Procura:
 
  Banco de Imagens
  Ordenação: Ordem Alfabética / Data Crescente
/ Data Decrescente



  Nome:  Laje tumular de D. Francisco Xavier da Piedade Rebelo, 1975, Sé catedral de Goa, Índia
  Descrição:  Laje tumular de D. Francisco Xavier da Piedade Rebelo.
Mármore, 1975.
D. Francisco Xavier da Piedade Rebelo, Margão, 4 Set. 1891; idem, 7 Jul. 1975, foi bispo de Tipasa, na Mauritânia e auxiliar de Goa, sendo o primeiro goês a administrar a arquidiocese.
Sé catedral de Santa Catarina.
1539, Inofre de Carvalho, 1551 e Júlio Simão de Ruão, 1621 a 1630.
Fotografia de Tiago Carita, 5 de Novembro de 2006.
Goa, Índia.

Cronologia:
1532 - feitura da pia baptismal por ordem de Jorge Gomes; 1539 - implantação da Sé na Igreja de Santa Catarina; 1551 - é mestre-de-obras Inofre de Carvalho, sendo possível que o projecto inicial se deva ao risco do mestre; 1562, Novembro - ordem de el-rei D. Sebastião para que se construísse uma nova Sé, que substituísse a igreja de Santa Catarina; 1564, 12 Dezembro - o vice-rei D. Antão de Noronha elabora a provisão que aplica a ordem de D. Sebastião, sendo estabelecido que o seu financiamento viria dos bens dos falecidos sem herdeiros nem testamento, fossem eles gentios, judeus, mouros ou cristãos; 1564 - 1567 - dá-se início à construção; 1571 - por insuficiência de fundos para a construção foram canalizados para as obras os ganhos das vendas dos bens confiscados; 1576 - os meios de financiamento foram canalizados para a construção das novas muralhas; 1587 - D. Filipe I ordenou que os bens dos falecidos sem testamento ou herdeiros fossem utilizados nas obras; 1596 - D. Filipe I é informado pelo arcebispo de Goa que a obra custara já muito dinheiro e ainda se encontrava longe de estar concluída; 1596 - 1621 - período de actividade de Júlio Simão (de Ruão ?) como engenheiro-mor da Índia, sendo provável a sua intervenção na construção do imóvel; 1597 - 1600 - uma das torres estava em construção; encontrava-se no estaleiro o mestre-de-obras Pêro Dias; 1608 - 1610 - de visita a Goa, Pyrard de Laval elogiou a traça e grandeza da Sé, ao mesmo tempo que referiu o atraso nas obras; 1618 - D. Filipe II envia duas cartas para Goa, exigindo que o financiamento das obras da Sé não fosse utilizado para outros fins; 1619, 25 Novembro - celebração da primeira missa pelo arcebispo D. Cristóvão de Sá, estando terminado a cabeceira da igreja; 1620 - D. Filipe II é informado pelo vice-rei Fernão de Albuquerque de que o arcebispo D. Frei Cristóvão de Sá e Lisboa mandara concluir o corpo da igreja no ano anterior; 1625-1629 - durante o seu magistério, o arcebispo D. Frei Sebastião de São Pedro mandou erguer o transepto e a capela-mor; 1630 - o vice-rei, D. Miguel de Noronha, conde de Linhares, ordenou que se concluísse a fachada, torres e retábulo do altar-mor; 1631 - por alvará do vice-rei informou-se que as obras foram concluídas, faltando-lhe os trabalhos de artesão e retábulos; 1634 - ainda se realizavam trabalhos numa das torres e no retábulo da capela-mor; 1636-1652 - a obra é concluída durante o magistério do arcebispo D. Frei Francisco dos Mártires; 1774 - D. José I ordenou a mudança da igreja e residência arquiepiscopais para a antiga igreja e casa professa da Companhia de Jesus; segundo o monarca, as condições em que se encontrava a antiga Sé não dignificavam a sua condição; 1776 - derrocada dos dois últimos pisos da torre N., afectada por um raio, que afectou a nave lateral e as duas capelas laterais mais próximas, não voltando a ser levantada; 1778 - a rainha D. Maria I ordenou que se restaurasse a Sé, sem que no entanto a torre tivesse sido reposta na íntegra; 1780 - o Cabido retorna à Sé; 1886, 03 Junho - Concordata adicionou à Sé o título de Patriarca ad honorem das Indias Orientais; 1894 - as janelas de cascas de ostra são substituídas por vidraças; 1898 - a Sé foi ressagrada pelo bispo de Cochim, D. Mateus de Oliveira Xavier, não existindo memória de uma sagração inicial; séc. 20, 1.ª metade - demolição de vários corpos; 1911 - a cruz do frontispício foi destruída por um raio; 1932, 31 Março - classificação da Sé como Monumento Nacional pelo decreto n.º 1360 de 31 de Março; 1948 - foi celebrado o Jubileu de Ouro da Sagração da Igreja Catedral da Sé de Goa; 1986 - o remanescente de Velha Goa foi incluído na Lista de Património Cultural da Humanidade da UNESCO.
  Arquipelago de Origem:   Goa
  Data:  1975-00-00
  Autor :  Artífice local
  Chegada ao Arquipelago:  2011-06-19
  Proprietário da Peça:   Arquidiocese de Goa
   Proprietário da Imagem:   Tiago Carita
   Autor da Imagem:   Tiago Carita
  
Classificação da Imagem
 
Escultura
    - Pedra
 
 
Personalidades
    - Eclesiásticos
 
 
Documentos
    - Lápides e inscrições
 
 
Fotografia / imagem
    - Interiores
    - Personalidades
    - Costumes
 
 
Arte Sacra
    - Tumulária
 
 
Arquitectura religiosa
    - Igreja
 
 
Heráldica, emblemática e numismática
    - Religiosa





[411 arquip�lagos, 31 visitas guiadas, 297 personalidades, 899 entradas de dicion�rios e artigos, 258 aulas online]
[Total: 76987 imagens e 10715 textos]
Valid HTML 4.01 Frameset Valid CSS!