data de Publicação:
26/03/2024
Autor:
Vicente Gomes da Silva (filho)
Chegada ao Arquipélago:
2024-03-27
Proprietário da Peça:
Museu de Fotografia da Madeira, ABM
Proprietário da Imagem:
ABM/ARM
Autor da Imagem:
ABM/ARM
Eduardo Rocha Sarsfield, governador civil do Funchal, São Lourenço, 30 de outubro de 1922, Funchal, ilha da Madeira

Categorias
    Descrição
    Eduardo Rocha Sarsfield
    (1882-1966)
    São Lourenço, fotografia de Vicente Gomes da Silva júnior (Funchal, 23 set. 1857; idem, 30 maio 1933), 30 de outubro de 1922
    Museu de Fotografia da Madeira, Atelier Vicente's (Inv. VIC/5231)
    PT/ABM/VIC/R/001-017/000005

    Eduardo Rocha Sarsfield (1882-1966), governador civil do Funchal entre 18 maio 1922 e 16 nov. 1923, natural do Porto, era filho do coronel madeirense Alexandre José Sarsfield (1856-1926), herói das campanhas coloniais, deputado pela Madeira e também governador civil da Guarda.
    Alexandre José Sarsfield (São Pedro, 17 set. 1856; Porto, dez. 1926), filho de Guilherme Henrique Sarsfield (21 maio 1815-) e de Cândida de Ornelas Sarsfield, cursou o liceu do Funchal e a Escola do Exército, tendo seguido a carreira militar e chegando ao posto de coronel. Sendo capitão, tomou parte na expedição que em 1894 foi Moçambique, achando-se no combate de Coolela e na tomada de Manjacaze. Foi chefe do gabinete do ministério da guerra e adido militar à legação portuguesa em Paris. Além de varias comissões de serviço publico, tanto de carácter civil como militar, desempenhou também as funções de governador civil da Guarda e de deputado pela Madeira nas legislaturas de 1902-1904, 1904 e 1906. Tem tido uma vasta colaboração em vários jornais e revistas, e nomeadamente na Revista de Educação e Ensino, Revista de Infantaria, Revista Militar, Revolução de Setembro, Primeiro de Janeiro e Diário de Noticias, de Lisboa. Nos seus últimos anos colaborou também no Diário da Madeira. Publicou vários opúsculos sobre assuntos coloniais e militares, e os livros Leitura para meus filhos e Educação. Teria, quando perto do seu falecimento dois volumes prontos para dar à estampa. Foi promotor no primeiro conselho de guerra da 1.ª Divisão Militar e é oficial das ordens da Torre e Espada, de São Tiago, de São Bento de Avis e de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, e tem, além doutras, a medalha de prata de serviços no ultramar e a medalha de prata para comemorar a expedição a Moçambique em 1894 e 1895. Tem também a cruz de 2.ª classe do Mérito Militar, de Espanha, a grã-cruz da ordem de Isabel a Católica, do mesmo país, e de oficial da Legião de Honra, de França.